População local pode participar de pesquisa sobre mobilidade urbana

1876
Mobilidade na área central é um dos desafios do trânsito (foto: Gabriel Guerra)
Publicidade

Buscando melhorar a relação de veículos e pedestres na rotina da cidade, a Prefeitura está colocando em prática, por meio da Secretaria de Segurança Pública e Mobilidade Urbana, desde o início do ano, o Plano Municipal de Mobilidade Urbana (PlanMob).

Atualmente, a população pode participar e opinar nas questões referentes ao trânsito em uma pesquisa, disponibilizada no site da Prefeitura (www.tatui.sp.gov.br), e que tem como objetivo levantar subsídios e dados para a elaboração do plano, ouvindo os usuários.

Sem o PlanMob, a cidade poderá ficar impedida de receber recursos federais destinados à mobilidade urbana. O prazo, por lei federal, para que ele esteja pronto é abril de 2019.

Segundo o diretor do Departamento Municipal de Mobilidade Urbana, Yustrich Azevedo, a pesquisa estará disponível até o final de março. Nela, as pessoas podem opinar sobre os trajetos utilizados, tempo médio de deslocamento, problemas enfrentados e a utilização de veículos não motorizados, como as bicicletas.

“O Plano de Mobilidade Urbana é elaborado pelo município levando em consideração quem está no trânsito diário da cidade, principalmente, de quem necessita utilizar o transporte coletivo. O plano não é elaborado só com o poder público, e sim em parceria com a comunidade”, destacou.

Publicidade

O plano que está sendo elaborado deverá ser executado pelos próximos dez anos, como prevê a legislação, e será definido após a finalização de sete etapas. Os trabalhos estão sendo realizados em parceria com a empresa Geo Brasilis, que venceu licitação, e auxilia a equipe técnica do departamento.

Para a prefeita Maria José Vieira de Camargo, o plano terá papel fundamental no desenvolvimento da cidade nos próximos anos.

“Juntamente com o Plano Diretor, o Plano de Mobilidade Urbana atenderá a muitas demandas na nossa comunidade, no que se refere a tráfego e logística, entre outros. Vamos trabalhar com todo o empenho para cumprir essa tarefa”, afirmou Maria José.

Azevedo esclarece que o PlanMob é uma oportunidade para melhorar a mobilidade do cidadão e que o tema abrange outras áreas da cidade, como planejamento, Plano Diretor, urbanística, arquitetura, saúde pública e meio ambiente.

“É uma cesta que vem recheada de vários elementos”, definiu. “Quando a gente trata de melhoria pública, não tem como fazer essa melhoria em um aspecto somente, e sim em um todo. Todos os órgãos estão trabalhando em conjunto para sair o que há de melhor para o município”, reforçou o diretor.

Diretor do Departamento de Mobilidade Urbana, Yustrich Azevedo (foto: Gabriel Guerra)

Os fatores a serem mais valorizados no PlanMob é a melhoria do transporte público, diminuição dos veículos com apenas uma pessoa e a contribuição para a mobilidade do pedestre.

Buscando levantar informações sobre como as pessoas se deslocam pelas principais vias da cidade, a Secretaria de Segurança Pública e Mobilidade Urbana também tem realizado uma contagem volumétrica, que verifica o comportamento de determinados tipos de veículos, como carros, motos, caminhões e bicicletas, além dos pedestres.

“Verificamos nove pontos para fazer a contagem volumétrica. A gente utiliza vários monitores para fazer as contagens e o direcionamento do trânsito”, informou Azevedo.

O PlanMob também irá realizar a contagem dos usuários do transporte coletivo, deixando dois monitores em cada linha e, futuramente, analisando o comportamento do usuário no deslocamento pela cidade.

Uma parceria com a Fatec local irá colher mais de mil depoimentos dos alunos, que esclarecerão como realizam o deslocamento pela cidade.

Todos os dados finalizarão a segunda etapa da elaboração do Plano de Mobilidade e darão os subsídios necessários para a terceira etapa, com a realização de uma audiência pública, que será realizada no dia 11 de abril, às 18h, na Câmara Municipal.

Ainda estão previstas mais etapas para a elaboração do plano de circulação, com definição de diretrizes e hierarquia viária; plano de ação; registro de uma segunda audiência pública; e, para finalizar, a minuta da lei da política de mobilidade urbana do município. Há a expectativa de que até o início do próximo ano o projeto já esteja finalizado.

Publicidade