‘Sou pai de 645 filhos’, diz Alckmin em Tatuí

255
Publicidade
Siltec





Divulgação

Alckmin e autoridades descerraram placa de obra em ‘SP’ que liga Tatuí a Itapetininga

 

“Quantos municípios tem o Estado de São Paulo? São 645. Então, sou pai de 645 filhos”. Com este argumento, o governador Geraldo Alckmin afirmou que avaliará os pleitos apresentados pelo prefeito José Manoel Correa Coelho, Manu, na manhã de sexta-feira, 23.

 

Publicidade
Siltec

Alckmin recebeu os pedidos quando participou, em Tatuí, de solenidade de inauguração de obras de melhoria da rodovia Gladys Bernardes Minhoto (SP-129) e iniciou recapeamento da rodovia Mário Batista Mori (SP-141). Na ocasião, o governador destacou melhorias que já estão em andamento no município.

 

O evento aconteceu às 9h, sendo acompanhado pelo próprio prefeito Manu, pelo vice-prefeito Vicente Aparecido Menezes e pela primeira-dama Ana Paula Cury Fiuza Coelho, pelo ex-prefeito Luiz Gonzaga Vieira de Camargo, por deputados estaduais, prefeitos de cidades da região e pelo secretário do Saneamento e Recursos Hídricos do Estado, Edson Giriboni.

 

A cerimônia aconteceu ao lado da entrada da Fatec (Faculdade de Tecnologia) “Professor Wilson Roberto Ribeiro de Camargo”. Ela, no entanto, precisou ser alterada por conta do tempo de duração dos discursos das autoridades.

 

O protocolo previa que o governador se dirigisse até uma retroescavadeira para, simbolicamente, dar início às obras de recuperação e modernização da SP-141.

 

Alckmin, contudo, teve de antecipar a ida a Capela do Alto, onde participou da inauguração de duplicação da Raposo Tavares (SP-290), do quilômetro 115,5 ao 132,62.

 

Em Tatuí, ele dirigiu-se a um painel com detalhamento das obras viárias, sendo acompanhado por uma comitiva liderada pelo deputado estadual Samuel Moreira.

 

Alckmin teve recepção no aeródromo do município por Manu. O prefeito acompanhou o governador em uma “van” durante o trajeto do aeródromo municipal até o local das cerimônias simbólicas.

 

Também integraram a comitiva o deputado estadual Osvaldo Verginio, prefeitos da região, representantes da Artesp (Agência Reguladora de Transportes do Estado de São Paulo) e de concessionárias que administram rodovias na região.

 

O evento teve início com discurso do superintendente do DER (Departamento de Estradas de Rodagem), Clodoaldo Pericione. O representante do órgão cumprimentou o governador, autoridades e citou os valores de investimentos feitos pelo governo na região.

De acordo com ele, o Estado aplicou R$ 24 milhões na rodovia que liga Tatuí a Itapetininga. “O governo, através do DER, pavimentou 21 quilômetros”, disse.

 

Pericione destacou que a mesma rodovia – conhecida como estrada velha entre os dois municípios – havia sido contemplada com mais R$ 13 milhões de investimentos. Os recursos foram aplicados em obras de recapeamento.

 

“Queremos que as populações de Tatuí e Itapetininga tenham uma rodovia nova, com toda sinalização e segurança, para que possam transitar nela com a máxima segurança e sem problema algum”, citou.

 

O superintendente também destacou que o governador está aplicando mais R$ 21,6 milhões no recapeamento da SP-141 – que liga Tatuí a Cesário Lange.

 

Lembrou que o Estado já aplicou R$ 75 milhões em infraestrutura viária (com a recuperação da rodovia Senador Laurindo Minhoto, também SP-141).

 

“Essas obras fazem parte de um grande pacote de recuperação das rodovias estaduais”, disse Pericione. O programa inclui duplicações, recapeamentos, implantação de novas faixas e acostamentos.

 

Por meio dele, o superintendente informou que o governo investirá R$ 10 bilhões. A meta é recuperar 7.000 quilômetros de rodovias, sendo R$ 1,5 bilhão somente no sudoeste paulista.

 

“A proposta do governador é que todas as rodovias estaduais estejam com qualidade ótima, com segurança, com novos dispositivos, passarelas, visando não só desenvolvimento, turismo, melhores condições para indústrias, agriculturas, mas, principalmente, a redução de acidentes”, argumentou.

