“Academia do Idoso” é entregue pelo asilo

1963
Equipamentos são destinados para uso de internos da entidade e por idosos da comunidade (foto: Cristiano Mota)
Publicidade

Em evento realizado na manhã de sábado, 9, o Lar São Vicente de Paulo inaugurou a Academia do Idoso. A entrega do espaço marca continuidade do projeto “Bem-Estar no Lar”, iniciativa promovida pela diretoria há quatro anos.

A cerimônia de apresentação do novo ambiente dedicado à prática de atividades esportivas aconteceu na Praça do Idoso. Ela contou com a presença do presidente do asilo, fisioterapeuta Ivan Rezende, da assistente social da entidade, Mirna Iazzetti Grando, da presidente do Fusstat (Fundo Social de Solidariedade de Tatuí), Sônia Maria Ribeiro da Silva, e convidados.

Mirna destacou a contribuição dos conselheiros, diretores da instituição e das Irmãs da Providência, que trabalham no asilo há décadas. Também deu as boas-vindas aos músicos que integram banda estimulada pela entidade.

“A inauguração da Academia do Idoso é fruto de um trabalho que iniciamos com o CMI (Conselho Municipal do Idoso), que, neste momento, eu represento. Um trabalho bastante árduo de captação de verbas para as entidades e para atender à comunidade idosa, promovendo o bem-estar”, iniciou.

Citados como fundamentais na concretização da proposta pela assistente social, os voluntários tiveram destaque nas palavras da presidente do Fusstat.

Publicidade

Sônia mencionou que o voluntariado possibilita a transformação do mundo. “Se cada um pensasse como eles, o mundo seria bem diferente. Acredito em um mundo melhor, mais humano e mais solidário”, declarou.

Para ela, a contribuição oferecida por pessoas voluntárias é fundamental para a efetivação de projetos, independentemente do público a ser atendido.

“Sempre digo que o amor é o caminho e que nós somos anjos de uma asa só, porque precisamos das asas dos outros, dos voluntários, para voar”, acrescentou.

A academia possui equipamentos que auxiliam no fortalecimento da musculatura. Eles já começaram a ser utilizados pelos internos e convidados da comunidade, assistidos pelo Bem-Estar no Lar.

O presidente da entidade destacou que o intuito do novo espaço é de promover a atenção ao idoso. Ele também poderá receber públicos externos, como os assistidos pelo Envelhecer com Qualidade de Vida, projeto do Fundo Social.

“Nós recebemos, recentemente, a visita deles (dos idosos do Fusstat), com os quais os nossos internos vivenciaram momentos de alegria. Outros mais idosos virão nesse intuito único de atenção e que visa dar mais qualidade de vida aos nossos assistidos e não simplesmente refeições e cuidados”, prospectou.

De acordo com o presidente, a academia amplia a possibilidade de atendimento dos idosos não só no aspecto físico, mas no psicológico. Em particular, porque, ao deixar o salão de convivência, os internos terão oportunidade de interagir com os demais e com pessoas da comunidade em um novo ambiente.

“Para isso, vimos que precisaríamos abrir o uso dos equipamentos para pessoas de fora, membros da comunidade, para somarmos forças”, complementou.

A partir da nova política, a entidade expandiu as atividades à comunidade. O objetivo é “somar forças” e oferecer projetos que possam contribuir para a melhoria da saúde dos participantes, como testemunhou Maria Elza.

Assistida externa da entidade há um ano, a aposentada gostou tanto do resultado que teve a interação com outras pessoas da mesma faixa etária, que levou duas irmãs com ela para dentro do asilo, para acompanhá-la nas atividades.

Maria Elza declarou que o clima propiciado pelo asilo também afetou positivamente as irmãs dela. “Uma delas ficava deitada fazia quatro anos, não saía para lugar nenhum. A outra estava com depressão. Elas estão se sentindo melhor, e eu já estou sentindo saudades das férias que vamos ter”, brincou.

O projeto Bem-Estar no Lar terá confraternização no fim do mês, quando as atividades serão suspensas. Elas serão retomadas em fevereiro.

A iniciativa da instituição conta com apoio da Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Trabalho e Desenvolvimento Social. O órgão disponibiliza verba específica, por meio do FMI (Fundo Municipal do Idoso).

Conforme Rezende, o dinheiro é proveniente de doações feitas por pessoas físicas e jurídicas. O valor é destinado à conta do FMI e distribuído a duas instituições da cidade. Além do asilo, que mantém o Bem-Estar, a Casa do Bom Velhinho “Vale da Lua” recebe o recurso para o “Quero Ser Feliz Agora”.

O presidente explicou que a verba é muito importante “como auxílio geral” para as instituições. Ela também possibilita a realização de programas de trabalho.

Rezende agradeceu à equipe de trabalho pelo apoio e participou, na sequência, de descerramento de placa inaugural. Ao final do evento, os convidados e assistidos acompanharam uma aula demonstrativa do uso dos aparelhos.

Para o ano que vem, o espaço será reaberto com participação maior da comunidade. O presidente mencionou que a intenção é receber mais pessoas para interação com os internos e que desejam realizar exercícios físicos.

Publicidade