ONG ‘Hospitalhaços’ abre inscrições para novos voluntários no município

368
Participar da palestra institucional é pré-requisito para candidatos que desejam ser voluntários (foto: Hector José)
Publicidade

A ONG (organização não governamental) Hospitalhaços está com inscrições abertas para novos voluntários e palhaços “humanitários”. Neste sábado, 14, o grupo promove uma palestra institucional aos interessados, às 15h, na sala de reunião da Santa Casa, à rua Cônego Demétrio, 992.

A Hospitalhaços é uma ONG fundada em 1999, por Wlakiria Camelo, que utiliza a figura do palhaço para levar sorrisos exclusivamente ao ambiente hospitalar.

Conforme a descrição do trabalho do grupo, “o desafio diário é criar uma atmosfera mais leve, alegre e descontraída para pacientes, familiares e profissionais da saúde”.

Para realizar esse trabalho, a ONG conta com a participação de 600 voluntários ativos, divididos em 34 equipes de palhaços humanitários, além dos que atuam nas brinquedotecas, bazar e parte administrativa da associação.

O grupo de humanização hospitalar está prestando serviço em Tatuí desde o início deste ano. A equipe é formada por voluntários das cidades de Cerquilho e Tietê, os quais visitam a Santa Casa a cada 15 dias.

Publicidade

De acordo com a coordenadora do grupo na região, Camila Antunes Evaristo, o objetivo da palestra é apresentar a associação e os departamentos dela e explicar todas as fases até a formação do palhaço. Camila é moradora de Cerquilho e voluntária na ONG há cinco anos.

“Na reunião, vou informar como funciona a ONG Hospitalhaços, desde a parte administrativa até a parte prática, que é o que as pessoas veem no hospital”, explicou.

Atualmente, a entidade atua em 27 hospitais localizados em 17 municípios: Campinas, Valinhos, Indaiatuba, Hortolândia, Sumaré, Americana, Paulínia, Mogi Mirim, Mogi Guaçu, São Paulo, Salto, Tatuí, Cerquilho, Laranjal Paulista, Tietê e Recife.

Em 2017, a equipe passou a atuar também no Rio de Janeiro, em dois hospitais federais. Com o projeto, a ONG atingiu a marca de 32 mil atendimentos mensais, entre pacientes, acompanhantes e corpo clínico.

Além disso, administra seis brinquedotecas, tem dois grupos artísticos e realiza oficinas e treinamentos constantemente para os voluntários.

A ideia de formar um grupo de voluntários com integrantes tatuianos partiu da coordenadora. Segundo ela, a cidade tem estrutura para conseguir manter a ONG com muitos voluntários.

A escolha também veio pelo trabalho da Santa Casa de Tatuí, que “trabalha com seriedade e desenvolve um trabalho importante para o município”, conforme comentou.

Ela conta que quer expandir a abrangência do projeto, e como Tatuí fica próxima de Cerquilho, decidiu iniciar o atendimento na Santa Casa.

“A nossa intenção é atingir o máximo de cidades nesta região. Nosso sonho, na verdade, é que a humanização hospitalar alcançasse o mundo. Para nós, isso deveria ser obrigatório em todos os hospitais, porém, sabemos que a realidade não é essa. Então, aos pouquinhos, vamos abraçando as cidades mais próximas”, disse ela.

A coordenadora ressalta que trabalhar com a humanização hospitalar é uma oportunidade de levar alegria às pessoas doentes e “de se transformar”.

“Costumo dizer que existe uma Camila antes da humanização hospitalar e uma depois. É extremamente gratificante a nossa vivência. A experiência que a gente tem com a humanização hospitalar transforma a nossa visão, as nossas prioridades e o nosso dia a dia”, descreveu.

O edital para integrar o grupo de palhaços humanitários da organização no segundo semestre está disponível para os candidatos no site da instituição, com os detalhes de todos os procedimentos e etapas obrigatórias. As vagas são também para Cerquilho, Laranjal Paulista e Tietê e valem somente para pessoas que moram nas cidades atendidas.

A presença na palestra institucional é obrigatória para os candidatos, que devem ter os pré-requisitos determinados no edital, preencher a ficha de inscrição e uma carta de intenção. Não serão aceitas inscrições nos dias do processo seletivo.

Conforme o coordenador geral da Hospitalhaços, Mário Eduardo Paes, o processo seletivo leva aproximadamente sete meses até que o voluntário comece a atuar nos hospitais, iniciando-se com a participação na palestra institucional.

“Na reunião, a pessoa fica sabendo o que significa prestar um serviço voluntário, o comprometimento com a pessoa atendida pela ONG e esclarece todas as dúvidas”, comentou.

As fichas devem ser preenchidas no dia e local das palestras institucionais. A lista de aprovados será divulgada no dia 24, no site da Hospitalhaços. Quem tem interesse em ser voluntário em outras áreas basta ligar para a associação. Outra forma de receber informações sobre o processo seletivo é pela fanpage da ONG www.facebook.com.br/hospitalhacos.

Para saber mais, visite o site www.hospitalhacos.org.br ou entre nas redes sociais.

Publicidade