57% costumam exagerar quando interagem com pessoa de idade

235
Publicidade





Não dar atenção para os idosos não é considerado um hábito saudável. Cuidar em excesso também não, conforme destacou a coordenadora do projeto “Melhor Idade”, do Fundo Social de Solidariedade de Tatuí, a gerontóloga Paola de Campos.

Segundo ela, o motivo é que atenção demais pode contribuir para a chamada “infantilização” do idoso. Esse é o processo que ocorre quando uma pessoa de idade é tratada como se fosse uma criança, “pecado” cometido pela maioria dos leitores que participaram da enquete virtual desta semana.

Promovida pelo jornal O Progresso em “Progresso Digital”, a pesquisa apontou que 57% dos leitores costumam exagerar nos cuidados quando interagem com um idoso. Por outro lado, 43% relataram que “não” exageram nos cuidados.

Levada “ao ar” na tarde de sábado, 6, a pergunta recebeu votos dos leitores do bissemanário por meio da página principal do periódico. A participação aconteceu até a tarde de sexta-feira, 12, com divulgação parcial no endereço www.oprogressodetatui.com.br. A enquete é acessada por assinantes e não assinantes e libera, após participação, resultado parcial para consulta.

Publicidade

Realizada semanalmente, a pesquisa virtual tem por objetivo verificar a opinião dos leitores do bissemanário sobre temas importantes. Entre eles, a questão que dominou os noticiários regionais ao longo da semana passada: a depredação do Cepem (Centro de Educação Pré-Escolar Municipal) “Professora Elza Orsi Avaloni”. A unidade fica na rua Cecílio Boneder, na vila Esperança.

Conforme registro de ocorrência, ela sofreu vandalismo atribuído a dois adolescentes. Os menores, de 13 e 14 anos, foram identificados pela Polícia Civil a partir de imagens do circuito interno de segurança da Escola Estadual “Ary de Almeida Sinisgalli”. As unidades são divididas apenas por um alambrado.

No domingo da semana passada, dia 7, os menores teriam invadido o local, estourado portas, arrombados janelas, quebrado vidros e ateado fogo em materiais didáticos. Eles também teriam queimado colchonetes e um bebedouro. Depois de prestar esclarecimentos, os adolescentes foram liberados.

Por conta dessa ocorrência, a Secretaria Municipal da Educação, Cultura e Turismo anunciou a conclusão “para breve” de projeto de implantação de sistema de segurança. A titular da pasta, Ângela Sartori, informou nesta semana que o Executivo está concluindo um estudo para dotar as unidades desse sistema.

Com base nisso, o jornal apresenta a seguinte questão: “Em sua opinião, como atos de vandalismo podem ser coibidos no município?”. As opções de respostas são: “mais policiamento ostensivo”, “implantação de sistema de monitoramento” e “punições mais severas para os autores”.

Os leitores poderão participar a partir da tarde deste sábado, 13, até a próxima sexta-feira, 19. A divulgação do resultado final acontece no domingo, 21.


Publicidade