Tabela de vacinação do prematuro atualizada

816

Tão importante quanto os cuidados da mamãe, o leite materno e o carinho é também a vacinação. Ela entra no grupo de cuidados imprescindíveis na atenção com a saúde das crianças e bebês, incluindo os prematuros (recém-nascidos com menos de 37 semanas de gestação).

Este artigo traz todas as informações e orientações para que a proteção contra as doenças infecciosas possa ocorrer o quanto antes, de forma segura e visando o melhor resultado de imunização.

Os calendários de vacinação da Sbim contemplam as vacinas disponíveis nos postos de saúde, por meio do PNI (Programa Nacional de Imunizações) e também aquelas que ainda não foram incorporadas à rede pública, mas que são aprovadas pelo Ministério da Saúde e, igualmente, importantes na prevenção de agentes infecciosos.

Também informam sobre as vacinas combinadas que possibilitam redução do número de injeções aplicadas, gerando mais conforto e menos sofrimento para as crianças.

Prematuro

Ao nascimento – BCG ID –, contra tuberculose e meningite tuberculosa (deve ser aplicada na maternidade, em RN com peso igual ou maior a 2.000 gramas). Também aplicar a primeira dose de hepatite B na maternidade, e, posteriormente, as outras duas doses (2 e 6 meses). Nos RN com menos de 33 semanas de gestação e/ou com menos de 2.000 gramas ao nascimento, além da primeira dose no berçário, fazer mais três doses (1-2-7 meses).

Rotavírus – não utilizar a vacina em ambiente hospitalar. Aplicação somente com indicação médica.

Palivizumabe (Synagis) – para proteger contra o vírus sincicial respiratório. Mais comum em nosso meio no período de março a setembro.

Tríplice bacteriana – utilizar vacinas acelulares. Opção: fazer a Hexa (seis aplicações numa só aplicação: DTPa+Hib+HB+IPV)

Poliomielite – utilizar somente a IPV (pólio injetável presente na vacina Hexa).

Pneumocócica conjugada – iniciar o mais precocemente possível (aos 2 meses), respeitando a idade cronológica. Preferência para a Pneumocócica 13 valente (Prevenar 13). Quatro doses: 2, 4, 6 meses e um reforço aos 15 meses.

Influenza (gripe trivalente) – com seis meses (idade cronológica), duas meias doses com intervalo de um mês. Os contactantes (pais, avós e tios) devem também tomar a vacina contra a gripe trivalente.

Hemofilus influenza tipo B (HIB) – na rede pública, para os RN prematuros extremos, é disponibilizada pelos Cries e, nesses casos, a conduta do Ministério da Saúde é adiar a aplicação da HIB para após 15 dias.

As vacinas combinadas (DTPa com HIB+IPV+HB) – que é a Hexa é preferencial, pois permitem a aplicação simultânea e se mostraram eficazes e seguras para os prematuros. Temos também a Penta (que contém todos da Hexa menos a hepatite B), que pode ser uma opção segundo for a idade cronológica de aplicação.

* Médico pediatra com título de especialista em pediatria pela AMB (Associação Médica Brasileira) e pela SBP (Sociedade Brasileira de Pediatria) e membro da Sbim (Sociedade Brasileira de Imunizações).