Torneio de acrobacia aérea é cancelado

CBA comunicou decisão recentemente; cidade sediaria disputa nacional pela 2a vez

312
Campeonato Nacional de Acrobacia Aérea teve a edição deste ano definitivamente cancelada;decisão foi tomada no início do mês (Foto: Eduardo Domingues)
Publicidade
Da reportagem

O CBA (Comitê Brasileiro de Acrobacia e Competições Aéreas), em conjunto com a prefeitura e o Aeroclube de Tatuí, resolveu cancelar o 8o Campeonato Nacional de Acrobacia Aérea, que ocorreria no município no próximo mês. A decisão foi comunicada na noite de terça-feira, 11, em rede social.

Conforme a nota publicada pelo CBA, “fora tentado por muito tempo, e de todas as maneiras, promover o evento para a manutenção técnica da atividade. Entretanto, de todos os protocolos da FAI (Federação Aeronáutica Internacional) que seriam cumpridos, não faria sentido a realização da competição porque o combate à pandemia se faz necessário por todos”.

O documento do CBA ainda ressaltou que o Campeonato Nacional Norte-Americano, assim como campeonatos mundiais e o europeu pela FAI também foram cancelados.

Inicialmente, a disputa nacional aconteceria de 16 a 18 de julho. No entanto, ainda no mês de abril, devido à pandemia, os organizadores decidiram alterar a data de realização do evento para os dias 10 e 13 de setembro.

Na ocasião, o presidente do Aeroclube de Tatuí, Alexandre Simões, indicou que a decisão fora tomada conforme projeção do ex-ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, a qual apontava que, entre os meses de maio e junho, aconteceria o período agudo da pandemia no país.

Publicidade

Como a previsão não se concretizou, os organizadores optaram por promover a disputa fechada ao público, transmitindo-a pela internet, no formato de live. “Começamos a mudar ‘toda a cara’ do evento, conversar com os fornecedores e apoiadores, mas muitos não sentiram muita firmeza”, afirmou Simões.

De acordo com ele, com a capacidade de investimento limitada, o Aeroclube de Tatuí não teria como cobrar apoio financeiro da prefeitura para realização do evento. Para o presidente, o orçamento do Executivo tem de continuar sendo direcionado à área de saúde.

“A prefeitura teve uma boa vontade conosco e vontade de cooperar, mas não temos como cobrar, por algo que afeta a todos. Nós apoiamos a decisão de eles destinarem recursos somente à Saúde, afinal, a pandemia exige isso, não tem jeito”, reconheceu.

Somado a isso, o presidente do Aeroclube entende que haveria grande necessidade de auxílio aos organizadores, contendo-se eventuais aglomerações, devido à realização da competição nacional.

Conforme Simões, no formato “live”, pouquíssimas pessoas teriam acesso ao aeródromo, passando por controle “rigorosíssimo” para não haver contaminações pela doença.

Ele entende que, devido à carência de eventos no município, por conta da pandemia, as pessoas poderiam escutar os aviões e ir ao Aeroclube para vê-los. Segundo Simões, nos bairros em que seria possível enxergar as aeronaves, os munícipes poderiam “convidar amigos para assistir, gerando aglomerações”.

“Seria um grande desafio para a prefeitura conter aglomerações. Mesmo que acontecessem no aeródromo, poderiam ocorrer nas vizinhanças. Ficaria praticamente impossível. Com o risco de as aglomerações não serem contidas, o evento poderia ser associado negativamente”, argumentou Simões.

Pela segunda vez em Tatuí, o evento aconteceria fora da AFA (Academia da Força Aérea), em Pirassununga, onde o público é restrito aos familiares dos pilotos.

Em 2019, o município foi palco do 7º Campeonato Nacional de Acrobacia Aérea, entre os dias 18 e 21 de julho. Na ocasião, o piloto e vice-presidente do Aeroclube de Tatuí, Kaio Puertas, conquistou o título da categoria “planador”.

A cidade ainda foi representada pelo diretor de segurança de voo do Aeroclube, Thalles Coutinho, e pelo piloto “Bolafly”, no show aéreo de planadores. Já pelas competições, além de Puertas, o município teve Arthur Mazzucatto na categoria básica.

No dia seguinte ao fim da competição, o Aeroclube promoveu diversas atividades. Com entrada gratuita, o público teve à disposição uma praça de alimentação, espaço kids, venda de suvenires do Aeroclube e da Cidade Ternura, além de estacionamento privado. Ainda houve palco com shows de bandas locais e uma barraca com itens da Esquadrilha da Fumaça.

No evento, além da competição nacional, o Aeroclube recebeu show aéreo com os pilotos participantes da competição, exibição do jato “L-39”, acrobacia de planadores, aeromodelismo e paraquedismo.

O público ainda pôde visitar um simulador de voo e aeronaves e participar de voos de passeio de planador – inclusive, com sorteio de duas decolagens.

A Esquadrilha da Fumaça foi a atração na tarde do dia 20. Conforme o presidente do Aeroclube, durante os quatro dias, o local recebeu cerca de 26 mil pessoas, sendo mais de 15 mil somente para acompanhar a apresentação aérea.

Simões afirma que havia uma grande expectativa de melhorar o evento promovido em 2019, no entanto, o planejamento deverá ser estendido para o próximo ano, caso o município seja novamente escolhido como sede.

“Deixamos essa expectativa para os próximos anos. Em 2021, ainda não é confirmado que Tatuí ganhe a candidatura mais uma vez, mas vamos entrar nessa disputa. Nos colocamos à disposição, temos essa condição de melhorar o evento, fazê-lo crescer”, completou Simões.

Em abril, o Aeroclube de Tatuí e a FBVP (Federação Brasileira de Voo em Planadores) anunciaram o cancelamento do 62º Campeonato de Voo a Vela do Sudeste.

A princípio, o município seria palco do evento durante o Carnaval, entre os dias 21 e 26 de fevereiro. No entanto, quatro dias antes do início, os organizadores optaram pelo adiamento.

De acordo com nota divulgada pela FBVP, o cancelamento ocorreu devido às condições meteorológicas previstas, à baixa adesão nas inscrições e ao alto risco de o campeonato não ser validado.

Desde o adiamento, FBVP e o Aeroclube de Tatuí buscavam reprogramar o evento, que é uma das etapas do Campeonato Brasileiro de Voo a Vela. Contudo, Simões informou que a disputa acabou cancelada pela falta de uma nova data até o final do ano.

Ele explicou que outras competições já estavam pré-agendadas para serem realizadas a partir de julho e não puderam ser canceladas para atender aos eventos adiados do primeiro semestre. “O resultado é que o coronavírus realmente nos obrigou a cancelar o evento”, frisou, na oportunidade.

A cidade sediaria a competição de planadores pelo segundo ano consecutivo. Após receber uma etapa nacional em 1990, no ano passado, o município voltou a ter competições aéreas.

Em 2019, por meio do aeroclube local, Tatuí foi palco do 61o Campeonato de Voo a Vela do Sudeste e do 7o Campeonato Nacional de Acrobacia Aérea.

Publicidade