 

Pericione informou que o Estado investirá “pesado” para reduzir o número de mortes em rodovias. Parabenizou o governador e agradeceu “por todo apoio e garantia dos recursos para que o DER e a Secretaria de Estado de Logística possa executar obras tão importantes para a população de São Paulo”.

 

Segundo a discursar, o prefeito de Tatuí apresentou a Alckmin uma lista de pedidos. Os pleitos incluíram mais investimentos em infraestrutura, em saúde e educação.

 

Manu agradeceu a presença de Alckmin e disse que o recebia com “satisfação”. Também afirmou que a visita do governador “abrilhantou o início da obra de recuperação da SP-141, tão esperada pela população do município”.

 

Cumprimentou os demais prefeitos da região e o secretário Giriboni. Agradeceu a presença da primeira-dama, Ana Paula, e do grupo de idosos do projeto Melhor Idade. Os idosos compareceram ao local para acompanhar o evento e comemoraram a novidade anunciada pelo governador.

 

Manu informou que Ana Paula vai inaugurar, em breve e juntamente com a primeira-dama Lu Alckmin, novo projeto. Trata-se do Polo de Construção Civil.

 

“É um projeto que vai qualificar as pessoas para trabalhar nas construções. Vai ser inovador no Fundo Social e inédito. O primeiro será em Tatuí”, disse.

 

Na sequência, o prefeito apresentou um a um os pedidos – reforçados de maneira formal, por meio de ofícios. Manu salientou que tem acompanhado o governador nos compromissos dele e agradeceu as 200 casas que deverão ser construídas pela CDHU (Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano) na cidade.

 

Segundo ele, Alckmin presenteou o município no início da gestão, período que o prefeito afirmou ter sido o mais crítico.

Manu também agradeceu a Giriboni pelo apoio e afirmou que, graças ao empenho dele, teve o pedido de reconstrução da ponte de ligação do bairro Colina Verde atendido pelo governador.

 

Ainda a respeito da ponte, Manu contou a Alckmin que ela havia sido tema de matéria veiculada em um programa de televisão de abrangência nacional.

 

“Se o senhor assistiu, pôde acompanhar que nós ficamos bem na foto. Eu, o senhor e o secretário não fomos surpreendidos, não”, citou, em pronunciamento.

 

Para apresentar os pleitos, Manu quebrou o protocolo e disse que estava emocionado. Destacou a importância do recapeamento para o município e ressaltou que a SP-141 tem um “tráfego pesadíssimo de veículos”.

 

“Isso graças ao desenvolvimento que tem sido dado a essa área. Estão aqui vários empresários. Aqui, é o polo brasileiro das cerâmicas. Nessa localidade, temos a maioria das cerâmicas e empresas”, afirmou.

 

Por conta da importância da região para a cidade, o prefeito pediu que Alckmin estudasse projeto de duplicação de um trecho de 4,5 quilômetros. A melhoria pleiteada vai do trecho de acesso do São Cristóvão até a Cerâmica Strufaldi.

 

“Hoje, o recape da rodovia vai melhorar, revitalizar, trazer até um pouco mais de segurança, mas não vai desafogar o trânsito pesado”, destacou o prefeito.

 

Manu pediu, ainda, que o governo incluísse, no pedido, recursos para construção de um “dispositivo inferior” (um túnel) ligando a SP-141 à avenida Vice-Prefeito Pompeo Reali. A obra completaria o projeto de revitalização que o Executivo estuda para o local (antecipado por O Progresso).

 

Manu pediu, ainda, que o Estado invista R$ 2 milhões na construção de um acesso na rodovia Antonio Romano Schincariol (SP-127) para o novo distrito industrial.

 

Conforme ele, pelo menos três empresas estão na pendência da construção do dispositivo viário para dar início às suas plantas, referindo-se à Zoomlion, à Noma do Brasil e à MetroShacman.

 

“É um acesso que não tem um custo muito alto e que permitirá que essas empresas possam começar, efetivamente, a se instalar na nossa cidade”, disse.

 

Para complementar os investimentos naquela região, o prefeito pediu a construção de um trevo de acesso. A obra permitira “melhor acesso” ao fórum. “Também ajudaria nesse percurso do aeroporto e das empresas. Daríamos um grande avanço no sistema viário da nossa cidade”, afirmou.

 

Outro pedido apresentado pelo prefeito diz respeito à Santa Casa. Depois de elogiar a figura política de Alckmin e de dizer que ele “vai continuar tendo expressão de votos em Tatuí”, Manu solicitou que o governador não medisse esforços para instalar uma UTI (unidade de terapia intensiva) neonatal.

