‘3º Sinal’ tem agenda online com programação até dia 30 

529
Rodas de conversa terão participação de Paula Fernanda, Davi Lima, Gabriel Tonin e Fredy Allan (Foto: Divulgação)
Da redação

Devido à pandemia de novo coronavírus, o grupo experimental “3° Sinal” faz uma agenda diferenciada no mês de abril e promove conversas online através do Instagram, com artistas, diretores, professores e parceiros. As “lives” começaram no domingo, 5, e vão até o dia 30.

Respeitando a quarentena, o grupo experimental – que já havia agendado apresentações no CEU das Artes e em outras cidades, como Cerquilho e Mogi das Cruzes – entrou em recesso de aulas, ensaios e apresentações desde o dia 17 de março, “prezando pela saúde e bem-estar dos alunos e atores que participavam das aulas”.

De acordo com a coordenação, desde o início da quarentena, o conselho vinha estudando maneiras de manter o grupo ativo em meio ao isolamento.

Em reuniões online, o grupo pensou em realizar bate-papo ao vivo com artistas e parceiros envolvidos com o meio teatral, para comentar sobre temas variados.

Desta forma, o grupo acredita que haverá um fortalecimento no movimento cultural da cidade e, assim, poderá “fazer um intercâmbio de ideias e manifestações artísticas em Tatuí”.

Iniciadas pelo diretor, Cesar Santos, as salas de bate-papo ocorrem na conta oficial do grupo (@ter.sinal), contando com a participação de nomes como: Paula Fernanda, diretora da Trupe Garagem & Cia. de Teatro; Davi Lima, diretor da Cia. de Opinião; Gabriel Tonin, diretor, ator e dramaturgo do Grupo ArteemQ; e Fredy Allan, ator, diretor e dramaturgo.

A ideia é ter um convidado por dia. Entre os temas, estão: “Quais os impactos negativos que o teatro sofrerá, após controlada a epidemia”; “Importância do teatro nas escolas”; “Rede teatro da região Metropolitana de Sorocaba e fomento ao teatro no interior”. Os horários são variados. Os internautas podem acompanhar a agenda pelo instagram (@ter.sinal).

“Este se trata de um pequeno projeto que recebeu apoio de vários outros artistas de Tatuí e região, que também toparam a ideia. Então, até o fim de abril, haverá muita conversa”, conta o diretor.

Santos diz estar preocupado com o efeito que o isolamento social pode ter nas apresentações e nas aulas que ocorrem em espaços públicos da cidade, mas garante: “Quando a pandemia passar, o grupo voltará à ativa, já com datas marcadas de apresentações”.

Ainda segundo Santos, em setembro, o grupo comemora um ano e pretende realizar um sarau cultural, para revelar artistas e divulgar novos espetáculos.

“É algo novo, mas que pretende começar uma nova grande jornada que irá beneficiar não só o município de Tatuí, como também os artistas e parceiros locais”, conclui Santos.