Tatuí tem novo recorde de infecção por Covid-19 com 96 casos em 7 dias

Ocupação de leitos públicos de UTI oscila entre 80% e 90% durante a semana

430
Publicidade
Da reportagem

Com 96 novos casos confirmados de Covid-19 entre o sábado passado, 20, e esta sexta-feira, 26, Tatuí bateu novo recorde de contaminações e, em números, viveu a pior semana epidemiológica desde o início da pandemia.

Segundo dados divulgados pela Secretaria Municipal de Saúde, por meio da Vigilância Epidemiológica, o índice representa aumento de 23% em relação ao registrado na semana anterior (de 13 a 19), quando foram registrados 78 novos casos da doença.

Já a taxa de letalidade da Covid-19 teve queda de 25% com relação à semana anterior. De 13 a 19 de junho, foram notificadas quatro mortes pela doença. Nos sete dias seguintes, foram notificados três novos óbitos.

O óbito mais recente foi anunciado na manhã de quinta-feira, 25, referente a um homem de 33 anos. O paciente estava internado no Hospital A.C. Camargo, em São Paulo, e faleceu na terça-feira, 23. Ele residia em Tatuí e realizava tratamento de um câncer.

Na segunda-feira, 22, a VE informara que um homem de 54 anos, que estava internado na unidade de terapia intensiva da Santa Casa de Misericórdia, não resistiu à doença. Ele foi sepultado no Cemitério Cristo Rei.

Publicidade

A outra vítima fatal foi confirmada em boletim divulgado no sábado, 20, referente a um homem de 62 anos. O paciente estava internado na unidade de terapia intensiva da Santa Casa e foi sepultado no Cemitério São João Baptista.

O número de mortes representa 5,40% do total de casos confirmados da doença, sendo 13 homens (nove acima dos 60 anos e quatro entre 39 e 59 anos) e dez mulheres (nove na faixa dos 60 anos).

A média de diagnósticos do período foi de 13,7 infectados a cada 24 horas. Somente nos últimos três dias, a cidade recebeu 237 novas notificações, das quais 52 foram confirmadas.

Até terça-feira, 23 (data de fechamento da edição anterior), a cidade somava 1.382 notificações por Covid-19, sendo 54 casos suspeitos aguardando resultados dos testes, 954 descartados e 374 positivos, com 22 óbitos pela doença.

Já na tarde de sexta-feira, 26, conforme o boletim epidemiológico mais recente, divulgado por volta das 11h, o município somava 1.619 notificações, sendo 47 casos suspeitos aguardando resultados dos testes, 1.146 descartados e 426 positivos.

Dos casos confirmados, 343 pacientes já estavam recuperados, 23 morreram e 60 ainda estavam em tratamento: 50 em isolamento domiciliar e dez em hospitais. Dos casos suspeitos, 47 estavam em tratamento: 11 internados e 36 em casa.

Somente na sexta-feira, foram notificados 19 novos casos positivos (sete homens e 12 mulheres), todos com quadros estáveis e em tratamento domiciliar; 123 novos casos suspeitos (58 homens e 65 mulheres); e 98 descartados (46 homens e 52 mulheres).

A secretária municipal da Saúde, Tirza Luiza de Melo Meira Martins, informou a O Progresso que o índice de pacientes positivados começou a crescer a partir da primeira semana de maio, como consequência do aumento da testagem nos casos notificados como suspeitos.

“Nós recebemos quase 2.500 testes rápidos para o coronavírus, do governo do estado, em meados de maio e, desde então, intensificamos a testagem com isso. Consequentemente, tivemos mais diagnósticos. Graças a Deus, a maioria com quadros estáveis e em tratamento domiciliar”, acentuou a secretaria.

Ela explicou que os testes rápidos são realizados em profissionais de saúde com sintomas da doença, pacientes com mais de 60 anos, familiares de pessoas diagnosticadas com a Covid-19, familiares de profissionais de saúde, entre outros pacientes do grupo de risco, como pessoas com doenças crônicas.

Além disso, Tirza ressaltou que a secretaria mantém a “Central de Controle da Covid-19”, na qual são acompanhados todos os casos de pacientes que apresentam sintomas gripais em atendimentos no Pronto-Socorro “Erasmo Peixoto”, unidades básicas de saúde e nas barreiras sanitárias realizadas em pontos estratégicos da cidade, com aferição da temperatura corporal.

“Nós cadastramos todos os pacientes com sintomas gripais na central, e uma equipe de profissionais da Saúde acompanha, por meio de ligações, a evolução dos casos durante 14 dias. As que permanecem com sintomas são orientadas, se necessário, tem acompanhamento médico e fazem o teste para a Covid-19”, detalhou a secretária.

Tirza explicou ser necessário o acompanhamento dos pacientes para aumentar a eficácia das testagens. Segundo ela, os testes utilizados funcionam por meio da pesquisa de anticorpos (IgG e IgM) produzidos contra o vírus e que aparecem quando a doença está em curso, sendo detectáveis após o oitavo ou décimo dia da infecção.

“Por isso, temos a Central de Controle bem atuante, com as ligações e acompanhando os sintomas. Se fizermos o teste que vem do governo no primeiro ou segundo dia de sintoma, a gente pode ter um falso negativo”, acrescentou a secretaria.

Ocupação de leitos

Durante os últimos sete dias, a taxa de ocupação de leitos de UTI (unidades de terapia intensiva) no Sistema Único de Saúde oscilou e chegou a registrar 90%, na quinta-feira, 25, em ala reservada ao tratamento de pacientes com suspeita ou confirmados com a Covid-19.

Na sexta-feira, 26, o registro da VE apontou que a ocupação em UTI, por pacientes confirmados ou suspeitos reduzira de 90% para 80%. Já os leitos clínicos de internados por Covid-19 estavam com 31% de ocupação.

Na Santa Casa, estavam internados 15 pacientes: oito na UTI, com quadros que inspiravam cuidados (cinco positivos e três suspeitos), e sete no isolamento, com quadros estáveis (dois positivos e cinco suspeitos).

Também estavam internados, no hospital particular, seis pacientes: quatro na UTI, com quadros inspirando cuidados (dois positivos e dois suspeitos), e dois no isolamento, com quadros estáveis (um positivo e um suspeito).

A unidade privada não informa a taxa de ocupação. Já o percentual de leitos públicos considera os dez leitos de UTI e 22 clínicos reservados ao tratamento da Covid-19.

Conforme a secretária da Saúde, o município tem condições de aumentar o atendimento na ala clínica para até 54 leitos na Santa Casa e ainda de remanejar respiradores, podendo chegar a até 22 leitos de UTI com os equipamentos disponíveis.

Além dos dez reservados à Covid-19, a Santa Casa conta com quatro leitos em funcionamento no Pronto-Socorro Municipal “Erasmo Peixoto” e oito reservados a pacientes internados com patologias diversas.

“Todos contam com respiradores móveis e é possível remanejar os aparelhos de uma ala para outra, em caso de necessidade. Mesmo reservando uma área para a Covid-19, nós podemos trabalhar com os 22 respiradores que temos e adequar o atendimento conforme a demanda”, reforçou a secretária.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

entre com sua mensagem
entre com seu nome