 

Conforme o prefeito, o maior desafio da municipalidade é a área da Saúde. “Como temos acompanhado em todos os noticiários do Brasil, em Tatuí não é diferente”.

 

A intenção do administrador municipal é de implantar, na maternidade, uma UTI com oito leitos. “Já verifiquei. Temos espaço físico e condições. O DRS (Departamento Regional de Saúde) 16, de Sorocaba, está simpático à ideia”, citou.

 

Conforme Manu, não só o município, mas a região necessita de mais leitos. Disse, também, que o prédio da maternidade – inaugurado há pouco mais de um ano – comporta essa nova unidade. “Nós temos o corpo médico que pode dar esse suporte, mas eu preciso dessa sua mão para conseguir”, falou.

 

Ainda na área da Saúde, Manu solicitou ao governo repasse de mais R$ 2 milhões, sendo metade para compra de equipamentos, reforma da unidade do raio-X, e metade para custeio da Santa Casa. O prefeito alegou que o recurso é necessário porque auxiliará o único hospital da cidade que atende a região.

 

Manu também mencionou a Câmara Municipal e comparou o apoio que tem, em Tatuí, ao que o governador precisa ter na Assembleia Legislativa. “Sem os seus deputados, o senhor não consegue nada. Fica engessado”, afirmou.

 

Seguindo com os pedidos, o prefeito fez duas solicitações na área da Educação. Pediu a construção de uma escola de ensino médio e de uma Etec (escola técnica) para atender moradores da região do Jardim Santa Rita de Cássia.

 

Citou que as unidades vão auxiliar a qualificação da mão de obra e na Educação. Manu lembrou os investimentos que o governo fez na região (construção de moradias populares) e destacou que as melhorias vão atender a uma população que deve chegar a 20 mil nos próximos anos.

 

A lista de pleitos apresentados pelo prefeito incluiu, ainda, a construção de mais 200 moradias populares. “Tatuí comporta essas unidades. Espero que o senhor, hoje, anuncie para a gente essas conquistas que tanto a cidade merece e carece”.

 

Por fim, Manu desejou a Alckmin sucesso na gestão e fez previsão sobre os resultados das eleições de 2014. “Ano que vem, vai ser Brasil campeão (da Copa do Mundo) e Geraldo nosso governadorzão. Foi assim que eu falei na minha campanha para prefeito. É assim que vai acontecer”, concluiu.

 

Antes do discurso do presidente da Assembleia Legislativa, Alckmin recebeu presente entregue pela primeira-dama de Tatuí. Ana Paula repassou ao governador uma cesta com doces produzidos nos cursos dos centros de capacitação.

 

Em pronunciamento, Moreira cumprimentou autoridades locais – com destaque para o ex-prefeito Gonzaga –, e os deputados.

 

Também citou prefeitos da região e diversas obras realizadas na cidade por meio de convênio entre a Prefeitura e o governo do Estado.

 

Destacou o Poupatempo, a maternidade da Santa Casa, a duplicação da SP-141 (entre Tatuí e Araçoiaba da Serra), a ampliação da Fatec e a construção de creches-escola, por meio de programa específico.

 

Moreira sustentou que “a presença do Estado tem sido muito forte na região” e criticou o que chamou de “concentração de recursos do governo federal”.

 

Conforme o deputado, 62% dos impostos pagos pelos contribuintes ficam com o governo federal e 25%, com os Estados. Sobram 13% para os municípios.

 

Em função disso, o parlamentar afirmou que os municípios têm dificuldades. Citou que muitas são sanadas com investimentos feitos pelo governo.

 

Segundo ele, o Estado aplica recursos para aumentar a geração de emprego e movimentar a economia. Ainda assim, em julho, o governo registrou 77% menos carteira assinada neste ano em comparação com o ano passado.

 

“Esses investimentos todos para gerar emprego, aquecer a economia e viabilizar ainda mais o Orçamento dos municípios. Portanto, eu quero destacar muito o esforço que o senhor (Alckmin) tem feito”, falou o deputado.

 

Moreira também citou que, apesar de ser um poder independente, a Assembleia Legislativa é parceira do governo do Estado. O deputado defendeu a reputação de Alckmin (que teve o nome envolvido em suposto cartel de licitações do metrô e da CPTM – Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) e afirmou que ele é “referência em caráter e serviços prestados”.

