Projeto apresenta docudrama “Clara” pelo Dia da Mulher

147
Atriz Ju Assis interpreta a minissérie documental “Vem Cá me Ler” (foto: divulgação)
Da redação

Na semana em que se celebra o Dia Internacional da Mulher (8 de março), o projeto “Vem Cá me Ler” estreou o docudrama (minissérie em formato de documentário dramatizado) “Clara”, de Tatiana Teles Rodrigues da Costa.

Interpretado pela atriz Ju Assis, o “Vem Cá me Ler” é uma minissérie documental e, segundo informa a idealizadora, traz relatos reais de superação de abusos em contextos religiosos que foram transformados em poesia.

“O docudrama ‘Clara’ apresenta uma mulher descobrindo que quer ser ela mesma, e agora respira. Porém, teve um passado marcado por violências extremas”, descreve o projeto.

“Para alívio e mudança, Clara buscaria um lugar onde poderia encontrar respostas espirituais, até que encontrou uma seita terrível, onde ficou presa por um tempo”, segue a descrição.

“Em reconexão e reencontro com ela mesma, Clara conta sua história e sua superação, e transforma sua mais profunda dor em poesia”, conclui o projeto.

O trabalho recebeu recursos da Lei Aldir Blanc (lei federal 14.017/2020), pelo decreto municipal 20.657, de 16 de julho de 2020. Para prestigiar o projeto “Vem Cá me Ler”, basta acessar o link: instagram.com/tatianavemca

O projeto

Segundo Tatiana, o “Vem Cá me Ler” relata histórias reais de superação de abusos sofridos em contextos religiosos. “O título é um convite para a leitura de histórias guardadas, que foram transformadas em palavras de força, esperança e transcendência”, ressalta.

“Ao extrair e divulgar histórias de superação de relacionamentos abusivos e abusos e sua relação próxima com a religião, sejam abusos psicológicos, espirituais ou sexuais, antes mantidas em silêncio por medo de retaliação, escárnio e difamação, o objetivo do projeto, além de elucidar as características deste distúrbio psicopático cada vez mais comum, é conscientizar e acolher”, conclui.