Brasil vive melhor momento para investir em leilão de imóveis

1520

Casas e apartamentos podem ser adquiridos por menos de 50% do valor de mercado. Entenda como investir e quais cuidados devem ser tomados para participar.

Em 2017, só no estado de São Paulo, mais de 6 mil leilões oficiais foram realizados. São diversas opções, como casas, apartamentos, escritórios, galpões e fazendas. Muitos investidores conseguem adquirir imóveis com um desconto de até 50% sobre o valor de avaliação, que normalmente já é abaixo do valor de mercado.

O momento propício para bons negócios e a segurança de investir sem os riscos e dificuldades de entrar na Bolsa de Valores são dois dos principais fatores que levam um investidor a procurar o pregão. Segundo o advogado Luis Ortense, especializado em direito imobiliário, as condições em um leilão são extremamente favoráveis, principalmente pelo preço. “Qualquer pessoa pode participar, especialmente aqueles que procuram uma modalidade de investimento seguro e com valores adequados ao bolso”, explica.

Mas ele adianta, para não correr riscos, é necessário ter algumas precauções. “Quem entra em um leilão quer facilidades e bom preço. Entretanto, é claro que existem cuidados para se tomar. Um deles é o de participar apenas com leiloeiros oficias. Também deve-se verificar se o imóvel possui dívidas que não serão pagas com o leilão”, afirma Ortense.

Grande parte das informações que devem ser pesquisadas pelo investidor estão no edital, como o motivo de o imóvel ser levado à leilão e se existem débitos ou dívidas pendentes, como condominial ou de impostos. Conhecer o estado do local pessoalmente e verificar o real valor de mercado podem ajudar na escolha. A desocupação, que é o maior medo de investidores inexperientes, não é o maior problema, já que a lei determina a imissão na posse, ou seja, caso necessário, a desocupação será forçada.

O advogado Carlos Campanhã, especialista em leilões, explica que a forma mais segura de o investidor participar de um leilão é contratar um advogado com experiência na área. “O profissional terá facilidade em analisar se o imóvel será realmente um bom negócio e, se necessário, resolver problemas legais ou judiciais, como a desocupação, caso seja necessário. O ganho do cliente, seja para adquirir um patrimônio ou lucrar com a revenda, acaba sempre sendo maior”, diz.

Campanhã ainda esclarece porquê o pregão de imóveis é tão seguro e lucrativo. “Esses leilões têm mais ofertas do que procura, então os preços costumam ficar baixos. É extremamente seguro, pois quem está lhe vendendo o imóvel e irá lhe entregar é o Poder Judiciário. Quando se trata de leilões de bancos, toda a responsabilidade é do banco vendedor, que possui patrimônio de sobra para garantir a operação”, garante o especialista.

Por que um imóvel é leiloado?

O principal motivo de um imóvel ir à leilão são dívidas da sua própria aquisição. Na justiça, condomínio, fiança locatícia, pensão alimentícia e débito trabalhista são as principais causas de alienação judicial por meio de leilões. “Claro que qualquer dívida cobrada na justiça pode levar à penhora e leilão de um imóvel. Para o investidor, pouco importa o motivo do leilão, o que importa é a sua legalidade e rentabilidade”, destaca Campanhã.

De acordo com o especialista, tanto a Justiça quanto os bancos têm interesse em resolver tudo o mais rápido possível, o que também acaba acelerando o processo e permitindo que os descontos sejam maiores. Após ter o lance aceito, é calculado que o imóvel já esteja com tudo regularizado, nas mãos do novo proprietário, em menos de um ano.

Já o advogado Luis Ortense alerta para outra causa de leilões de imóveis, onde é possível comprar um apartamento em construção pelo preço de custo. “É uma excelente forma de investimento e ocorre quando a construtora vai à falência. Nessa hipótese, os compradores assumem o termino da construção e por força da lei colocam à venda as unidades de inadimplentes ou não vendidas pela construtora pelo preço de custo, tudo parcelado”, esclarece.

Nessas condições, Ortense indica o Condomínio Life 11, localizado na Avenida Cientista José de Barros Magaldi, S/N, Jardim Lucila, em Tatuí, onde quatro unidades estão sendo leiloadas pela Veneto Leilões (www.venetoleiloes.com.br). Em breve, haverá também a oferta de mais de 30 unidades do condomínio Aqua na cidade.

Como participar de leilões?

A grande facilidade de hoje é que os leilões são feitos de forma on-line. O interessado em participar deverá se cadastrar previamente em um website como o da Veneto Leilões, fazer o envio da documentação requerida e solicitar habilitação para o leilão desejado.

Durante o pregão eletrônico, os lanços deverão ser oferecidos diretamente no sistema do leiloeiro, para viabilizar a preservação do tempo real das ofertas. Ocorrendo lanços nos três últimos minutos, antecedentes ao término do leilão, o horário de fechamento será prorrogado por mais três minutos e sinalizado para que todos os usuários habilitados tenham a oportunidade de ofertar novos lanços. Transcorridos três minutos do último lanço o leilão será encerrado e este declarado vencedor.