1ª dose da vacinação contra Covid atinge 26,10% da população

131
Publicidade
Da reportagem

A campanha de vacinação contra a Covid-19 já atingiu mais de 26% da população tatuiana com a aplicação de pelo menos uma dose de imunizante contra a doença. Os dados são apontados em levantamento feito por O Progresso com base nas divulgações da Vigilância Epidemiológica.

Apresentando os números relativos a uma semana completa, para efeito de comparação, e considerando o fechamento de sua edição de final de semana (às sextas-feiras), O Progresso apresenta o avanço da vacinação de segunda-feira a domingo.

Conforme a pesquisa, até o dia 6, domingo passado, 2.435 tatuianos haviam sido vacinados entre 31 de maio e 6 de junho, sendo 2.324 aplicações referentes à primeira dose e outras 111 para completar o ciclo de imunização, com a segunda dose.

Na semana analisada, mesmo com a abrangência de novos públicos-alvo, a Secretaria Municipal de Saúde registrou procura menor que a da semana anterior. Entre 24 e 30 de maio, 3.900 tatuianos foram vacinados.

Até o domingo passado, a cidade totalizou a aplicação de 46.595 doses das vacinas Coronavac e da Oxford/AstraZeneca, sendo 32.099 equivalentes à primeira e 14.496, à segunda. No período anterior, a tabela mostrava 44.160 doses aplicadas, sendo 29.775 da primeira e 14.385 da segunda.

Publicidade

De acordo com estimativa do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), Tatuí tem 122.967 moradores. Ou seja, a imunização havia atingido 26,10% da população com a primeira dose e 11,78% com a segunda.

As primeiras doses de vacina contra Covid-19 chegaram a Tatuí no dia 21 de janeiro. Os primeiros vacinados na cidade foram os profissionais de saúde e, logo depois, os idosos, por ordem decrescente de idade.

Desde então, a semana com menor número de pessoas vacinadas foi a de 22 a 28 de fevereiro, com 325 imunizações (270 da primeira dose e 55 da segunda). Já a semana de maior abrangência ocorreu de 19 a 25 de abril, atingindo 5.350 pessoas, sendo 2.863 com a primeira dose e 2.487 com a segunda.

Nesta sexta-feira, 11, conforme divulgado pela VE, o município deu início à imunização de um novo público-alvo. Foram vacinados os moradores sem comorbidades a partir de 57 anos completos.

Também são imunizados os tatuianos com comorbidades acima de 18 anos e gestantes e puérperas sem comorbidades.

Para receber a imunização, os moradores com comorbidades necessitam apresentar comprovante da condição de risco por meio de exames, receitas, relatório médico ou prescrição médica.

Já as gestantes devem apresentar a carteira de pré-natal e as puérperas, a certidão de nascimento do bebê. Nos casos de gestantes e puérperas com comorbidades, também é preciso comprovação através de receita ou atestado médico.

A VE prossegue a vacinação de pessoas com deficiência permanente e cadastradas no programa BPC (Benefício de Prestação Continuada) da assistência social, acima dos 18 anos. Os munícipes deste grupo devem apresentar comprovante do recebimento do BPC.

Também continua a imunização de motoristas e cobradores de ônibus do transporte público urbano e intermunicipais. É obrigatório o pré-cadastro no sistema www.vacinaja.sp.gov.br, pois é necessária a apresentação do QR Code para aplicação da vacina.

O órgão ainda aplica a primeira dose em tatuianos com síndrome de Down e transplantados, de 18 a 59 anos, e em profissionais da Educação acima de 45 anos.

Já a segunda dose do imunizante prossegue sendo aplicada em profissionais da Saúde e aos idosos a partir de 64 anos, respeitando a data agendada na carteirinha de vacinação.

As doses são aplicadas em sistema drive thru somente no estacionamento da futura sede da prefeitura, em frente à UPA, das 8h às 17h. Os pedestres podem receber a imunização na UBS “Dr. Aniz Boneder”, centro, das 8h às 16h.

As comorbidades definidas pelo Ministério da Saúde como doenças cardiovasculares são: insuficiência cardíaca; cor-pulmonale e hipertensão pulmonar; cardiopatia hipertensiva; síndrome coronarianas; valvopatias; miocardiopatias e pericardiopatias; doença da aorta, dos grandes vasos e fístulas arteriovenosas; arritmias cardíacas; cardiopatias congênitas no adulto; e próteses valvares e dispositivos cardíacos implantados.

Já as doenças crônicas, segundo o Ministério da Saúde, são: diabetes mellitus, pneumopatias crônicas graves, hipertensão arterial resistente, hipertensão artéria estágio 3, hipertensão estágios 1 e 2 com lesão e órgão alvo, doença cerebrovascular, doença renal crônica, imunossuprimidos (incluindo pacientes oncológicos), anemia falciforme, obesidade mórbida, cirrose hepática e HIV.

Publicidade