 

“Tatuí poderá continuar contando com o nosso trabalho que fizemos junto com o Gonzaga e que vamos fazer juntos com o Manu, porque o que importa é a nossa cidade”, afirmou Moreira.

 

Em discurso, Alckmin seguiu o protocolo. Cumprimentou as autoridades e, a exemplo dos representantes do Estado, citou os investimentos na região.

 

Afirmou que o Estado está aplicando diversos recursos em Tatuí, citando o estúdio de produção fonográfica da Fatec, melhorias no refeitório e quadra poliesportiva da Etec “Salles Gomes” e a creche-escola no bairro Tanquinho.

 

Segundo ele, só no programa das creches-escola, o Estado quer investir R$ 1 bilhão nos próximos anos. Também destacou que Tatuí está ganhando um novo complexo da Polícia Civil e que o município foi contemplado com o “Centro Conviver” e o “Centro Dia do Idoso”, para os quais serão destinados R$ 750 mil.

 

Alckmin adiantou, ainda, que os idosos deverão ter passe livre para viagens intermunicipais. Conforme ele, o projeto depende de aprovação da Assembleia Legislativa. O passe garantirá dois assentos por ônibus para pessoas com 60 anos de idade ou mais em viagens entre municípios.

 

“Quem quiser visitar um parente, passear, conhecer outra cidade, não vai pagar mais. É só marcar com 24 horas de antecedência”, explicou o governador.

 

Para ter direito ao benefício, o idoso terá de apresentar somente um documento de identidade. Alckmin afirmou que o projeto dispensa uso de carteirinha.

 

Ainda no palanque, o governador afirmou que Tatuí integra o “grande eixo do desenvolvimento de São Paulo”. Antecipando parte das respostas a Manu, determinou que a Artesp verificasse o pleito de construção de acesso para atender às empresas e comprometeu-se a “fazer as obras necessárias para que elas possam crescer, gerar mais empregos e se desenvolver”.

 

O governador também determinou que a Artesp discutisse, com os moradores dos bairros Jurumirim e Santa Adelaide, solução para que eles possam utilizar a SP-127 sem que precisem pagar pedágio. Conforme Alckmin, o acesso às localidades teria sido fechado por motivos de segurança.

 

A respeito de ajuda para a Santa Casa, o governador pediu apoio dos administradores do hospital e disse que a situação é complicada por conta da não correção de valores por serviços prestados da tabela SUS (Sistema Único de Saúde). De acordo com ele, o governo federal não reajusta os valores há dez anos.

 

O governador citou o problema enfrentado pela cidade de Araçatuba. Segundo ele, o município paulista ganhou UTI neonatal construída pelo Estado. Entretanto, não consegue iniciar atendimento porque não tem como mantê-la.

 

Alckmin citou que o maior problema está no custo operacional e no repasse desatualizado dos serviços prestados. Segundo ele, uma UTI neonatal, com médicos intensivistas e equipe de enfermagem, custa perto de R$ 315 mil por mês.

 

“Em 12 meses, vai chegar a quase R$ 4 milhões. O SUS paga R$ 135 por mês. Então, a Santa Casa de Araçatuba vai ter um prejuízo de quase R$ 2,5 milhão por ano, só com os dez leitos de UTI neonatal. Quer dizer, não é possível”, afirmou o governador.

 

De acordo com ele, em todo o país, as Santas Casas passam por situação “dificílima”. A de São Paulo, por exemplo, tem dívidas que chegam à casa dos R$ 280 milhões.

 

O governador, entretanto, afirmou que enviará equipe para avaliar o que é prioritário para o hospital de Tatuí. Alckmin também confirmou o investimento em escola de ensino médio para jovens que residem na região do Santa Rita.

 

Também destacou, na cidade, que o governo está fazendo 160 estações de tratamento de esgotos. Afirmou que São Paulo será o primeiro Estado do Brasil a universalizar o saneamento básico, oferecendo 100% de água tratada, 100% de esgoto coletado e 100% de esgoto tratado.

 

Com relação aos demais pedidos do prefeito de Tatuí, disse que vai analisá-los. Alckmin, porém, fez uso de uma “fábula árabe” que fala de uma mãe e dos filhos que ela mais amava para explicar que é preciso ter prioridades.

 

“O governador é como um pai. Vamos verificar. O que já vamos resolver é o problema das fábricas que precisam de acesso”, concluiu.
Depois de discursar, o governador fez o descerramento da placa inaugural da recuperação e modernização da SP-129. Na sequência, seguiu para Capela do Alto.


Publicidade
Siltec