Obras da Praça da Santa são acompanhadas pelo Comtur

617
Prazo de conclusão da revitalização da Praça da Santa é de 12 meses (foto: Eduardo Domingues)
Publicidade

Pouco antes da sessão extraordinária no Centro Cultural, na tarde de terça-feira, 27 de agosto, os integrantes do Comtur (Conselho Municipal de Turismo) estiveram na praça Martinho Guedes, a “Praça da Santa”, para verificar o andamento das obras de revitalização do espaço público.

Os membros do conselho realizaram a visita técnica acompanhados do secretário municipal do Esporte, Cultura, Turismo, Lazer e Juventude, Cassiano Sinisgalli, e da arquiteta da prefeitura Carolina Medeiros Cunha dos Santos.

O espaço é o primeiro ponto de Tatuí a receber recursos do programa MIT (Município de Interesse Turístico), por meio do Dadetur (Departamento de Apoio ao Desenvolvimento dos Municípios Turísticos).

A municipalidade tem à disposição R$ 1.192.649,52 para reforma e revitalização. O recurso vem de dois convênios com o Dadetur, sendo R$ 371.143.95 conquistados em 2017 e R$ 482.367,02 referentes a repasse de 2018, além de contrapartida da prefeitura, de R$ 339.138,55.

O Dadetur liberou os recursos a partir de projeto apresentado pelo Departamento Municipal de Turismo. A proposta de uso do recurso foi aprovada pelo Comtur. A responsável pela revitalização é a Romme Construtora – EPP, que venceu licitação realizada no dia 21 de fevereiro.

Publicidade

Carolina informou aos conselheiros que as obras são realizadas em duas etapas, com uma fase envolvendo o paisagismo e outra, a infraestrutura, contendo iluminação e bancos.

A arquiteta afirmou que, neste momento, a construtora está fazendo as fundações do pergolado, o espelho d’água da “Santa” e finalizando o espaço onde ficará armazenado todo maquinário, enquanto a prefeitura está terminando as demolições e a terraplanagem.

Conforme Carolina, quando a prefeitura concluir a terraplanagem, a obra dará uma “acelerada”, mas ressalta que, por esse serviço ser prestado por servidores públicos, às vezes, eles precisam sair para “socorrerem” outros locais.

“O que está sendo feito agora é o mais demorado, como a fundação do pergolado, que é bastante complicada. Finalizando a terraplanagem, serão colocadas as guias, pisos, feita a parte elétrica e hidráulica, dando uma ‘acelerada’”, esclareceu a arquiteta.

Questionada se a praça será entregue revitalizada até o mês de dezembro, para que o “Pinheirão” possa ser decorado para o Natal, Carolina informou não poder garantir esse prazo.

“Depende. Pode ser que a construtora coloque bastante funcionários para trabalharem nas obras e as conclua”, apontou. “Dá para entregar, mas também depende de quando a prefeitura vai entregar a terraplanagem, e estamos aguardando essa conclusão para cobrarmos a empresa”, complementou.

O prazo de conclusão da revitalização da Praça da Santa é de 12 meses, que se estende até abril de próximo ano. A arquiteta expôs que o cronograma de obras com a construtora é de seis meses – até outubro -, porém, esse prazo pode ser prorrogado por mais um semestre.

“Temos o cronograma de seis meses com a empresa, porém, há serviços que dependem da prefeitura, como a terraplanagem. Isso acaba ‘amarrando’ um pouco o serviço da construtora”, salientou Carolina.

De acordo com Sinisgalli, a prefeitura já havia feito a terraplanagem, mas não atingiu o nivelamento que a construtora precisava e, por conta disso, o serviço está sendo refeito.

O secretário reforçou que a Romme Construtora já tem empresas terceirizadas contratadas para fazer os serviços hidráulicos e elétricos do espaço.

“Temos mais dez dias dos acertos e detalhes finais; depois, o andamento é bem mais rápido. Estaremos sempre cobrando a agilidade para a conclusão das obras”, frisou Sinisgalli. “Em nenhum momento a obra esteve parada. Ela não está na velocidade que gostaríamos, mas está em andamento”, complementou.

Ele afirmou que também é de interesse da construtora finalizar as obras rapidamente, pois quanto menos tempo levar para concluí-las, antes poderá receber.

O secretário esclareceu que a verba para a revitalização está separada e sendo repassada gradativamente, de acordo com o andamento das obras. “Quando as obras atingirem 20%, eles recebem 20% do valor. Fazendo mais 30%, a construtora recebe metade do valor previsto, e só depois da conclusão que irão embolsar os 50% restantes”, assegurou.

Sinisgalli reafirmou ser “um grande sonho” a finalização das obras até o Natal, mas reconheceu que a construtora está dentro do prazo de um ano estipulado em contrato.

Ele aponta que, desde o início das obras, a ideia era de o Comtur acompanhá-las. Conforme Sinisgalli, “os conselheiros aprovaram o projeto e são representantes do turismo tatuiano, podendo acompanhar de perto o andamento real das obras”.

“O Comtur está sempre nos auxiliando, e a contrapartida da prefeitura tem de ser a mesma. No dia que eles precisarem e quiserem mais referências, estaremos abertos”, finalizou o secretário municipal.

Publicidade