Tatuí abre 123 novos postos de trabalho no mês de novembro

No acumulado do ano, Caged aponta a geração de 1.641 vagas

56
Município gera mais de 1.600 novos postos de trabalho em 2021
Publicidade
Da reportagem

As contratações do mercado de trabalho formal em Tatuí fecharam com saldo positivo pelo 11º mês consecutivo neste ano. Dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) apontam a geração de 123 novos postos em novembro.

O órgão da Secretaria Especial de Previdência e Trabalho, do Ministério da Economia, divulgou o resultado de novembro na manhã de quinta-feira, 23. Os números referentes a dezembro devem ser divulgados até 30 de janeiro de 2022.

Conforme o cadastro, o município somou 881 admissões e 758 demissões em novembro. Apesar do saldo positivo, o resultado é menor que o do 11º mês de 2020, quando Tatuí somou 272 novas vagas formais.

No 11º mês, quatro dos cinco setores analisados pelo Caged criaram vagas. Segundo o levantamento, a estatística de novembro é liderada pelo comércio, com a abertura de 69 novos postos. O saldo é resultado de 338 contratados para 269 desligados.

O setor comercial é o terceiro maior empregador do município, com o estoque de 7.556 funcionários formalizados, o que representa 27,08% do total de empregados até novembro. Até então, o Caged apontava 27.902 trabalhadores com carteira assinada – variação de 0,44% em relação ao mês anterior.

Publicidade

Entre os subsetores do comércio, o melhor resultado foi o do mercado varejista, responsável pela abertura de 66 vagas em novembro. O saldo é advindo de 266 contratações para 200 demissões.

Em seguida, vem o comércio de reparação de veículos automotores e motocicletas, com saldo positivo de quatro vagas (26 admissões para 22 desligamentos); e o comércio por atacado, com a perda de uma vaga – resultado de 46 contratações para 47 demissões.

O segundo melhor resultado do mês de novembro foi o da construção civil. A atividade econômica gerou 30 postos de trabalho formal, com 68 contratações e 38 desligamentos (variação de 4,44% em relação ao mês anterior).

O setor concentra 2,53% da mão de obra no município, com 706 trabalhadores nas áreas de obras de infraestrutura, construção de edifícios e serviços especializados para a construção.

Na análise do saldo dos subsetores da atividade, o melhor resultado é o da construção de edifícios, com a criação de 16 vagas, advindas de 37 contratações e 21 desligamentos.

O subsetor de serviços especializados para a construção aparece em seguida, com saldo de oito novas vagas, advindas de 17 admissões para nove demissões. Já o setor de obras e infraestrutura fechou o mês com saldo de seis novas vagas, resultado de 14 contratados para oito demitidos.

Na terceira posição entre os que mais geraram vagas em novembro, está o setor de serviços. A atividade econômica é a maior empregadora da cidade e concentrou 34,83% do estoque de empregos em novembro, com 9.721 trabalhadores (variação de 0,20% em relação ao mês anterior).

Entre os subsetores, o destaque do mês foi para os serviços de alojamento e alimentação. A atividade gerou 25 novos postos de trabalho formal, advindos de 64 admissões e 39 demissões.

Em seguida, também com saldo positivo, aparecem “outros serviços”, com a abertura de 15 novas vagas (24 para nove); informação, comunicação e atividades financeiras, com cinco (74 para 69); e transporte, armazenagem e correio, com um novo posto (61 para 60).

O setor de serviços domésticos ficou inalterado. Já o de administração pública, defesa, seguridade social, educação, saúde humana e serviços sociais terminou o mês de novembro com saldo negativo de 27 vagas. A atividade registrou 47 funcionários e demitiu 74 no período.

Na quarta posição entre os setores que mais geraram vagas em novembro, está a indústria. A atividade econômica é a segunda maior empregadora da cidade e concentrou 30,18% do estoque de empregos em novembro, com 8.422 trabalhadores.

Na análise entre os subsetores, o melhor resultado é o da indústria de extrativas. A atividade foi responsável pela abertura de sete vagas no setor, advindas de 19 contratações e 12 desligamentos.

Em seguida, aparecem a indústria de água, esgoto, atividades de gestão de resíduos e descontaminação, com mais um posto (sete admissões para seis demissões) e a indústria de transformação, com 168 admissões e 168 desligamentos. Na indústria de eletricidade e gás, não houve alterações.

O único dos cinco setores analisados pelo órgão federal a fechar o 11º mês com saldo negativo é a atividade agropecuária. Conforme o Caged, o setor contratou 11 novos funcionários, mas demitiu 14, resultando em variação de menos 0,20% na comparação com o mês anterior.

A atividade econômica, que abrange agricultura, pecuária, produção florestal, pesca e aquicultura, é a quarta maior contratadora do município, e, segundo o cadastro, concentrou 5,36% do estoque de empregos contabilizados até o 11º mês do ano, com 1.497 funcionários.

Acumulado

As contratações de novembro contribuíram para manter o saldo positivo na soma dos primeiros 11 meses do ano. Entre janeiro e novembro, Tatuí gerou 1.641 novas vagas de emprego – advindas de 10.378 contratações para 8.737 demissões.

Na soma dos 11 meses de 2021, os cinco setores analisados pelo Caged geraram novos postos. A estatística é liderada pela indústria, com saldo de 608 novas vagas (2.729 admissões e 2.121 desligamentos).

O segundo setor com maior saldo na geração de emprego nos 11 meses é o de serviços. A atividade econômica abriu 572 novos postos, advindos de 3.520 contratações para 2.948 desligamentos.

Em terceiro lugar na lista dos que mais geraram empregos neste ano, vem o setor de comércio, com saldo positivo de 248 postos de trabalho formal. O resultado vem de 3.370 admissões para 3.122 demissões.

Em seguida, aparece o setor da construção civil. Nos primeiros 11 meses, a atividade econômica foi responsável pela geração de 706 novas vagas, advindas de 561 admissões e 407 desligamentos.

Por último na lista dos setores que mais empregaram no ano, aparece a agropecuária. A atividade econômica foi responsável pela geração de 59 novas vagas, advindas de 198 admissões e 139 desligamentos.

Saldo nacional

O saldo de Tatuí segue tendência nacional. Conforme o balanço do órgão do Ministério da Economia, o Brasil fechou os primeiros 11 meses de 2021 com saldo positivo de 2.992.898 empregos formais.

O saldo nacional é resultado de 19.136.617 admissões e 16.143.719 desligamentos. Com isso, o estoque de empregos formais no país chegou a 41.551.993, o que representa variação de 7,76% em relação ao estoque contabilizado até o mês de outubro.

Os números mostram que, na totalização dos 11 meses, todos os grupamentos de atividades econômicas apresentaram saldo positivo, também com destaque para o setor de serviços, com a geração de 1.332.484 novos postos.

Somente em novembro (resultado mais recente divulgado pelo órgão), o país gerou 324.112 novos postos, advindos de 1.772.766 contrações e 1.448.654 desligamentos. No 11º mês, o melhor resultado também foi do setor de serviços, com a geração de 19.530.036 novos postos.

Publicidade