Ariston França voa a Paris em volta ao octógono após quase dois anos

Lutador tatuiano enfrenta francês Alioune Nahaye por cinturão nesta 5ª

25
Tatuiano será um dos representantes brasileiros em evento na França (foto: divulgação)
Da redação

O lutador Ariston França, enfim, retornará ao octógono para um combate, nesta semana. O tatuiano competirá na quarta edição do evento MMA Grand Prix, a ser realizado na quinta-feira, 14, em Paris, na França.

A competição ocorrerá no Cirque d’Hiver Bouglione, das 11h30 às 19h (horário de Brasília) e contará com seis lutas. França enfrentará o francês Alioune Nahaye, do Time Obyfight, em busca do cinturão peso-pena do evento.

França divulgou oficialmente a participação dele no MMA Grand Prix na semana passada, em publicação nas redes sociais. Com auxílio de patrocinadores, ele deixou Tatuí e embarcou à Europa no domingo, 10, chegando ao destino no dia seguinte.

Ao todo, o lutador tatuiano, de 29 anos, possui cartel com 16 lutas, sendo dez vitórias e seis derrotas. Entre os triunfos, França venceu quatro combates por nocaute, cinco por finalizações e uma por decisão dos juízes.

Já o adversário francês, de 30 anos, em 12 combates na carreira, também alcançou dez vitórias e perdeu duas vezes. Nas lutas em que saiu vencedor, Nahaye venceu seis por nocaute e quatro por finalizações.

França voltará a lutar profissionalmente após quase dois anos. Na luta anterior, ele acabou derrotado pelo norte-americano Aaron Philips, dia 7 de novembro de 2019. Em 2014, o adversário de França foi contratado pelo UFC (Ultimate Fighting Championship), mas deixou a franquia após duas derrotas.

Em decorrência da pandemia, o tatuiano encerrou 2020 sem ter participado de nenhum combate. Ele seria uma das atrações do “TSC” (The Scorpion Challenger), em Assunção, no Paraguai, em dezembro do ano passado. França enfrentaria o paraguaio Camilo Fernandez, em combate válido pela categoria peso-pena.

A viagem do tatuiano ao Paraguai aconteceria três dias antes do evento, com tempo hábil para a chegada, ambientação no país vizinho e pesagem oficial, tradicionalmente realizada na véspera dos combates.

Entretanto, o retrocesso da região de Sorocaba (a qual inclui Tatuí) da fase verde para a amarela no Plano São Paulo e o cenário da pandemia nos dois países geraram o cancelamento da luta.

De acordo com França, ele não seria liberado a tempo de lutar no Paraguai, além de correr risco de ser obrigado a permanecer 14 dias em quarentena, após participar do evento esportivo. “Isso inviabilizou a nossa ida”, apontou, na oportunidade.