Conclusão de UPA é estimada para metade do ano que vem

281
Publicidade





AC Prefeitura / Evandro Ananias

Depois de reformulação, unidade de pronto atendimento segue com a construção em ‘ritmo acelerado’

 

A UPA (Unidade de Pronto Atendimento) de Tatuí deverá estar concluída na metade do ano que vem. A previsão é da Prefeitura, divulgada por meio de assessoria de comunicação.

De acordo com o setor, técnicos do setor de engenharia do Executivo confirmaram a conclusão para 2014. Também informaram que 30% da parte física da obra estão terminadas.

Publicidade

Em nota enviada à imprensa, a assessoria cita que a UPA precisou passar “por uma série de adequações, inclusive no projeto original, para se enquadrar aos padrões preconizados pelo Ministério da Saúde”.

“O prédio não se encaixava em nenhum dos três tipos de UPA previstos pelo governo federal”, apontou o setor de comunicação.

De acordo com a assessoria, a planta original da unidade previa área construída de 2.200 metros quadrados. Entretanto, a UPA II, destinada às cidades do porte de Tatuí, deveria ter 1.200 metros quadrados.

“Após perceber essa falha no projeto, o prefeito José Manoel Correa Coelho, Manu, reuniu-se com a empresa responsável pela obra e determinou imediata revisão”, divulgou o setor de comunicação do Executivo.

Também conforme a assessoria, após as adequações, o ministério aprovou a unidade com 1.800 metros quadrados – 600 metros quadrados a mais – para que ela pudesse “adequar-se à fundação”.

“Existem três tipos de UPA, mas a de Tatuí não se enquadrava em nenhum dos padrões estabelecidos. Essa falha gravíssima, que herdamos junto com as dívidas, fez com que tivéssemos um atraso de quase seis meses”, declarou Manu, por meio de material de divulgação do setor de comunicação.

“Mas, o problema foi solucionado e, em breve, iremos entregar essa obra que irá mudar a Saúde da nossa cidade para melhor”, complementou.

De acordo com a Prefeitura, mesmo com o reenquadramento, “mais dinheiro deverá ser investido na obra”. A contrapartida do município dobrou, passando de R$ 500 mil para R$ 1 milhão. O governo federal investiu R$ 2 milhões.

O secretário municipal da Saúde, Fábio Villa Nova, disse, por meio de nota, que o município “foi eficiente na resolução do entrave administrativo” e creditou a conquista ao antecessor, o médico anestesiologista José Luiz Barusso.

“Essa inauguração será um divisor de águas na Saúde do município, já que teremos um espaço moderno e adequado para pronto atendimento, deixando os casos de urgência e emergência exclusivos para o pronto-socorro”, declarou.

A UPA é citada pela Prefeitura como a maior obra em curso no município, ao lado da conclusão da primeira etapa do anel viário.


Publicidade