Notas policiais

554
  • Vigilante sofre prejuízo de R$ 18 mil em meio a golpe

Um vigilante de 31 anos, residente no Jardim Santa Rita de Cássia, foi vítima de estelionato ao acreditar estar pagando as mensalidades do financiamento do veículo dele. A vítima esteve na Delegacia Central na tarde de quinta-feira, 6, para registrar o boletim de ocorrência.

Segundo relatado, o vigilante pagava o financiamento por boletos bancários, os quais eram enviados todos os meses, por meio de um aplicativo de mensagens. Na sexta-feira da semana retrasada, 23 de abril, ele pediu e pagou um boleto para quitar a dívida, no valor de R$ 18 mil.

Entretanto, posteriormente, a instituição bancária começou a cobrar o vigilante, pois o pagamento não estaria constando no sistema. Pouco depois, o banco informou que o boleto pago não havia sido emitido pela instituição e a vítima percebeu que havia caído em um golpe.


  • Comerciante é ameaçada de ter fotos íntimas divulgadas

Uma comerciante de 68 anos registrou boletim de ocorrência por ameaça, na tarde quinta-feira, 6, no plantão policial. A vítima alega que uma mulher que teve acesso ao celular dela estaria ameaçando divulgar fotos íntimas da vítima.

De acordo com o documento, a comerciante estava tendo problemas com o celular e pediu ajuda a uma mulher, a qual se prontificou a ajudar. O celular foi entregue para que a mulher pudesse “consertar” o aparelho.

Posteriormente, segundo o boletim, ao retornar ao estabelecimento comercial da vítima, a mulher garantiu que havia capturado imagens íntimas do arquivo pessoal do celular, exigindo a entrega de itens do comércio para que a filha dela não as divulgasse na internet.

Ainda conforme o BO, mais tarde, a mesma mulher voltou ao estabelecimento com um pendrive, que teria pegado escondido da filha, alegando conter cópias das fotos íntimas e deixou-o com a comerciante. A vítima entregou os produtos solicitados pela mulher, ficando com prejuízo de R$ 100.


  • Homem digita código recebido no celular e ‘perde’ WhatsApp

Um homem de 51 anos, morador da área central, teve o WhatsApp invadido após digitar um código para participar de um suposto sorteio. O golpista se passou por ele e convenceu duas pessoas a fazer transferências bancárias. O crime aconteceu no início da tarde de terça-feira, 4.

Conforme relatado, por volta das 13h30, o homem recebeu ligação de um desconhecido, o qual identificou-se como sendo da “Fazenda Jacarezinho”. O golpista afirmou que iria sortear um garrote e precisaria de alguns dados da vítima para realizar o cadastro que permitiria o sorteio ao prêmio.

Na sequência, segundo relatado, o estelionatário pediu para que o homem digitasse, no celular, o código “624212”, informado pela ligação. Logo após a digitação do código, a vítima não conseguiu mais ter acesso ao WhatsApp.

Segundo o boletim de ocorrência, desta forma, o aplicativo foi clonado e o golpista passou a enviar mensagem aos contatos, fingindo ser a vítima e pedindo dinheiro.

A filha da vítima fez um “Pix”, no valor de R$ 1.763, sem notar que a transferência beneficiava a conta de “Iasmin Kathleen Gomes do Santos”. Ainda, um vizinho transferiu R$ 1.200.

A vítima disse à PC que, antes de ir ao plantão policial, já havia enviado mensagens a parentes e amigos pelo Facebook e pelo Instagram, avisando sobre a clonagem do WhatsApp para que não realizassem nenhuma transferência solicitava.


  • Maquinário de serralheria é furtado no alto da Santa Cruz

Uma serralheria, localizada no bairro Santa Cruz, fechada judicialmente desde 2019, teve todo o maquinário furtado. Conforme o proprietário, os crimes aconteceram, aos poucos, mais de uma vez, porém, só informou à Delegacia Central na terça-feira, 6.

Conforme relatado pela vítima, na madrugada do feriado de Tiradentes, o estabelecimento foi invadido e teve maquinários pesados subtraídos.

No entanto, o autônomo disse que, anteriormente, criminosos já haviam furtado ferramentas manuais e de pequeno porte, além de mesas, cadeiras e armários.

Segundo o boletim de ocorrência, a vítima só percebeu os furtos durante o mês de abril deste ano, após notar que o cadeado havia sido estourado e a porta, arrombada.

Conforme o boletim, foram furtados da serralheria: um fogão; três máquinas de solda elétricas, sendo duas de 250 amperes e uma de 500; uma máquina de solda completa com cilindro; três cortadeiras de ferro; duas furadeiras de bancada; quatro furadeiras elétricas de mão; quatro lixadeiras de ferro; e duas prensas, uma de dez toneladas e outra de 12.

Ainda foram subtraídos, segundo o BO: um compressor de 220 volts; dois jogos de mesas, com oito cadeiras de ferro; duas tesouras de corte; quatro alicates, sendo dois de pressão e dois de corte; duas escadas; 20 chaves, Philips e de boca; 150 metros de cabo elétrico; 20 barras de ferro; dois motores de geladeira; sete jogos de chave Allem; dois jogos de macho em milímetro; e um botijão de gás.