Campanha de sangue coleta 59 bolsas; HAC fará nova arrecadação

359
Ação visa evitar baixa nos estoques de sangue (foto: Amornthep Srina / Pexels)
Publicidade
Da reportagem

A equipe do Hemonúcleo Regional de Jaú – Fundação “Amaral Carvalho” coletou 59 bolsas de sangue em Tatuí, no sábado, 16, em ação realizada no Cemem (Centro Municipal de Especialidades Médica) “Dr. Jamil Sallum”.

A campanha foi a primeira arrecadação externa realizada neste ano em Tatuí em prol ao hemonúcleo ligado ao HAC (Hospital “Amaral Carvalho”). A ação é realizada e coordenada pela empresária e voluntária Rita Corradi Azevedo, com apoio do Lions Clube de Tatuí..

Rita aponta que a ação aconteceu com todos os cuidados necessários e dentro das determinações da Vigilância Sanitária e da Secretaria Municipal de Saúde.

Segundo ela, uma das maiores preocupações da ação foi manter o distanciamento entre os candidatos e os membros da equipe organizadora – conforme determinações de prevenção ao novo coronavírus.

Além disso, para evitar aglomeração de pessoas no local da coleta, a campanha não contou com cadastro de doadores de medula óssea.

Publicidade

No total, 63 pessoas candidataram-se às doações e, dessas, 59 puderam contribuir. Desta vez, os candidatos agendaram a coleta por meio do Banco de Sangue “Fortunato Minghini”, da Santa Casa de Misericórdia de Tatuí.

A coordenadora destaca que “a coleta foi ótima”. Contudo, aponta que os estoques do HAC ainda estão baixos e revela que uma nova campanha deverá ser realizada na cidade no mês que vem. A data ainda será agendada e divulgada.

“Tivemos uma boa adesão, mesmo assim, a equipe do HAC pediu para fazer mais uma coleta de sangue no mês que vem. Fazia três meses que eles estavam sem fazer coleta externa, então, estão precisando muito”, comenta Rita.

Segundo ela, muitas cidades da região que receberiam campanhas nos meses de março e abril acabaram cancelando a coleta e o hemonúcleo do hospital – especializado no tratamento de pessoas com câncer – teve queda nos estoques nos últimos meses.

“O hemonúcleo de Jaú está precisando muito de sangue para continuar com os tratamentos. Diariamente, muitos pacientes precisam receber bolsas de sangue e dependem disso para viver. Então, temos que continuar ajudando”, enfatiza a coordenadora.

Rita frisa que poucas cidades estão conseguindo receber a campanha externa do hemonúcleo por não contarem com estrutura que atenda às exigências de distância mínima entre as pessoas.

“A maioria não tem espaço amplo, mas nós temos. Aqui o espaço é ótimo, dá para coletar várias pessoas ao mesmo tempo, manter os cuidados necessários e também a distância entre um doador e outro”, observa.

A coordenadora ainda lembra que, durante todo o ano, também é possível doar sangue e realizar o cadastro de medula no Banco de Sangue.

A coleta local é destinada ao HCFMB (Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu), responsável por garantir a manutenção dos estoques dos bancos de sangue em mais de 30 cidades da região.

“Os bancos de sangue regionais, como os de Tatuí e Jaú, são ‘braços’ do hemonúcleo de Botucatu. Então, quem não puder doar na campanha, para ajudar Jaú, pode ir até o banco de sangue e fazer o cadastro para doar”, menciona Rita.

O cadastro dos novos doadores pode ser realizado de segunda-feira a sexta-feira, das 7h às 16h. Já a doação de sangue é agendada e acontece em todas as terças-feiras e quintas-feiras, com número limitado de doadores.

O órgão está realizando as coletas apenas com atendimento agendado e horários diferenciados, para evitar aglomerações. A média de coleta envolve quatro pessoas a cada meia hora. O banco de sangue fica na rua Cônego Demétrio, 948, centro, ao lado da maternidade.

 

Ação visa evitar baixa nos estoques de sangue (foto: divulgação)

Publicidade