Programa ‘Caminhos para a Cidadania’ da ‘CCR’ tem ampliação 

97
Ensino híbrido aplicado na cidade de Tatuí (Foto: AI CCR SPVias)
Publicidade
Da redação

Diante do cenário de pandemia, em que o ensino híbrido se fez necessário e se expandiu, o programa de apoio e formação de educadores “Caminhos para a Cidadania”, coordenado pelo Instituto CCR, passou a oferecer materiais para integrar aulas presenciais e remotas.

No site do programa (www.caminhosparaacidadania), professores e alunos encontram conteúdos, como sugestões de atividades, livros, filmes, séries, jogos, lições de cidadania e autoconhecimento, entre outros recursos, todos gratuitos e disponíveis ao público geral.

Em nota à imprensa, a assessoria de comunicação do instituto classifica a medida como “uma solução para se adequar à nova realidade”.

“Professores mais perto, mesmo à distância. Esse é um dos novos mantras do Caminhos para a Cidadania. E para auxiliar o ensino híbrido, nova realidade das escolas públicas no pós-pandemia, o projeto traz soluções para consolidar o tema”, destaca o instituto.

O Caminhos para a Cidadania atende mais de 87 mil alunos de escolas públicas de 71 municípios do Brasil, concentrados em grandes regiões dos estados de São Paulo, Paraná e Rio de Janeiro.

Publicidade

A iniciativa contempla a rede de ensino fundamental I, do primeiro ao quinto ano, das escolas municipais de cidades que recebem trechos das rodovias administradas pelo Grupo CCR.

No trecho da CCR SPVias, Tatuí e outros 20 municípios serão beneficiados: Águas de Santa Bárbara, Alambari, Avaré, Buri, Capela do Alto, Cerqueira César, Cesário Lange, Itaberá, Itaí, Itapetininga, Itapeva, Itararé, Pardinho, Porangaba, Quadra, Santa Cruz Do Rio Pardo, São Miguel Arcanjo, Sarapuí, Taquarivaí e Torre de Pedra.

“Estamos investindo em opções de ensino híbrido com um repertório 100% digital, cuidadosamente dividido em três frentes: professores, alunos e familiares”, explica Cristine Naum, gerente executiva de sustentabilidade e do Instituto CCR. “São as três camadas mais sensíveis do ecossistema educacional”, completa.

O instituto afirma ter um “conceito de cidadania bem amplo”, por isso ressalta que o programa aborda diversos assuntos: preservação do meio ambiente, diversidade e inclusão, bullying, pertencimento, alimentação, cidadania digital, empreendedorismo e competências socioemocionais, entre outros.

“Em 2021, a cidadania passou a ser o tema principal do nosso programa, que na origem era de educação para o trânsito e que hoje é um poderoso facilitador para a rede do ensino fundamental I”, analisa Ariane Teles, do Instituto CCR, responsável pelo programa.

“Fortalecemos o projeto a partir das competências gerais da Base Nacional Comum Curricular (BNCC), opção fundamental para proteger os direitos de aprendizagem dos estudantes”, conclui Adriana.

Publicidade