Notas policiais

685
  • Motorista enche o tanque de carro e deixa posto sem pagar

Um posto de combustíveis, localizado na rua 11 de Agosto, foi vítima de estelionato na noite de terça-feira, 16, quando um motorista abasteceu o veículo e deixou o local sem pagar. O caso só foi informado no plantão policial na tarde de sexta-feira, 19.

Segundo relatado pelo frentista do estabelecimento, por volta das 21h20, dois indivíduos, em um automóvel azul, da marca Volkswagen, modelo Gol CL, chegaram ao posto de combustíveis e pediram para completar o tanque.

Após encher o reservatório de combustível, os sujeitos informaram que utilizariam um cartão para pagar o valor de R$ 287. Contudo, quando o frentista virou de costas para ir buscar a máquina de cartão, o condutor do carro acelerou e deixou o local.


  • Comerciante acusa jovem de furtar quase R$ 90 mil por Pix

Um comerciante de 50 anos acusa uma jovem de 25 anos de ter embolsado quase R$ 90 mil que estavam na conta bancária dele, sem autorização. Ele esteve na Delegacia Central, na tarde de sexta-feira, 19, e registrou um boletim de ocorrência de furto qualificado.

Conforme relatado pelo comerciante, eles se conheceram há cerca de dois anos e costumam se encontrar semanalmente. Entretanto, horas antes de comparecer à DC, ele recebeu uma ligação do gerente do banco em que possui conta, questionando sobre transferências, via Pix, efetuadas nas semanas anteriores.

Segundo o boletim de ocorrência, o gerente informou a realização de quatro transferências para a conta da jovem, totalizando R$ 88 mil, sendo: uma no valor de R$ 8.000, em 26 de fevereiro; duas de R$ 20 mil cada, no dia 3 de março; e uma de R$ 40 mil, sete dias depois.

O comerciante disse à PC que a jovem tinha acesso ao celular dele, porém, disse que não possuía cadastro no Pix, além de não ter autorizado que ela tivesse acesso à conta bancária dele e ainda que não havia dado ou emprestado o valor.

O comerciante ainda relatou à PC ter contatado a jovem, a qual alegou ter tirado o valor solicitado por ele e informado já ter utilizado todo o montante para adquirir um terreno. O delegado determinou o registro da ocorrência para apuração do ocorrido.


  • Estelionatário causa prejuízo de R$ 6.500 em 16 minutos

Uma aposentada de 75 anos, moradora da área central, caiu em um golpe ao acreditar estar bloqueando um cartão bancário dela, supostamente clonado. Com o cartão e as senhas, os estelionatários causaram um prejuízo de R$ 6.500 em apenas 16 minutos. O crime aconteceu na sexta-feira, 11.

Segundo relatado pela vítima, às 10h15, ela recebeu a ligação de uma pessoa afirmando ser funcionário do Banco do Brasil. A idosa foi informada de que um cartão dela, possivelmente, teria sido clonado e usado em uma tentativa de saque, de R$ 500, e uma compra, em Balneário Camboriú (SC).

Logo em seguida, a aposentada teria recebido um novo telefonema do mesmo funcionário, dizendo ter ocorrido uma nova tentativa de saque, de R$ 400, alertando-a a ligar para a central do banco para bloquear o cartão.

A vítima teria achado estranho e, depois de encerrar a chamada, tentado ligar várias vezes aos filhos, sem sucesso. Diante da situação, ela decidiu ligar ao número informado, anteriormente, como da central do Banco do Brasil.

O suposto atendente teria orientado a idosa a fazer uma contestação das operações feitas com o cartão clonado e entregá-lo, no mesmo dia, em uma agência em São Paulo. O golpista ainda disse que, por ela ser idosa e do grupo de risco da Covid-19, o banco poderia buscar a contestação e o cartão na casa dela.

Enquanto escrevia a contestação, contendo dados pessoais, senhas e assinatura, a aposentada teria recebido três ligações, perguntando se o documentado estava pronto. Por volta das 11h30, um indivíduo esteve no imóvel e retirou a contestação.

Após contar o ocorrido a um filho, ele percebeu que a mãe havia caído em um golpe. Enquanto eles contataram o Banco do Brasil para bloquear o cartão, foram informados sobre quatro operações: dois saques, de R$ 1.000 cada, às 11h48 e às 11h49; uma transferência, de R$ 1.500, via Pix; e uma compra, no valor de R$ 2.999,99, na função débito.