Tatuí­ vai ser Municí­pio de Interesse Turí­stico, afirma secretário estadual

574
Publicidade





O secretário estadual do Turismo, Roberto de Lucena, afirmou na quarta-feira, 6, que trabalhará pela classificação de Tatuí como um dos 140 Municípios de Interesse Turístico (MIT) de São Paulo.

Conhecida como a Capital da Música, a cidade quer entrar na lista a ser criada pelo governo estadual com localidades que serão beneficiadas com a medida.

“Vamos colocar essa demanda da cidade debaixo do braço e vamos lutar para concretizar. É de interesse da Secretaria de Turismo ter a cidade no elenco dos 140 municípios de interesse turístico”, declarou.

O Departamento de Cultura e Desenvolvimento Turístico já enviou o projeto para a classificação da cidade. Caso seja eleita, Tatuí receberá verba anual de R$ 600 mil, do Fundo de Melhorias das Estâncias, para investir na infraestrutura turística.

Publicidade

“O secretário de Estado do Turismo esteve aqui e o Rizek (diretor municipal da área) reforçou para que Tatuí seja uma das primeiras cidades, podendo passar a receber os recursos, para que a gente possa investir essa verba na área”, disse o prefeito José Manoel Corrêa Coelho, Manu.

No ano passado, o deputado estadual Sebastião Santos (PRB) apresentou um projeto de lei (338/15) na Assembleia Legislativa que classifica Tatuí como sendo de interesse turístico. Uma comissão interna avaliará a lista de cidades e a apresentará à Secretaria de Turismo, que vai checar se elas cumprem com os requisitos.

O diretor Rizek afirmou que está “esperançoso e confiante” na escolha de Tatuí. “O secretário nos disse que fomos uma das primeiras cidades a apresentar a documentação necessária e que nosso projeto está em ordem”, afirmou.

Segundo a Secretaria de Turismo, para ser classificada como de interesse turístico, a cidade precisa preencher alguns critérios, como ter potencial turístico, um Conselho Municipal de Turismo, serviço médico emergencial, locais para hospedagens, serviços de alimentação, transporte, segurança e de informação e receptivo turístico, plano diretor de turismo, expressivos atrativos e infraestrutura básica capaz de atender às populações fixas e flutuantes, em relação ao fornecimento de água e coleta de resíduos sólidos.

Lucena explicou que as cidades escolhidas vão compor um ranking. A cada três anos, a Assembleia revisará as cidades classificadas como estâncias e de interesse turístico.

As três últimas cidades da primeira categoria poderão cair para a segunda e as três primeiras do segundo grupo poderão ascender à primeira categoria.

“São Paulo tem 70 estâncias e, com os MIT, terá 210 municípios indutores de turismo, o que representa um terço das cidades paulistas”, explicou.


Publicidade