Tatuí tem novo saldo positivo de empregos

Dados do Caged apontam a cidade na terceira posição dentro do ranking da microrregião

1204
PAT anuncia volta da emissão da carteira de trabalho (foto: AI Prefeitura)
Publicidade
Siltec

Em maio, Tatuí registrou o segundo saldo positivo consecutivo na geração de empregos formais, segundo dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), divulgados na quinta-feira, 27, pela Secretaria Especial de Previdência e Trabalho, do Ministério da Economia.

Os números apontam para variação absoluta positiva de 0,15%, com 38 admissões a mais que os desligamentos. Foram 748 contratações e 710 demissões durante o período, entre 4.868 estabelecimentos consultados. A cidade iniciou o ano com 25.389 empregos formais.

No quinto mês do ano, três atividades econômicas fecharam com saldo positivo. O setor que mais se destacou foi o da indústria de transformação, que contabilizou 61 novas contratações, resultado de 218 admissões para 157 desligamentos.

O saldo foi positivo em quatro dos 12 subsetores da atividade econômica, o que representa variação absoluta de 0,71%. O melhor desempenho foi registrado pela indústria de material elétrico e de comunicações, responsável pelo saldo positivo de 62 vagas, com 67 pessoas contratadas e cinco desligamentos no mês.

O setor de serviços obteve o segundo melhor resultado, gerando 16 vagas formais, vindas de 219 contratações para 203 demissões. Entre os cinco subsetores da atividade econômica, destacaram-se os serviços médicos e de alojamento, com saldo de oito novas vagas para cada.

Publicidade
Siltec

Já a agropecuária obteve o terceiro melhor resultado, com a geração de quatro novas vagas, vindas de 37 admissões e 33 desligamentos. Os números representam variação positiva de 0,29%.

Dos oito setores estudados pelo órgão do Ministério do Trabalho, cinco sofreram redução de ocupações em maio: comércio (menos 31), construção civil (menos cinco), extrativa mineral (menos três) e administração pública (menos uma vaga).

Esta é a terceira variação positiva registrada em 2019. Em fevereiro, a alta havia sido de 118 novos postos e, em abril, de 28 novas vagas. Já no mês de janeiro, o município perdeu 31 vagas de empregos formais e, em março, outros 135 postos.

O chefe da agência regional do Ministério do Trabalho, Ricardo Augusto Ordonio de Morais, avalia que o saldo positivo em dois meses consecutivos representa a melhora das atividades econômicas e também da crise financeira do país.

“Geração de emprego com carteira assinada sempre é um ganho para o município. Mesmo sendo um número baixo, o saldo positivo representa mais dinheiro em circulação, aquecimento do comércio e melhora na economia”, destacou.

Para o chefe, a expectativa é de que os números continuem a mostrar resultados positivos nos próximos meses. A afirmação, segundo ele, pode ser medida pelos números apresentados pelo Caged quanto ao país.

“Os números do Ministério do Trabalho mostram que tivemos o maior crescimento na geração de emprego desde 2016 com carteira assinada. Então, a expectativa é que Tatuí siga este cenário e tenha cada vez mais vagas”, afirmou Morais.

Conforme o órgão do MT, o Brasil registrou a abertura de 32.140 novas vagas de trabalho com carteira assinada em maio, resultado de 1.347.304 de admissões e 1.315.164 de desligamentos. No ano, foram criados 351.063 novos empregos.

O número representa acréscimo de 0,91% e eleva para 38,761 milhões o estoque de empregos formais no país – o maior desde maio de 2016, quando o Caged registrou 38,783 milhões de empregados com carteira assinada.

Quatro das cinco regiões tiveram saldo positivo em maio, com destaque para o Sudeste, que criou 29.498 postos formais. Depois, vêm as regiões Centro-Oeste (6.148 vagas), Norte (4.110) e Nordeste (3.319). Apenas a região Sul teve redução no emprego formal (menos 10.935 postos).

O Caged registrou crescimento do emprego em 19 Unidades da Federação. Os maiores saldos foram de Minas Gerais, com abertura de 18.380 novas vagas; Espírito Santo, que abriu 9.384 postos; e São Paulo, com 6.023 novos empregos.

