Novo diretor da Segurança é apresentado

331
Publicidade





Amanda Mageste

Delegado pretende colocar mais guardas na área central para melhorar segurança pública

 

O delegado Onofre Machado da Silva Júnior foi apresentado, segunda-feira, 7, como diretor municipal da Segurança Pública. A diretoria está vinculada à Secretaria de Governo, Segurança Pública e Transportes, cujo titular é Odaílson Toth.

O Departamento de Segurança Pública trabalha em conjunto com o Departamento de Trânsito e Transportes e a GCM (Guarda Civil Municipal). Silva Júnior declarou que o trabalho dele será de apoio aos órgãos efetivamente de segurança pública.

Publicidade

O diretor lembra que a função constitucional da GCM é a preservação do patrimônio público municipal e o apoio às Polícias Civil e Militar.

O sistema viário do município está sob responsabilidade do Departamento de Trânsito. “A fiscalização e autuação de inúmeras infrações de trânsito são competências do município e outras são do Estado”, explicou o diretor.

O trabalho com a GCM, o apoio aos órgãos públicos e ao Departamento de Trânsito, na organização do sistema viário, está sob o comando de Silva Júnior atualmente.

“A sinalização de rua, colocação de placas, tudo isso é atribuição do município, através do Departamento de Trânsito. Isso ficou sob minha responsabilidade e vinculado à secretaria (de Governo, Segurança Pública e Transportes)”, explicou.

Silva Júnior foi comissionado pelo governo de São Paulo para prestar serviço junto à Prefeitura, ou seja, ele não recebe o salário por meio do Executivo, continua recebendo pelo Estado.

“É uma condição prevista. Então, o governo do Estado comissionou, junto à Prefeitura, para prestar serviço. Continuo na Polícia Civil, sou delegado de polícia de carreira, mas estou, atualmente, prestando serviço à Prefeitura de Tatuí”, explicou.

O contrato inicial dele para estar à frente do departamento vai até o dia 31 de dezembro, com possibilidade de extensão. Silva Júnior tem 30 anos de carreira como delegado e acredita que isso possa ajudar na evolução do trabalho como diretor da Segurança Municipal.

Planos

Apesar de estar pouco tempo à frente do departamento, o delegado afirmou que já planeja mudanças na GCM. “Agora mesmo, estava com um guarda, que atua na área de trânsito, estabelecendo algumas metas de trabalho. Já tive algumas reuniões com o efetivo da Guarda, passando o que eu entendo como prioritário”, contou.

De acordo com Silva Júnior, a prioridade está relacionada a partir de estatísticas que acompanhou na Polícia Civil. Ele entende que o apoio na área de segurança pública, no que diz respeito a crimes patrimoniais, é essencial.

Para iniciar melhorias nessa área, a partir de segunda-feira, 14, a pedido do delegado, guardas iniciaram patrulhamento a pé na área central. Eles estão atuando em duplas, rotina que deverá ser gradual. A cada semana dois homens devem iniciar esse trabalho, até chegar perto de dez GCMs nas ruas.

“Eles vão se apresentando no comércio, vão estabelecendo um contato, uma proximidade com o comerciante. Acho que isso traz de volta aquela interação que tem que ter entre a comunidade, a sociedade e o poder público. Além, obviamente, de representar a segurança”, sustentou o diretor.

De acordo com ele, dentro de aproximadamente um mês, será possível ter os dez guardas trabalhando em duplas para cobrir a área que ele e a equipe mapearam como sendo prioritária, por conta dos delitos patrimoniais.

Silva Júnior afirmou que, pela estatística da Polícia Civil, atualmente, 50% dos delitos patrimoniais estão concentrados no centro, incluindo furtos e roubos de uma forma “geral”.

O delegado afirmou que, em decorrência disso, haverá a intensificação no local. O que não significa que os bairros “não serão atendidos”, mas o patrulhamento a pé será na área em que o departamento entende como a de maior incidência de delitos.

O aumento do número de roubos e furtos, informado pela Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo, também foi motivo para a intensificação do patrulhamento.

“O efetivo da Guarda foi orientado a ter foco, prioritariamente, em delitos patrimoniais com relação aos bairros também, ao patrulhamento cotidiano deles. Mas, isso não significa que outros crimes não serão combatidos e evitados”, ressaltou.

Silva Júnior garantiu que a GCM não irá “avançar” além do que a lei permite para auxiliar os órgãos de segurança pública na prevenção de delitos, apreensões e prisões de criminosos.

“Vamos ter foco, prioritariamente, nos delitos patrimoniais, que é o que mais está causando clamor e, realmente, precisa de uma ação, de uma reposta mais rápida e efetiva do poder público”.

