SECTLJ lança campanha de incentivo para aumentar registro no Cadastur

125
Capa da plataforma virtual do Cadastur (Foto: AI Prefeitura)
Publicidade
Da reportagem

A Secretaria de Esporte, Cultura, Turismo, Lazer e Juventude lançou, neste mês, uma campanha de “sensibilização” visando aumentar o número de estabelecimentos do “trade” turístico registrados no Cadastur (Cadastro Unificado dos Prestadores de Serviços Turísticos), mantido pelo Mtur (Ministério do Turismo).

De acordo com o secretário da SECTLJ, Cassiano Sinisgalli, o intuito da ação ainda é “fomentar” a retomada gradual dos negócios turísticos e preparar Tatuí para o ranqueamento dos MITs (municípios de interesse turístico) e estâncias turísticas, da Secretaria Estadual de Turismo.

“Em reunião informal com a Amitesp (Associação dos Municípios de Interesse Turístico do Estado de São Paulo), falamos sobre possíveis mudanças no regulamento do ranqueamento, e, provavelmente, o Cadastur vai contar ponto”, informou o secretário.

“Ele é um cadastro único, pertence ao Ministério do Turismo e com grande relevância, que pode nos ajudar a conquistar o título de estância turística. Pensando nisso, estamos retomando este incentivo ao Cadastur e fazendo a lição de casa para preparar a cidade para o ranqueamento e para uma retomada”, acrescentou Sinisgalli.

O secretário explica que o Cadastur é uma importante fonte de consulta para turistas e empresários e visa o cadastro nacional das empresas e profissionais que atuam no setor de turismo.

Publicidade

Segundo ele, o cadastro no sistema do Mtur ainda “traz vantagens” ao empresário ou prestadores de serviços turísticos, como: acesso a financiamentos por meio de bancos oficiais; apoio em eventos, feiras e ações do MTur; incentivo à participação em programas e projetos do governo federal; participação em programas de qualificação promovidos e apoiados pelo MTur; e visibilidade nos sites do Cadastur e do programa “Viaje Legal”.

“Tem essas vantagens. Além disso, você é cadastrado sem nenhum custo, se torna referência nacional e, quando tem eventos e feiras de turismo – que a gente acredita que podem retornar depois de agosto –, ainda terá prioridade para a participação ou oferecimento dos serviços. Eu só vejo benefícios”, disse Sinisgalli.

“Para uma empresa terceirizada que quer fazer seu evento coorporativo, por exemplo, o registro no sistema do Mtur funciona como uma referência. Quando a empresa informa estar cadastrada, o contratante já vai ver que se trata de um estabelecimento sério”, exemplificou.

Podem se cadastrar restaurantes, cafeterias, locadoras de veículos, casas de espetáculos, hotéis, bares, docerias e lojas do comércio em geral, entre outras atividades dos ramos de turismo e entretenimento.

“Por aí já se vê que o cadastro é muito importante. Mas, além das vantagens, a plataforma é gratuita, e é importante ressaltar que ela aceita cadastros de pessoas jurídicas e físicas que atuam no turismo”, argumentou o secretário.

Conforme a lei 11.771, de 17 de setembro de 2008, o registro é obrigatório para acampamentos turísticos, agências de turismo, meios de hospedagem, organizadoras de evento, parques temáticos e transportadoras. A obrigatoriedade também é válida para guias de turismo (conforme lei 8.623, de 28 de janeiro de 1993).

O gestor da pasta aponta já ter incentivado o cadastro em outras oportunidades, por meio da SECTLJ, contudo, diz que reforçará as ações, objetivando triplicar o número de estabelecimentos registrados na plataforma.

“Atualmente, temos cerca de 30 estabelecimentos cadastros na plataforma, mas nós sabemos que a cidade tem muito mais do que isso. Quanto mais registros tivermos, melhor para a cidade e para o trade”, argumentou o secretário.

No geral, não há um prazo específico para a finalização do cadastro. Conforme o secretário, o registro é aberto o ano todo. Contudo, ele enfatiza que, “por ser importante para o ranqueamento”, o indicado é realizar o registro o quanto antes.

A intenção da secretaria, segundo informou o secretário, é realizar duas etapas da campanha. A primeira envolve a divulgação do cadastro por meio da imprensa e dos canais de comunicação da prefeitura e da secretaria, a ser finalizada em 30 dias.

Já em uma segunda fase, Sinisgalli antecipou ter firmado parceria com o Comtur (Conselho Municipal de Turismo) de Tatuí para fazer o cadastramento dos estabelecimentos durante as reuniões do conselho.

“Vamos começar a fazer reuniões com o trade turístico, cada dia com um setor – de forma virtual ou presencial (com turma reduzida) -, para explicar como funciona o cadastro, a importância dele e até disponibilizar uma equipe para que, no dia da reunião, eles já saiam de lá com o cadastro feito”, contou o secretário.

Sinisgalli enfatiza que incentivar os estabelecimentos do trade turístico a se cadastrarem na plataforma do Mtur é “uma das inúmeras ações de fomento ao turismo que Tatuí vem adotando”.

Ele ainda aponta o turismo como uma ferramenta de geração de renda e empregos, “que movimenta as vendas no comércio local e fortalece diversos setores da economia”, entre eles, o gastronômico, o cultural e o da economia criativa.

“Tatuí é uma das primeiras cidades do estado de São Paulo a ser reconhecida como Município de Interesse Turístico, justamente por acreditar no potencial da atividade turística, e queremos valorizar isso cada vez mais”, conclui Sinisgalli.

O registro no Cadastur é gratuito e deve ser feito pelo https://cadastur.turismo.gov.br.

Publicidade