O turismo a serviço do progresso

562

São Paulo é um Estado privilegiado. Nosso cenário propicia uma significativa movimentação de mais de 44 milhões de turistas durante todo o ano, uma vez que a oferta paulista que envolve atrativos, infraestrutura, serviços e produtos turísticos, está sempre pronta para bem receber seus visitantes.

Os exemplos desta fartura passam pelo verão com mais de 5 milhões de veículos que se dirigem ao litoral, pelo Circuito das Águas Paulista, que recebe 7 milhões de turistas/ano, até o Circuito Religioso, destino que, por três municípios – Aparecida, Cachoeira Paulista e Guaratinguetá – percorrem 15 milhões de pessoas/ano movidas pela fé.

Sem contar que das 5.000 fazendas históricas existentes no Brasil, 800 estão erguidas em solo paulista, fomentando o turismo rural, que oferece aos seus interessados diversificado lazer, entretenimento e muita história em propriedades dos séculos 18, 19 e 20. Bom relembrar que elas já foram palco da primeira pujança econômica do Estado de São Paulo, pela cultura do café, com a consequente preservação do patrimônio rural.

Referência no turismo de negócios e eventos, destaque para a capital, que recebe anualmente, para estes focos, 13 milhões de pessoas e mais de 2 milhões que chegam para o lazer e entretenimento. Assim, os números do turismo no Estado paulista impressionam, uma vez que movimentam até 56 setores da economia e geram 10% de todo o PIB do Estado de São Paulo, produzindo oportunidades de renda, especialmente no setor de serviços, e três milhões de famílias paulistas que já vivem do turismo.

A explicação para tudo isto é simples: o governo paulista acredita no turismo como vetor de desenvolvimento social e econômico e é o único Estado da federação com políticas públicas voltadas à atividade turística.

Temos o Fumtur (Fundo de Melhorias dos Municípios Turísticos), que dispõe de recursos da ordem de R$ 500 milhões destinados às estâncias turísticas e municípios de interesse turístico, com a finalidade de desenvolver programas de melhoria e preservação ambiental, urbanização, serviços e equipamentos turísticos.

Além de 70 cidades que são estâncias turísticas, agora contamos com os MITs (municípios de interesse turístico), que recebem recursos anuais do governo do Estado, cerca de R$ 600 mil /ano, destinados a investimentos de infraestrutura turística.  A utilização destas verbas já vem potencializando a ampliação e o fortalecimento das atividades econômicas das regiões envolvidas, multiplicando os pontos de atração aos turistas.

Na prática, esta ação institui que 140 municípios paulistas serão de interesse turístico (até o momento há 97 MITs). Todas as cidades, excetos as 70 estâncias já existentes, podem concorrer a esse grupo, e, para participar desse time, os municípios devem preencher alguns critérios, como ter potencial turístico, Conselho Municipal de Turismo, serviço médico emergencial, meios de hospedagem, serviços de alimentação e de transporte, entre outros.

O turismo paulista está na vanguarda nacional: são 44 circuitos turísticos regionais, 19 segmentados e 51 regiões turísticas envolvendo 432 cidades do nosso Estado. As ofertas turísticas neste território paulista multifacetado, de excelente infraestrutura, oferecem todos os segmentos do turismo, como sol e praia, cultural, gastronômico, histórico, de compras, negócios, eventos, de aventura e ecoturismo, além de muita hospitalidade.

Por tudo isso, estamos convictos que viajar por São Paulo – “Um Estado, Muitos Destinos” –  é um grande negócio.

* Secretário de Turismo do Estado de São Paulo.