“As Marias” lança vídeo a partir da ação poética “Cartas para a Cidade”

Projeto mostra coreografias criadas por meio de relatos dos tatuianos

191
Fotos: Divulgação
Da reportagem

O grupo de teatro de rua “Cia. As Marias”, de São Bernardo do Campo, lançou nesta semana o primeiro vídeo performático da ação poética “Cartas para a Cidade”, que relata histórias de moradores de Tatuí.

A ação “Cartas para a Cidade” começou em setembro de 2020, quando a companhia convidou moradores de Matão, Tatuí, Birigui, São Bernardo do Campo, Cubatão, Santos, Diadema, Santo André, Ribeirão Pires e Mauá para escreverem afetos e memórias sobre as suas cidades.

A partir das cartas e dos relatos a companhia criou coreografias que serão transmitidas em uma série com três vídeos, pelas plataformas virtuais da companhia. O primeiro vídeo traz as memórias de Tatuí, Birigui e Matão e estrearia na sexta-feira, às 20h30, com transmissão ao vivo pelo https://www.facebook.com/CiasMarias.

Durante a live, estava previsto a leitura de cartas dos moradores das três cidades, além da exibição do vídeo performático criado por meio dos relatos. Segundo a companhia, a transmissão seria gravada e ficaria disponível na página oficial.

Os próximos lançamentos ocorrem na terça-feira, 23, com relatos de moradores de Santos, Cubatão e São Bernardo do Campo, às 20h30, e na sexta-feira, 26, também às 20h30, com leitura das cartas e exibição do vídeo sobre Diadema, Santo André, Mauá e Ribeirão Pires.

De acordo com Patrícia Santos, integrante da Cia. As Marias, a ação poética é uma adaptação virtual do projeto “An.dor – As Ruas são para Dançar!”, contemplado no Proac (Programa de Ação Cultural), no edital “Circulação de Dança” (04/2019).

O espetáculo “An.dor”, pensado e criado para os espaços urbanos e apresentações em ruas e praças públicas, iria percorrer os dez municípios, contudo, precisou ser adaptado para os meios virtuais devido à pandemia do novo coronavírus.

Patrícia explica que as cidades foram escolhidas para a circulação do espetáculo buscando promover “o acesso amplo da população à dança” no interior do estado, contudo, o projeto original foi interrompido, em março de 2020, e as apresentações presenciais acabaram suspensas.

“A ação poética foi um convite aos moradores para escreverem sobre afetos, desejos e sonhos para a cidade. As coreografias são um modo de atualizar o espetáculo (“An.dor”) e promover uma interação direta com os moradores, uma vez que a pandemia impossibilitou o grupo de estar diretamente nas ruas apresentando o trabalho nas cidades”, argumentou Patrícia.

Além dos materiais virtuais, o projeto realizou, em outubro do ano passado, um workshop improvisação e composição coreográfica, também em formato virtual, voltado estudantes de artes cênicas, grupos e coletivos artísticos.

A ação ocorreu em etapas, atingindo os dez municípios. Tatuí participou da primeira chamada, quando também foram convocados os moradores de Matão e Birigui.

“Fizemos essa convocatória porque partimos muito desta pesquisa para a montagem do espetáculo. A ideia é ouvir não só a história oficial da cidade, mas a contada a partir dos habitantes e de quem faz uso dela”, disse Patrícia.

Segundo ela, a companhia recebeu mais de 30 cartas para a criação do primeiro vídeo, de Tatuí foram sete. “O elemento mais citado nas cartas da cidade foi à música clássica, e as atividades do Conservatório”, revelou Patrícia.

Ela ressalta que a série performática traz vídeos com a “visão poética” da companhia sobre os relatos recebidos por meio das cartas. “Este primeiro vídeo é a junção de Tatuí, Matão e Birigui, juntamos os elementos comuns a partir dos afetos dos moradores e recriamos o universo que eles nos passaram nas cartas”, completou.