Cantora tatuiana participa de competição nacional pela TV

Iaponira está na terceira temporada do programa “Canta Comigo”

459
Iaponira é musicista, atriz e compositora (foto: divulgação)
Da reportagem

A atriz e cantora tatuiana Iaponira Reis está participando da terceira temporada do programa “Canta Comigo”, um reality show musical de competição nacional, transmitido pela TV Record, com apresentação de Rodrigo Faro.

Concorrendo entre milhares de inscritos, após passar por vários testes, a tatuiana conseguiu estar entre os 80 candidatos selecionados do programa e concorrer a prêmio de R$ 300 mil.

A terceira temporada do “Canta Comigo” estreou em 25 de abril e o programa com a participação de Iaponira vai ao ar este domingo, 23, às 18h. O episódio, o oitavo da edição, também está disponível na Netflix.

A cantora conta ter participado de um “rigoroso” processo de seleção em fevereiro. Após passar em todas as etapas, gravou a primeira participação no programa em março – o mesmo que vai ao ar no domingo.

E o processo de seleção continua. Para vencer a competição, a cantora terá de passar por várias etapas. Em cada episódio, dez cantores sobem ao palco para serem julgados por um painel de cem especialistas em música e artistas.

Os participantes precisam realizar uma apresentação que “empolgue” os jurados. Se qualquer um deles gostar, pode levantar-se e cantar junto com o competidor. Quanto mais jurados em pé, mais pontos o participante acumula.

Na fase eliminatória, o maior pontuador – ou seja, aquele que conseguir levantar o maior número de jurados do episódio – classifica-se automaticamente para a semifinal da temporada, enquanto os donos do segundo e do terceiro lugares no ranking enfrentam-se em um duelo de vozes para a decisão da segunda vaga na semifinal.

O duelo é uma sub-etapa, que acontece no final dos episódios da eliminatória, na repescagem e nas semifinais. Nele, os donos do segundo e terceiro têm as respectivas notas zeradas e enfrentam-se tendo que cantar uma nova música para os jurados. Ganha quem levantar o maior número de jurados.

O empate também é uma sub-etapa e pode acontecer em qualquer momento do programa. Nele, dois competidores que tirarem notas iguais passam por nova avaliação, não sendo necessária nova apresentação.

Os cem só podem votar em um dos dois candidatos para que haja uma “divisão justa”. Ao fim, o painel exibe duas notas: a primeira sempre é de quem já está no “Top 3” e a segunda, de quem apresentou-se recentemente. Ganha o desempate quem conseguir a maioria dos votos dos jurados – ou seja, mais de 50 votos.

A semifinal do programa é dividida em dois episódios. Em cada um deles, todos os candidatos qualificados nas eliminatórias reapresentam-se para os cem jurados. O candidato que levantar o maior número deles garante vaga na final; já o segundo e o terceiro batalham pela segunda vaga.

Além disso, o candidato que atingir a pontuação máxima, fazendo com que os cem jurados se levantem de uma só vez, garante vaga direto para a grande final. Isso pode acontecer a qualquer momento do programa, seja na fase eliminatória, na repescagem ou na semifinal.

Na etapa final, os finalistas se apresentam mais uma vez. Os três que conseguirem a maior pontuação vão a voto popular, e o público é quem tem a palavra final. O mais votado pela audiência será o vencedor da temporada, faturando o prêmio de R$ 300 mil.

Iaponira não deu detalhes sobre o resultado, nem confirmou se segue ou não para a próxima etapa. “O resultado ainda não posso contar por ter assinado contrato com a emissora. A única maneira para saber se vou continuar ou não é assistindo ao programa”, comentou a artista.

Iaponira é musicista, atriz e compositora. Como cantora, venceu o concurso de “Voz e Violão” do projeto Cidadania I, do Lions Clube, em 2007, e ficou em terceiro lugar, em 2008, no projeto Cidadania II.

A artista também atuou em projetos sobre patrimônios culturais brasileiros, como a mostra de samba de Roda de Marajo, apresentando-se em diversas edições do Festival de Cultura da Região de Itapetininga, onde foi premiada, dançando o ritmo carimbó.

Em 2010, compôs o Núcleo Experimental Cênico Falsa Modéstia e atuou como cantora junto à Orquestra da Camerata Les Ensembles. Também integrou o grupo “ArteemQ” e, atualmente, é atriz, pesquisadora e compositora na Companhia de Opinião.

A artista mencionou ser gratificante representar Tatuí em uma competição nacional. “Foi aqui que iniciei minha carreira na música, no teatro, e é onde eu tenho minha raiz”.

“A única coisa que me entristece é não ter mais os meus pais vivos. Eles teriam orgulho de me ver em rede nacional, foi a melhor experiência da minha vida”, completou Iaponira.