Premiando a criatividade

404





Desde 1995, o jornal O Progresso promove o Concurso Artístico e Literário de Natal. Voltado a estudantes do ensino fundamental, o certame cultural tem como objetivo incentivar a criatividade e, ao mesmo tempo, premiar talentos.

Neste ano, 56 instituições de ensino do município receberam convite de participação. As escolas públicas e particulares tiveram a chance de estimular seus alunos a trabalhar o tema “Se eu fosse Papai Noel em Tatuí” em duas modalidades. O concurso aceitou trabalhos em “desenho” e “redação”.

Os vencedores em cada grupo de anos são premiados com R$ 250. A iniciativa concederá, na 19a edição, um total de R$ 2.500. O valor será dividido entre os primeiros colocados do 1o, 2o e 3o anos; 4o e 5o anos; 6o e 7o; e 8o e 9o.

As entregas serão realizadas pelos patrocinadores da iniciativa. São parceiros do concurso a loja Maricota, a Prudente Fórmulas – Farmácia de Manipulação, as lojas Picida e Sempre Bella Lingerie, a Alergoclin, a Paulo Motos, a escola de idiomas CCAA, o Colégio Objetivo e o Palácio do Sorvete.

Direcionado a alunos do ensino fundamental de escolas públicas e particulares do município, o certame cultural também aceitou inscrições de estudantes da Escola de Educação Especial “Wanderley Bocchi”, mantida pela Apae (Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais).

Este é o terceiro ano no qual a iniciativa – considerada a mais duradoura do município – é aberta para os alunos da instituição tatuiana. Eles, no entanto, só participarão na modalidade “desenho”.

Os demais estudantes do 1o ao 9o ano do ensino fundamental puderam concorrer com trabalhos também em “redação”. Eles tiveram de ser produzidos sobre o tema do concurso e entregues no bissemanário até o dia 25 de outubro.

O regulamento estipulava que os participantes tinham de incluir dados pessoais, como nome, endereço e telefone de contato no verso dos trabalhos. Também era preciso constar a idade e o ano de estudo do aluno, bem como o nome do professor orientador e do coordenador pedagógico das instituições.

A partir desta semana, os desenhos e redações serão encaminhados aos jurados. A comissão julgadora é formada por literários e artistas plásticos convidados pelo bissemanário. No total, nove jurados deverão avaliar os trabalhos.

Eles tiveram de ser produzidos de acordo com o regulamento. Não houve exigências para a modalidade “redação”. Os estudantes puderam escrever em qualquer estilo literário, desde que respeitando o tema do concurso. Já na modalidade “desenho”, os trabalhos tiveram de ser produzidos em papel sulfite, no tamanho A4 (21 cm X 29 cm), em qualquer estilo artístico e seguindo o tema.

As unidades de ensino começaram a enviar os primeiros trabalhos no dia 10 de outubro, um mês depois do recebimento dos convites. A entrega dos desenhos e redações ficou a cargo de professores e coordenadores pedagógicos e dos próprios alunos.

Como nos anos anteriores, os desenhos constituíram o maior número de trabalhos inscritos. A comissão organizadora ainda não contabilizou o total das produções. No entanto, verificou que faltam dados complementares em alguns desenhos e redações.

As informações são utilizadas para identificar os estudantes vencedores e para que os trabalhos possam ser separados e julgados de acordo com o ano de estudo.

O concurso teve preparativos iniciados em agosto deste ano. A comissão organizadora encerrou as entregas no início de setembro. No mês passado, voltou a entrar em contato com as unidades escolares para reforçar o convite e avisar sobre o prazo final de recebimento dos desenhos e redações.

Além dos prêmios, os vencedores terão os trabalhos publicados na edição especial de Natal, que circula no dia 22 de dezembro. Os desenhos e redações serão veiculados em caderno especial a ser produzido pelo bissemanário.

Mais que ilustrar páginas, o material representa a chance de crianças se destacarem no cenário literário e artístico e desenvolverem potencialidades. Aos professores, ele rende reconhecimento, uma vez que conta com a colaboração deles para poder acontecer. São os educadores que trabalham, com os estudantes, a temática do concurso dentro de suas respectivas disciplinas.

Por tudo isso, o concurso se consolida como iniciativa duradoura, premiando duplamente quem participa e quem tem a chance de vivenciar seus resultados.