O que é dengue? E a vacina que protege!

57
Dr. Jorge Sidnei Rodrigues da Costa *

Devido ao aumento dos casos de dengue em nossa cidade, decidimos publicar novamente o artigo sobre o assunto. A dengue -ou o dengue -é uma doença viral e febril transmitida pelo mosquito fêmea do Aedes aegypti e é considerada um dos principais problemas da saúde pública do mundo.

O Aedes aegypti é um arbovírus. Em média, cada mosquito vive em torno de 30 dias e a fêmea chega a colocar entre 150 e 200 ovos de cada vez. Ela é capaz de realizar inúmeras posturas no decorrer da vida, já que copula com o macho uma única vez, armazenando os espermatozóides em suas espermatecas (reservatórios presentes dentro do aparelho reprodutor).

Os ovos não são postos na água, e sim milímetros acima de sua superfície, em recipientes tais como latas e garrafas vazias, pneus, calhas, caixas d’água descobertas, pratos de vasos de plantas ou qualquer outro que possa armazenar água de chuva.

Quando chove, o nível da água sobe, entra em contato com os ovos, que eclodem em pouco mais de 30 minutos. Em um período que varia entre cinco e sete dias, a larva passa por quatro fases até dar origem a um novo mosquito.

O Brasil não está preparado para uma epidemia de dengue hemorrágica, pois não há leitos suficientes nem mesmo para os pacientes que pegaram a dengue clássica, por isso, o controle dos vetores é a melhor saída para evitar a doença.

Transmissão

Sua principal forma de transmissão é quando uma fêmea do Aedes aegypti pica uma pessoa infectada, daí o vírus da dengue que circula no sangue dessa pessoa é ingerido pelo mosquito, infectando-o,o qual pode picar outras pessoas e transmitir o vírus.

Mas existem registros de “transmissão vertical” (da gestante infectada para o bebê) e, também, por transfusão de sangue.O mosquito contaminado é capaz de disseminar a doença durante todo o seu ciclo de vida (cerca de seis a oito semanas).

Sorotipos da dengue

Pesquisas indicam que existem quatro tipos diferentes de sorotipos do vírus da dengue. Quando um indivíduo se infecta por um deles, consequentemente ele fica imune parcial e temporariamente contra este que lhe infectou, podendo contrair algum dos demais sorotipos.

São eles: DEN-1, DEN-2, DEN-3, DEN-4. A infecção pode ser assintomática, leve ou até causar doença grave com risco de morte. Em média, 550 mil doentes precisam ser hospitalizados e 20 mil deles morrem em consequência da doença. Quando um indivíduo tem a dengue, uma primeira vez, se ele tiver uma segunda contaminação,corre mais risco de desenvolver uma dengue hemorrágica.

Sintomas

O período de incubação dura de quatro a dez dias.  A infecção pode ser assintomática ou causar um amplo espectro de quadros clínicas, desde formas pouco sintomáticas até quadros mais graves, com ou sem hemorragia.

Normalmente, o primeiro sintoma é a febre alta de início súbito, durando de dois a sete dias, podendo ser acompanhada de dor de cabeça, dores no corpo e nas articulações, abatimento do estado geral, fraqueza, dor atrás dos olhos, erupção (vermelhidão) na pele e coceira. Perda de peso, náuseas e vômitos são comuns.

Nessa fase inicial, pode ser difícil de diferenciá-la de outras doenças febris. Geralmente, entre o terceiro e o sétimo dia da doença, ocorre uma diminuição ou desaparecimento da febre e alguns casos evoluem para a recuperação e cura; outros, porém, podem apresentar sinais de alarme, evoluindo para as formas graves da doença.

Os principais sintomas são: dor abdominal intensa e contínua, vômitos persistentes, sangramento de mucosas (nariz, gengivas), hipotensão (queda da pressão arterial), letargia, sonolência ou irritabilidade e tontura. Na presença destes sinais, o paciente deve imediatamente procurar atendimento médico, que provavelmente tratará internado.

Tratamento

Não existem medicamentos específicos para combater o vírus. O tratamento visa ao controle dos sintomas, hidratação EV e estabilização do paciente.

Prevenção

Uma das formas de prevenção, como todos já sabem, é combater os focos criadouros do mosquito Aedes aegypti (se reproduz em água limpa e parada em algum local).

A outra e a mais moderna e atual forma de prevenção é através da vacina. Hoje já existe uma vacina disponível nas clínicas particulares de vacinação. A vacina é composta dos quatro sorotipos do vírus (DEN1, DEN 2, DEN3 e DEN 4) e reduz muito o risco de contrair a dengue grave (93%).

Reduz em 80% o risco de hospitalização por dengue. Evita dois a cada três casos de dengue. A vacina está indicada para crianças a partir de nove anos de idade, adolescentes e adultos até 45 anos.

O esquema é feito com três doses da vacina com intervalo de seis meses entre cada uma. Mesmo as pessoas que já tiveram dengue estão indicadas à vacina, pois, quando têm a doença, ela é provocada por um tipo de vírus, o que não protege a pessoa de ter a dengue pelos outros três tipos.

Contraindicações da vacina

A vacinação não requer qualquer cuidado prévio, porém se deve adiar a vacinação em caso de doença febril aguda (moderada a grave), e também é contraindicada para pessoas imunodeprimidas, gestantes e mulheres que estejam amamentando.

Referências – WHO, Sbim, boletim epidemiológico do Ministério da Saúde; Fiocruz.

 *Médico com título de especialista em pediatria pela AMB e SBP, membro da Sbim.