Notas Policiais

620
  • Sujeitos desconhecidos entram em escola no bairro Tanquinho

A Emei (escola municipal de educação infantil) “Nivaldo Lourenço Gomes”, situada no bairro Tanquinho, acabou invadida por cinco indivíduos na tarde de sexta-feira, 31 de julho. A diretora da unidade escolar comunicou o corrido à Polícia Civil na manhã de terça-feira, 4.

Segundo relatado, na manhã de segunda-feira, 3, uma funcionária estava realizando a limpeza do local quando percebeu que as câmeras de segurança, instaladas aos fundos da escola, estavam “viradas”. A mulher ainda teria encontrado tocos de cigarros e cera queimada.

Ao verificar as filmagens do sistema de monitoramento, a representante teria constatado que cinco sujeitos entraram na escola, por volta das 16h. No registro do boletim de ocorrência, ela não informa nenhum furto ou dano à escola.


  • Após 28 dias, celular roubado é devolvido na casa da vítima

Uma operadora de máquinas de 21 anos teve o celular roubado na região central, dia 6 de junho, quando um indivíduo o tomou, machucando o braço dela. No entanto, 28 dias depois, o aparelho foi levado à casa dela. A vítima comunicou a devolução à DC somente nesta semana.

Conforme relatado, a moça estava sentada em um banco da Praça da Matriz, próxima ao coreto, quando foi surpreendida pela ação do rapaz. O sujeito teria passado correndo, tirado o celular das mãos da vítima, arranhando o braço dela, e fugido do local.

A operadora disse à PM que o indivíduo agiu rapidamente e só conseguiu notar que ele vestia “uma blusa com touca”. O celular da vítima, da marca Samsung, modelo A50, é avaliado em cerca de R$ 1.600.

Entretanto, no dia 4 de julho, um mototaxista desconhecido teria se deslocado até a residência da vítima e afirmado: “Pediram para lhe entregar seu celular”. O sujeito deixou o aparelho e o local, sem informar quem teria feito a solicitação.

A vítima compareceu em um estabelecimento comercial para efetuar o desbloqueio do aparelho, no entanto, foi avisada de que precisava registrar um novo boletim de ocorrência para comunicar o acontecido.


  • DC registra 2 novas vítimas do golpe ‘Conto do Motoqueiro’

A Delegacia Central registrou duas novas vítimas do golpe “Conto do Motoqueiro” em menos de 24 horas. Entre terça-feira e quarta-feira, 4 e 5, estelionatários causaram, ao todo, prejuízo de R$ 6.450 a dois aposentados tatuianos.

De acordo com o boletim de ocorrência, na terça-feira, um aposentado de 74 anos, morador do bairro Alto da Santa Cruz, recebeu ligação de um homem, identificando-se como “Fernando”, dizendo ser gerente da Caixa Econômica Federal e informando que o cartão bancário da vítima teria sido clonado, pois havia sido usado em compra em Campinas.

Conforme o boletim, o suposto gerente afirmou que o aposentado tinha de fazer uma carta de próprio punho, contendo dados, como filiação, data de nascimento, endereço, numeração do cartão e a senha, e entregá-la a um motoboy que compareceria à casa dele. A esposa do aposentado alertou que poderia ser golpe.

Posteriormente, segundo o BO, a vítima ligou ao telefone informado atrás do cartão bancário e foi atendida novamente por Fernando. O golpista reafirmou ser gerente do banco e que o motoboy já estava indo à casa da vítima.

Conforme o BO, o aposentando entregou o cartão e a carta ao motoqueiro. No dia seguinte, esteve em uma agência, sendo informado de que o gerente não se chamava Fernando. Na sequência, o aposentado constatou que os golpistas haviam debitado R$ 2.450 da conta dele.

Segundo o boletim, o segundo caso ocorreu na quarta-feira, 5, com uma aposentada de 81, moradora da vila Minghini. O estelionatário se passou por um funcionário do Banco do Brasil, afirmando que o cartão bancário dela havia sido clonado e usado em uma compra em Campinas.

De acordo com o boletim, o golpista solicitou que a vítima entregasse o cartão para que os débitos da conta dela fossem resolvidos. Ainda informou que enviaria um motoboy à casa dela para coletar o cartão e a senha.

Ainda segundo o BO, o motoqueiro esteve na casa dela, às 14h, conforme o combinado. Menos de uma hora depois, a aposentada verificou, pelo aplicativo do banco, três saques: de R$ 2.000, R$ 1.100 e R$ 900.


  • Eletricista é preso por tráfico 2 vezes pela GCM em 3 dias

A Guarda Civil Municipal prendeu, no início da noite de quarta-feira, 5, um eletricista de 30 anos suspeito de tráfico de drogas, no Parque San Raphael.

A GCM havia detido o indivíduo, acusado por tráfico, na tarde de segunda-feira, 3, porém, ele acabou solto após audiência de custódia.

De acordo com a GCM, por volta das 18h40, os agentes faziam patrulhamento quando receberam denúncia anônima informando que o sujeito estaria vendendo drogas pela rua Maria Odete Mariano de Sales e as escondia em uma lixeira pública.

Conforme a GCM, o denunciado entrou em um estabelecimento quando avistou a guarnição. Os guardas entraram no local e identificaram que se tratava do indivíduo que haviam detido dois dias antes.

Segundo o boletim de ocorrência, os agentes encontraram quatro pinos e R$ 100 no bolso da calça do eletricista. Na sequência, ainda foram localizados mais 12 pinos com o mesmo entorpecente, na lixeira indicada.

O acusado, identificado como Fernando Chaves de Souza, recebeu voz de prisão pelo crime de tráfico de drogas. Ele foi levado ao Pronto-Socorro Municipal “Erasmo Peixoto” e, depois, apresentado na Delegacia Central.