UTI de Santa Casa tem nova equipe e ampliação de leitos

1604
Setor terá área específica para atender quem tiver problemas renais
Publicidade

A partir deste mês, a UTI (unidade de terapia intensiva) da Santa Casa de Misericórdia está funcionando com nova equipe. Sob intervenção da Prefeitura, o hospital anunciou a mudança na quarta-feira, 1º, quando a médica intensivista Valéria Moreira começou a coordenar os trabalhos. Ela substitui Eduardo Lanaro, profissional que atuava à frente do setor desde setembro de 2016.

De acordo com a médica, a proposta é fazer diagnóstico da unidade e renovar o sistema de atendimento. Valéria antecipou que os trabalhos em Tatuí começaram pelo levantamento de dados. “Os planos são de remodelação de todo sistema residencial e de protocolo de visitas médicas. Como entramos no dia 1º, já implementamos algumas novidades, mas teremos dados mais concretos no final deste mês”, argumentou.

A meta é que, em dezembro, o corpo médico esteja “inteirado” de como se dão os procedimentos. Bem antes disso, a coordenadora espera começar a atender mais pacientes.

Isso porque a Prefeitura iniciou, na segunda-feira, 6, as obras de ampliação dos leitos da unidade. Dos oito atuais, a UTI passará a contar com dez, sendo um a mais e um “box” para atendimento da diálise.

De acordo com o Executivo, as obras de aumento da capacidade de atendimento devem ser rápidas. A Prefeitura estima concluir os trabalhos até o fim desta semana.

Publicidade

Segundo explicou a coordenadora, a ampliação implicará em aumento da área útil da UTI. “Como está havendo uma obra física, nós teremos, sim, um reaproveitamento de espaço, que estava sendo pouco utilizado”, apontou a intensivista.

Valéria mencionou, ainda, que novos profissionais serão agregados para prestar melhor atendimento à população. No momento, nove médicos atendem aos pacientes do hospital. Entre eles, estão clínicos gerais, cardiologistas e intensivistas. “Alguns continuam conosco e novos estão sendo agregados”, comentou.

As obras não interromperam os atendimentos, mas devem resultar em melhoria, principalmente, para os pacientes internados e que evoluem para diálise. “O serviço continua sendo realizado pela UTI, mas, quando o box estiver concluído, ele será ofertado de maneira mais organizada”, explicou.

O hospital disponibiliza hemodiálise desde 2014, sendo realizado por meio de duas máquinas instaladas na UTI desde o início de novembro de 2013.

Os equipamentos foram adquiridos a partir de entendimento entre o hospital e a Prefeitura, resultado de trabalho da Secretaria Municipal da Saúde.

A Santa Casa recebeu autorização da Vigilância Sanitária para utilizar as máquinas há mais de três anos: em 20 de janeiro de 2014, após assinatura de contrato entre a empresa especializada pela operacionalização dos equipamentos (Nefro Lins Clínica Apoio Dialítico Ltda., de Lins), o hospital e a Prefeitura.

O primeiro atendimento de diálise realizado pelo hospital foi feito um mês depois da autorização. O serviço é oferecido a pacientes renais crônicos internados na UTI e que venham a precisar da hemodiálise. Conforme o hospital, os custos dos tratamentos ficam a cargo do SUS (Sistema Único de Saúde).

A diálise é um procedimento de alta complexidade e evita a transferência de pacientes toda vez que eles precisam de tratamento específico para os rins.

Antes da diálise, o hospital tinha de remover pessoas que evoluíam para tratamento de hemodiálise por causa das altas doses de medicamentos antibióticos.

Publicidade