Vacina Hexavalente

181
Dr. Jorge Sidnei Rodrigues da Costa *

Hexavalente(nomes comerciais – Hexaxim e Infanrix Hexa) – Como o próprio nome sugere, a Hexa é composta de seis vacinas juntas numa só aplicação. É composta da tríplice acelular (DTPa) – contra a difteria, tétano e coqueluche + Hib –Hemophilus influenzaB (contra meningite) + hepatite B + pólio inativada (Salk) contra a paralisia infantil.

O componente contra a coqueluche presente na vacina tríplice acelular é fabricada a partir da proteína da Bordetella pertussis (a bactéria que causa a tosse comprida) e não é feita com a cápsula dessa bactéria, que está presente na tríplice tradicional (DTP), componente este considerado responsável pelas reações indesejáveis dessa vacina, como a febre alta e muita dor no local.

Uma das reações mais graves da DTP comum é a hiporresponsividade, onde a criança fica “largada” e muito sonolenta, às vezes, por 12 a 24 horas, podendo ter febre alta e até desenvolver uma crise convulsiva.

Se essareação acontecer na primeira dose da vacina feita com dois meses de idade, por indicação médica, da segunda dose em diante, feita com quatro meses, recomenda-se fazer a DTPa – tríplice acelular. A tríplice na vacinação primária é feita com dois, quatro, seis meses e depois mais um reforço, com 15 meses, e o último reforço, entre 4 a 6 anos de idade.

A hexa é usada para proteger lactentes e crianças de seis semanas a 24 meses de idade contra doenças infecciosas: contra difteria, tétano, coqueluche (tosse comprida), hepatite B, poliomielite e doenças graves causadas pelo Haemophilus influenzae tipo b.

Como funciona?

A Hexa funciona induzindo o corpo a produzir sua própria proteção (anticorpos) contra as bactérias e vírus que causam estas diferentes infecções:a difteria é uma doença infecciosa que normalmente afeta primeiro a garganta.

Na garganta, a infecção causa dor e inchaço que pode provocar sufocação. A bactéria que causa esta doença também produz uma toxina (veneno) que pode afetar o coração, os rins e os nervos.

O tétano é normalmente causado quando a bactéria tetânica entra em um ferimento. A bactéria produz uma toxina (veneno) que causa espasmos nos músculos, que podem levar à dificuldade para respirar e possivelmente a sufocação.

A coqueluche (também conhecida como tosse comprida) é uma infecção bacteriana das vias respiratórias que pode ocorrer em qualquer idade, mas normalmente afeta bebês e crianças.

As crises de tosse cada vez mais graves e que podem durar várias semanas são características desta doença. As crises de tosse podem ser seguidas por um ruído convulso (“guincho”).

A coqueluche pode se tornar uma doença grave e até fatal. A hepatite B é causada pelo vírus da hepatite B. Ela faz com que o fígado fique inchado (inflamado). O vírus é encontrado em fluidos do corpo como sangue, sêmen, secreção vaginal ou saliva de pessoas infectadas.

A poliomielite é causada por vírus que afetam os nervos. Isto pode levar à paralisia ou fraqueza muscular, comumente das pernas. A paralisia dos músculos que controlam a respiração e a deglutição (usados para engolir) pode ser fatal.

Os casos de paralisia infantil, quando curados, podem levar à atrofia dos membros inferiores.As infecções causadas pela Haemophilus influenzae tipo b (normalmente chamada de Hib) são infecções bacterianas graves que podem causar meningite (inflamação da membrana que recobre o cérebro), infecções do sangue, pulmões, inflamação do tecido sob a pele, inflamação das juntas e ossos e inflamação da parte de trás da garganta, causando dificuldade para engolir e respirar. Esse tipo de meningite diminuiu muito depois que foi inserida no calendário do SUS (PNI- Programa Nacional de Imunizações).

Como usar a Hexa

A vacina será administrada na sua criança por um profissional da saúde treinado para a aplicação de vacinas.O médico aplicará Hexa no músculo da coxa (face lateral da coxa) ou no braço de sua criança.

Se mais de uma vacina será aplicada em um mesmo dia, elas devem ser injetadas em locais diferentes. A administração deve ser feita por via intramuscular. As vias intradérmica e intravenosa não devem ser utilizadas.

Dosagem primária

Sua criança receberá três injeções de 0,5mL (normalmente aos dois, quatro e seis meses de idade), em intervalos de um ou dois meses (ao menos quatro semanas de diferença), de acordo com o calendário de vacinação local.

Vacinação de reforço

Após a vacinação com três doses, de acordo com o calendário de vacinação local, sua criança receberá uma dose de reforço de 0,5ml. O médico dirá quando esta ou outras doses de reforço devem ser administradas.

Obs.: Essa vacina não é feita de rotina nos postos de saúde – pelo SUS

Fonte: Internet: site do Ministério da Saúde.

*Médico com título de especialista pela AMB (Associação Médica Brasileira) e SBP (Sociedade Brasileira de Pediatria), membro da SBIm (Sociedade Brasileira de Imunizações) e sócio-proprietário do Cevac (Centro de Vacinação Humana de Tatuí.