Capacidade da empresa Hummel dobrará com ampliação de planta

297
Publicidade





Divulgação

Empresa anunciou expansão de planta e capacitade operacional após período de funciomanento em Tatuí

As obras de ampliação da área fabril da Hummel Connector Systems Ltda., localizada em Tatuí, entram na fase final e deverão ser concluídas em setembro. Com isso, a capacidade operacional da empresa terá condições de dobrar.

 

“A duplicação do nosso espaço permitirá ampliar significativamente as operações no Brasil e, consequentemente, o atendimento oferecido aos nossos clientes”, diz o gerente-geral da unidade brasileira, Carlos Rottman.

 

Publicidade

A Hummel está presente no Brasil desde 2001, quando se instalou em Boituva, revendendo produtos fabricados em sua matriz, na Alemanha.

 

Seis anos depois, transferiu-se para Tatuí. Desde então, as linhas de produtos Ecotec e Heavy Duty passaram a ser produzidas no Brasil.

 

“Esta é a nossa primeira ampliação, decorrência direta do aumento da participação nos mercados de prensa cabos e de materiais utilizados em áreas classificadas, que não podem ter qualquer risco de explosão, como em plataformas de petróleo ou refinarias, por exemplo”, explica Rottman.

 

Atualmente, 15% do faturamento da empresa no Brasil são formados por seus produtos da linha Ecotec, e outros 15%, da Heavy Duty. Os 70% restantes são compostos pela revenda dos produtos importados de outras plantas da Hummel no mundo.

 

“Nossas projeções indicam que, daqui a cerca de cinco anos, a participação da linha Heavy Duty deverá aumentar. Esse foi um dos motivos que justificaram a decisão da matriz em ampliar suas instalações no Brasil”, revela Rottman.

 

Em nível mundial, a Hummel está presente em 14 países (Alemanha, Índia, Brasil, China, Itália, Holanda, França, Reino Unido, Suécia, Polônia, Rússia, Cazaquistão, Azerbaijão e Coreia do Sul) e atua nas áreas de eletrotecnologia, “multitouch”, eletrônica, médica, metais e plásticos. Seu capital é fechado.

 

No Brasil, a empresa fabrica e distribui oito linhas, sendo prensa cabos, “heavy duty”, “exios”, conduites, conectores, caixas, usinados e “touch panels”.

 

A linha de prensa cabos é confeccionada em poliamida, latão niquelado ou aço inoxidável, serve para fixar cabos únicos, chatos ou multivias em instalações industriais.

 

A “heavy duty” é destinada para uso em ambientes “offshore”, “inshore”, navios, refinarias e diferentes instalações industriais nas quais não pode haver o risco de explosões.

 

É fabricada em latão, latão niquelado, alumínio cooperfree ou aço inox, assim como seus acessórios: buchas de redução, bujões de vedação e redutores de rosca.

 

A “Exios” compreende prensa cabos do tipo “high-end” para uso em áreas de risco. Há, ainda, o modelo “barrier-gland Exios Barrier”, que garante a vedação e proteção ao invólucro por meio do uso de composto selante, especialmente dedicado a aplicações nas quais pode ocorrer o fenômeno de “coldflow” na capa do cabo instalado. Estes itens são confeccionados em latão, latão niquelado ou aço inox 316.

 

São também fabricados os conduites, sendo que a linha de corrugados flexíveis é em poliamida ou polietileno, possui acessórios de fixação e pode ser aplicados como condulete, tubo ou mangueira de proteção de cabos no ambiente industrial.

 

Já os conduites e terminações da linha SM-WS são utilizados para proteção de cabos elétricos em máquinas, equipamentos ou painéis.

 

Os flexíveis “Snapflex” são para proteção de cabos elétricos em máquinas, equipamentos ou painéis, e confeccionados em materiais de alta resistência e flexibilidade.

 

Já os da linha “Snapflex-ex” são para uso em áreas classificadas em sistemas de proteção “EXe” (segurança aumentada).

 

Também são produzidos os conectores para todo tipo de ambiente industrial. Os conectores multipinos servem para automação para sinal de comando ou alimentação de potência, ou, ainda, transmissão de dados via ethernet (rede local de computadores) em equipamentos industriais.

 

São confeccionados em latão niquelado ou aço inoxidável, e os contatos (pinos e soquetes), banhados a ouro.

 

Para montagens de engate rápido, há modelos com o sistema “pushpull” e o lançamento “twilock”.

 

As caixas com altos níveis de resistência e vedação são produzidas em policarbonato, poliéster, alumínio, aço carbono ou aço inox 304 ou 316.

 

A empresa também fabrica caixas usinadas sob medida, caixas furadas, caixas de junção, caixas de passagem, caixas com furos padrão para montagem de botões de comando e outras, com furações especiais, rasgos ou furos com rosca.

 

Recentemente, foi apresentada a linha “SolarPlus”, para aplicações externas em uso associado a painéis de energia solar ou aplicações de energia eólica.

 

A tampa transparente possui alta resistência à radiação ultravioleta e permite a visualização interna e a eliminação da condensação que venha a se formar no conjunto.

 

A produção de usinados é destinada ao serviço de usinagem em caixas industriais, em latão, alumínio, alumínio “cooperfree”, “chumballoy”, aço carbono e ou aço inox; furações e rasgos em caixas plásticas ou metálicas, furos com roscas, gravações e tampografia; e montagem de componentes em caixas industriais. Oferece, ainda, tratamentos de galvanização, niquelamento e anodização.

 

A linha “touch panels” abrange o invólucro do painel até o sensor de toque sob a tela, display e a confecção completa do equipamento.

 

Os sensores “altamente sensíveis” podem ser utilizados mesmo quando o operador está com luvas. Eles possuem “alta resistência” de impacto, risco que pode ser muito frequente em alguns ambientes industriais.


Publicidade