Conforme Silva Júnior, outros aspectos que abordou com o diretor de Trânsito e Transportes, Francisco Antonio de Souza Fernandes, Quincas, foi a busca de soluções para melhorar a fluidez no tráfego de veículos.

Segundo o delegado, o objetivo dele é melhorar o trânsito, de forma a deixá-lo mais seguro e intensificar a fiscalização no que diz respeito ao volume alto de som dos veículos.

Silva Júnior disse que percebe um descontentamento da população com relação a essa infração de trânsito e que, portanto, ela deve ser combatida na totalidade, para evitar transtornos à população.

“Às vezes, tem um evento, com pessoas conversando ou apreciando uma música de qualidade, passa uma pessoa com som alto e atrapalha. Esse tipo de conduta e todas as infrações vão ser combatidas, mas eu pedi intensificação nessa, que tem sido um problema na cidade”, afirmou.

De acordo com Silva Júnior, o pedido de acentuar o combate ao volume alto dos veículos surgiu porque ele percebeu, em várias reuniões que participou como delegado, um descontentamento geral da população, principalmente na área central, com relação a esse problema.

Além disso, o delegado afirmou que está, junto a Quincas, estudando mais mudanças no trânsito, a fim de traçar novas medidas para melhorar a fluidez de veículos.

“Mesmo que, pontualmente, as mudanças tragam prejuízo a uma ou outra pessoa, com certeza, o ganho para a coletividade é muito maior. É isso que nós temos que ter em mente”, observou.

Ele afirmou que o objetivo é o “ganho social” e não pessoal. Por isso, está estudando, ao lado de Quincas, alternativas que causem menor prejuízo e transtorno à população.

GCM

O delegado salientou que acompanhou um “visível crescimento” da GCM na cidade. De acordo com ele, os guardas fizeram prisões “importantíssimas” nos últimos dias e que o número de delitos deve baixar “daqui para frente”.

Silva Júnior afirmou que a GCM representa uma força de segurança muito importante e significativa. De acordo com ele, a própria comunidade tem essa imagem do trabalho desenvolvido pela corporação.

Na visão do delegado, há outras cidades maiores que Tatuí que possuem uma GCM constituída, mas não tão eficiente como a local.

O diretor disse que só encontrou aspectos positivos à frente da GCM. “A disciplina na Guarda me causou uma ótima imagem. Acho que é uma instituição muito alicerçada em disciplina e hierarquia, que realmente traz uma ótima imagem. A dedicação e o interesse pela causa pública são fatores que percebi nos integrantes”.

Silva Júnior apontou que os guardas possuem um “comprometimento muito grande com a cidade” e que ele ficou feliz ao ver “o empenho, dedicação e paixão que eles têm com toda a corporação”.

Todas as ações das Polícias Civil ou Militar que necessitarem de apoio da GCM sempre terão auxílio, garantiu o diretor. “Isso vai ser mantido e até intensificado. A Guarda vai estar à disposição para aquilo que eles necessitarem”.

“Segurança pública não é uma coisa matemática. Você tem, infelizmente, esses momentos de crescimento do índice de criminalidade, e é o que nós estamos reformulando junto com a PC também. O foco, hoje, é a área patrimonial, porque esses números estão criando certa insatisfação”, ressaltou.

Os números comentados pelo diretor da Segurança referem-se a uma listagem divulgada pelo jornal “Folha de São Paulo”, em que Tatuí aparece em nono lugar no “ranking” das cidades com maior número de roubos em São Paulo.

“Eu posso garantir que o trabalho vem sendo executado de forma intensa. O resultado, a gente espera, vem em breve, numa redução dos índices de crimes, principalmente os patrimoniais”, observou.

Segundo ele, apesar de o foco ser nesses crimes, a GCM ressaltou que todos os outros delitos têm a mesma importância para a corporação, embora esses causem maior “clamor público”.

De acordo com Silva Júnior, é importante que a população interaja com a GCM para melhorar a segurança e para que os guardas possam ajudar.

O diretor afirmou que está à disposição para sugestões e reclamações de munícipes sobre problemas que possam vir a enfrentar na segurança da cidade. Ressaltou que é importante que as pessoas se dividam em grupos para chegar até ele.

“Obviamente, nós temos um efetivo que não dá para você colocar um patrulhamento em cada local. Mas, dentro da necessidade, dentro daquilo que for trazido para nós, nós vamos direcionar”, afirmou o delegado.

Ele sustentou que quer apresentar uma postura técnica que imprima identidade institucional própria à GCM, sem variáveis de acordo com dirigentes.

“Acho que isso é uma meta. Tenho certeza que eles já têm um longo caminho andado nesse sentido. Seria mais a nível de solidificar isso”, finalizou.


Publicidade