‘Complexo’ da Polí­cia Civil será inaugurado nesta sexta

514
Publicidade





Cristiano Mota

Central de Flagrantes faz parte da novidade que será apresentada

 

Concluído no ano passado, o “complexo” da Polícia Civil será inaugurado na tarde de sexta-feira, 12. A Prefeitura divulgou na manhã de ontem, terça-feira, 9, a realização da cerimônia para as 17h.

O evento terá a presença do prefeito, José Manoel Correa Coelho, Manu, e apresentação do novo delegado titular do município, Francisco José Ferreira de Castilho.

Publicidade

Também são esperadas as presenças do diretor do Departamento Municipal de Segurança Pública, delegado Onofre Machado da Silva Junior, e dos delegados Paulo Cezar Tolentino, Emanuel dos Santos Françani e Sônia Maria Sacon Brunheroto Camargo, da DDM (Delegacia de Defesa da Mulher).

Castilho assumiu a titularidade do município no final do mês passado. No início deste mês, participou de reuniões com representantes de entidades e da Prefeitura.

Em 2013, o delegado sorocabano teve promoção à primeira classe pelo critério de “merecimento pelo melhor aproveitamento na carreira”, conforme publicado no “Diário Oficial” do Estado de São Paulo, dia 31 de julho.

Castilho atuou em várias cidades da região abrangida pelo Deinter-7 (Departamento de Polícia Judiciária de São Paulo), de Sorocaba.

No ano passado, era titular da Ciretran (Circunscrição Regional de Trânsito), de Carapicuíba. Naquela cidade, acumulou, também, assistência da Delegacia Seccional.

Em outubro do ano passado, os funcionários da Camargo Engenharia Construções encerraram os trabalhos das obras do complexo da Polícia Civil. Eles concluíram a construção de um novo prédio (utilizado para investigações e para a Central de Flagrantes), a reforma da Delegacia Central e da cadeia pública – desativada em 2006, após sucessivas rebeliões.

Na época, o governo do Estado denominou o delegado José Alexandre Garcia Andreucci como gestor da obra. Françani também integrou equipe responsável pela medição, acompanhamento e vistoria dos trabalhos.

A expectativa inicial era de que o complexo ficasse pronto em 540 dias, conforme o contrato entre o Executivo e a construtora. Seis meses antes do prazo final, a empresa entregou um novo prédio, que seria destinado para abrigar a DDM, mantida na rua Coronel Aureliano de Camargo, 743, no centro.

Em outubro de 2013, a empreiteira também concluiu a reforma de todas as salas da Delegacia Central – com mais de 40 anos de construção – e recuperou a extinta cadeia pública. A unidade registrava superlotação e rebeliões.

Atualmente, a antiga cadeia abriga funcionários do 1º e 2º DPs (distritos policiais). São oito salas, sendo duas destinadas aos respectivos delegados e plantonistas.

O espaço também recebeu melhorias não previstas no projeto original, costurado entre o município e o governo do Estado. Ganhou projeto paisagístico e uma fonte, por conta de iniciativa de Andreucci.

Na época, o ex-titular do município cogitou convidar um ex-detento da cadeia – atualmente, “recuperado” – para participar da solenidade de inauguração.

Andreucci, no entanto, teve transferência para a Seccional de Itapetininga, em fevereiro deste ano, antes da cerimônia agendada para esta semana.

Iniciadas na gestão do ex-prefeito Luiz Gonzaga Vieira de Camargo, as obras do complexo da Polícia Civil foram retomadas por Manu no início de 2013.

O prefeito entrou em entendimento com a empreiteira responsável, após paralisação, por falta de pagamento. Com autorização da Câmara, Manu parcelou o débito junto à empresa, que retomou as obras.

O projeto de reforma e ampliação contou com colaboração de engenheiros da Prefeitura e de funcionários das delegacias envolvidas (DDM e Central). Tanto a construção do novo prédio como a ampliação dos ambientes já existentes passaram por avaliação dos profissionais, a partir de relatos e sugestões encaminhadas por escrivães, investigadores e delegados à Prefeitura.

O processo que resultou na viabilização das obras teve início com a colaboração do ex-vereador Oséias Rosa. Em 2009, ele ficou encarregado de fazer os contatos políticos para elaboração do projeto, obtenção de recursos e assinatura de convênio com o Estado, sob coordenação do então prefeito Gonzaga.

Também contribuiu para o projeto o ex-vereador e ex-secretário municipal da Segurança Pública José Roberto Xavier da Silva. Ele e Rosa começaram a discutir a proposta com o então delegado seccional de Itapetininga, José Antônio Vieira Ramos. A reunião aconteceu ainda em 2009.

Após a apresentação, a municipalidade fez a entrega oficial do projeto à SSP (Secretaria de Estado da Segurança Pública). A proposta, no entanto, teve de ser revista “inúmeras vezes” pela Prefeitura, porque a pasta estadual exigiu modificações, sendo a última delas um ajuste de preços, em 2011.


Publicidade