Tampinhas plásticas levam recurso à Apae

    Entidade lança gincana como projeto de arrecadação durante Semana do Meio Ambiente

    911
    Os próprios alunos são responsáveis pela separação das tampinhas por cores (foto: Apae)
    Publicidade
    Siltec
    Alessandra Bonilha, dra

    A Apae (Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais) lançou na quinta-feira, 6, durante as comemorações da Semana do Meio Ambiente, a “Gincana da Tampinha”. A ação visa arrecadar tampinhas plásticas e levar recursos extras à entidade, além de ajudar a preservar a natureza.

    Sem o descarte adequado, as tampinhas podem acabar jogadas pelas ruas e calçadas e ir parar nas matas, na areia da praia, nos rios e oceanos.

    “Para mudar esse cenário – ou pelo menos para começar – a missão é mobilizar toda a cidade, através das escolas, com a participação dos educadores, familiares e, claro, dos alunos, que serão os multiplicadores da ação”, conforme informou a assistente social da Apae, Daliane Miranda.

    As unidades de ensino começaram a receber os convites durante a última semana. Para as escolas participantes, haverá prova de coleta e separação das tampinhas, além de outras ações que valem ponto para definir o vencedor da brincadeira.

    Concepção de cartazes e esculturas a partir do material reciclado, redação sobre o tema, engajamento nas redes sociais e produção de material adaptado com foco na pessoa com deficiência são alguns dos requisitos apresentados pelo regulamento da gincana.

    Publicidade
    Siltec
    Alessandra Bonilha, dra

    Conforme a Apae, o regulamento, a pontuação e o calendário serão detalhados diretamente a cada escola. O encerramento está previsto para o segundo semestre. A premiação prevê um passeio para a sala que mais arrecadar tampinhas, além de troféus e um kit educativo para a escola campeã.

    Para colaborar, basta separar todo tipo de tampinha plástica: garrafa pet, potinho de maionese, embalagem de detergente ou qualquer outra. A cada 1,5 tonelada arrecadada, a Apae recebe recursos extras para manutenção dos projetos da entidade.

    O presidente da Apae, Mário Luís Rodrigues da Costa, destacou o interesse e a mobilização das escolas diante do projeto. Ele conta que, antes mesmo de receberem o convite oficial, muitas escolas já haviam procurado a entidade, querendo participar.

    “Isso é muito gratificante e nos dá a extensão da responsabilidade social e do engajamento da população tatuiana com as causas sociais. Certamente, teremos mais uma campanha de sucesso, será uma cruzada pelo meio ambiente e pela solidariedade”, argumentou Costa.

    A assistente social explica que a iniciativa é integrada ao projeto “Tampinha Legal”, que recebe as tampinhas e as reaproveita em mais materiais plásticos, impedindo o descarte inadequado no meio ambiente.

    O “Tampinha Legal” é tido como o maior programa socioambiental de caráter educativo de iniciativa da indústria de transformação do plástico da América Latina.

    Lançado em 2016, na segunda edição do Congresso Brasileiro do Plástico (CBP), propõe ações modificadoras de comportamento de massa através do fomento e incentivo da coleta de tampas de plástico.

    A Apae de Tatuí tornou-se o primeiro posto autorizado de coleta da cidade e recebe os materiais desde o ano passado. Segundo Daliane, os próprios alunos são os responsáveis pela separação das tampinhas por cores.

    “É uma atividade lúdica, que faz parte do currículo funcional e natural, trabalha a psicomotrocidade e a identificação das cores. Portanto, todo cidadão pode e deve colaborar encaminhando suas tampinhas diretamente para a entidade”, explicou Daliane.

    O prazo para inscrição das escolas segue durante este mês, por meio da carta-convite à Apae, ou por iniciativa da própria escola. Podem entrar em contato pelo WhatsApp da Apae no (15) 99612-9182, por ofício ou pelo e-mail centrodeconvivenciaapae@outlook.com.

    Publicidade
    Siltec
    Alessandra Bonilha, dra