Entre os estados com redução nos empregos, os três maiores recuos ocorreram: no Rio Grande do Sul, com o fechamento de 11.207 postos; no Rio de Janeiro, menos 4.289 postos; e no Ceará, menos 1.428.

Na microrregião, que soma nove cidades, o saldo também fechou positivo, com a criação de 531 empregos com carteira assinada, sendo que sete municípios tiveram o mês de maio no azul.

Os números colocaram Tatuí na terceira melhor posição no ranking das cidades. Laranjal Paulista registrou o melhor saldo, com 258 novos empregos formais. Em seguida, aparece Cerquilho, que somou 211 novas contratações.

Boituva contabilizou 23 empregos formais; Porangaba e Pereiras, oito cada uma; Quadra gerou um novo posto de trabalho; e Torre de Pedra fechou o mês com saldo zerado. Somente Cesário, Lange que integra a microrregião de Tatuí, teve saldo negativo, com menos 16 postos de trabalho.

O Caged fornece informações sobre trabalhadores regidos pela CLT (Consolidações das Leis do Trabalho) e que possuem carteira assinada. O levantamento não leva em consideração os funcionários públicos estatutários e trabalhadores na informalidade.

Para o chefe do MT, parte do crescimento do saldo de empregos também está aliado às ações do Mistério do Trabalho na fiscalização sobre atividades sem registro em carteira. Ele conta que a agência regional tem fiscalizado empresas e autuado aquelas que apresentam irregularidades.

“Às vezes, a pessoa já estava trabalhando, mas sem registro, então, ela não entrava na estatística. Essas ações do MT também acabam ajudando a fortalecer essa questão positiva da geração de emprego”, explicou Morais.

O chefe da agência regional ainda aponta a atuação do PAT (Posto de Atendimento ao Trabalhador) e da prefeitura como responsáveis pelo saldo positivo dos últimos meses, por meio da procura de vagas e intermediação de empregos.

“Temos diversos órgãos que contribuem com o crescimento, assim como o PAT, que sempre tem ofertas de vagas e a prefeitura, que sempre está buscando novas vagas junto às empresas. Então, a gente espera que sempre seja positivo”, completou.

Segundo o PAT, há diversas vagas de empregos disponíveis. O PAT é um órgão da Secretaria de Trabalho e Desenvolvimento Social, que funciona no Cate (Centro de Apoio ao Trabalho e Empreendedorismo), na praça Martinho Guedes, 12, antigo Alvorada Clube.

O atendimento ao público é feito de segunda-feira a sexta-feira, das 8h às 17h. Já a agência regional do MT em Tatuí funciona na rua Adauto Pereira, 352, na vila Minghini.

Emissão da CTPS

A partir da próxima segunda-feira, 1º de julho, o PAT voltará a emitir a CTPS (Carteira de Trabalho e Previdência Social). O serviço estava paralisado desde 2010 no PAT, sendo feito somente no Poupatempo do município.

Conforme divulgado pela assessoria de comunicação da prefeitura, os servidores municipais locados no Poupatempo passaram por treinamentos e cursos para se adaptarem às mudanças do sistema de emissão da CTPS.

“Os equipamentos e a estrutura já estão prontos para atender à população, que pode sair com a Carteira de Trabalho em mãos”, ressaltou o diretor do PAT, Gustavo Grando.

Para solicitar a primeira carteira de trabalho, é necessário apresentar os seguintes documentos: carteira de identidade; certidão de nascimento (caso seja solteiro), ou certidão de casamento, separação ou divórcio; CPF e comprovante de residência do último mês.

Já para a emissão da segunda via, são necessários todos os documentos já citados, além de boletim de ocorrência registrado junto à Polícia Civil, em caso de perda, e o extrato do PIS/Pasep emitido pela Caixa Econômica Federal.

Se a carteira é antiga ou está danificada, a segunda via pode ser retirada apresentando-se todos os documentos listados para a primeira via e a carteira de trabalho antiga ou que está danificada.

Publicidade
Siltec