Vacinas – perguntas e respostas (parte 2)

490

Por que a vacina tríplice (DPT) não deve ser aplicada após os seis anos de idade ?

A DPT – vacina tríplice, que protege contra a difteria, pertussis (coqueluche) e tétano não deve ser usada a partir dos seis anos pela possibilidade do componente pertussis provocar complicações neurológicas em crianças nessa faixa etária. Hoje em dia, usa-se a tríplice do adulto (dtPa) – tríplice acelular com dose reduzida dos antígenos da difteria e do tétano, encontrada nas clínicas particulares de vacinação.

O que é o hemófilus?

O Haemophilus influenza do tipo B (HIB) é uma bactéria que pode causar diversos tipos de infecções nas crianças, principalmente a meningite, dentre outras doenças, como: pneumonia, epiglotite, otite média aguda, artrite séptica e até septicemia.

Essas infecções costumam ser muito graves, pois essa bactéria é muito agressiva, por ser invasiva e pode acarretar muitas complicações.  Essa bactéria atinge as crianças, com mais frequência na faixa etária de RN até cinco a seis anos. Hoje, o melhor método para prevenir a infecção por Haemophilus é através da vacina, que deve ser iniciada com dois meses de idade. Ele está presente também na vacina Penta ou Hexa.

Qual o esquema de vacinação contra o hemófilus?

Devem ser feitas três doses: com dois, quatro e seis meses e um reforço um ano após a última dose. Em crianças entre 6 e 12 meses, devem ser feitas duas doses com intervalo de um ou dois meses e um reforço aos 15 meses de idade.

Por que toda mulher deve ser vacinada contra a rubéola?

Porque essa doença, se atingir a mulher grávida no primeiro trimestre, pode ocasionar sérias sequelas para o recém-nascido, como surdez, cegueira e retardo mental. A vacina de rubéola deve ser feita juntamente com a vacina contra o sarampo e a caxumba (tríplice viral), também conhecida como MMR (iniciais em inglês dessas três doenças).

A primeira dose é feita com um ano de idade. Uma dose de reforço dessa vacina deve ser feita aos 18 meses. As mulheres, antes de se casarem (ou de terem filhos), devem ter a certeza absoluta se já tiveram ou não a rubéola (isso pode ser detectado através de exame de sangue).

Se houver dúvida, deve consultar um ginecologista, que a orientará corretamente. Hoje, já se tornou comum a mulher fazer o exame ginecológico pré-nupcial e também se vacinar contra a rubéola, antes de engravidar.    Mulher seja responsável com o fruto do vosso ventre!

Catapora e varicela são doenças diferentes? 

Não! É a mesma coisa. Catapora é a denominação mais popular da varicela. A varicela (catapora) é uma doença infectocontagiosa, causada por um vírus (do grupo dos herpes vírus); é uma doença própria da infância e costuma atingir crianças mais na faixa etária de cinco a nove anos. O vírus pode ficar incubado no organismo e causar, em pessoas da terceira idade, o herpes zoster (“cobreiro”), para o qual existe vacina, que pode ser feita após os 45 anos (Zostavax).

Existe vacina contra a varicela (catapora)? 

Sim. Por ser uma doença comumente benigna, até há pouco tempo não existia vacina contra a catapora. Atualmente, existe a tetra viral (sarampo, caxumba, rubéola e varicela), que é dada com um ano, no lugar da tríplice viral (sarampo, caxumba e rubéola) e deve ser feita uma dose de reforço aos 18 meses. Ou então, quem já tomou a tríplice viral pode ser feita a vacina contra a varicela isolada (Varilrix).

Qual a idade que faz a vacina contra o sarampo?

O sarampo é uma doença causada por um vírus e, às vezes, pode ser grave. Portanto, não se deve deixar de fazer a vacina contra o sarampo. Preconiza-se a aplicação da vacina com um ano de idade, e um reforço aos 18 meses de idade associada (pode ser dada através da vacina tríplice viral ou a vacina quádrupla viral)

* Especialista em pediatria pela AMB (Associação Médica Brasileira) – SBP (Sociedade Brasileira de Pediatria) e membro da Sbim (Sociedade Brasileira de Imunizações) e da Asbai (Associação Brasileira de Alergia e Imunologia)