Sky Movement lança novos projetos com foco na prevenção ao suicídio

Grupo aborda o “Setembro Amarelo” em encontros virtuais e presenciais

505
Sky Movement realiza ações voltadas à campanha “Setembro Amarelo” (Foto: Divulgação)
Publicidade
Da reportagem

Neste mês, o Sky Movement (“Movimento do Céu”) está provendo diversas ações em apoio à campanha “Setembro Amarelo”, iniciativa que busca conscientizar a população mundial a respeito do suicídio e formas de prevenção.

O movimento “nasceu” em novembro de 2018, promovendo encontros presenciais, todas as sextas-feiras a partir das 21h21, na Praça da Matriz. Contudo, neste ano, respeitando as determinações de isolamento social, o programa é virtual.

Os encontros continuam ocorrendo no mesmo dia e horário (sexta-feira, 21h21), pela página oficial do movimento Facebook no endereço https://www.facebook.com/oskymovement. O tema do mês é: “Todos pela Vida”.

A equipe organizadora é formada por vários líderes de jovens e adolescentes, além de voluntários, assim como o pastor Wilian Alexandre Nunes da Silva, um dos idealizadores do projeto, psicólogo e membro do Conselho Tutelar.

Silva ressaltou que o objetivo principal do encontro é “levar uma mensagem de amor e restauração”, além de trabalhar com questões de conscientização, uso de drogas e vícios, entre outros assuntos que fazem parte do cotidiano dos jovens e que, muitas vezes, acabam sendo as principais causas de suicídio.

Publicidade

As ações também servem para alertar os participantes sobre o suicídio e debater a importância de identificar, prevenir e combater o problema, na escola, no trabalho e na família, ajudando as pessoas que estejam enfrentando desafios.

“Nestas lives, queremos alcançar as pessoas para que elas se sintam acolhidas e confortadas. A intenção é mostrar que o pensamento suicida é uma doença e precisa de atenção. Precisamos desconstruir aquela ideia – construída pela sociedade – de falta de Deus ou falta de fé”, disse o pastor.

Pesquisas recentes da Organização Mundial da Saúde (OMS) mostram que o Brasil é o oitavo país em números absolutos em suicídios no mundo, onde a cada 40 minutos uma pessoa tira a própria vida.

Ainda segundo o estudo, mais de 90% dos casos estão associados a distúrbios mentais, entre eles, a dependência de álcool e a depressão. Globalmente, o suicídio já representa a segunda principal causa de mortes entre jovens de 15 a 29 anos.

Ainda conforme o pastor, após a campanha do Setembro Amarelo, as reuniões semanais continuarão abordando o tema, com o objetivo de ajudar os jovens, ou até mesmo adultos, com transtornos psicológicos.

“Sabemos que o acompanhamento precisa continuar. A prevenção não é só no mês de setembro. Lógico, divulgamos a campanha, é uma data marcante no mundo inteiro, mas o cuidado com essas pessoas tem que ocorrer todos os dias”, enfatizou Silva.

Hope House

Além dos encontros virtuais, em parceria com o pastor Rogério Marques, da 2ª IEQ (Igreja do Evangelho Quadrangular), da vila Esperança, o movimento inaugurou a “Hope House” (Casa da Esperança, na tradução para o português) com o slogan: “Há esperança para você”.

O espaço, inaugurado no dia 31 de agosto, é um “braço” da IEQ e fica na rua 11 de Agosto, 515, centro. Os encontros ocorrem em toda segunda-feira e quarta-feira, às 20h. Para participar, é necessário fazer reserva pelo link: www.bit.ly/HopeTatui.

Por conta das determinações de enfrentamento à pandemia do novo coronavírus, o número de participantes é limitado a 40 pessoas por encontro, e, por enquanto, é proibida a participação de menores de 14 anos e maiores de 60 anos.

“Como não podíamos fazer os encontros presenciais na Praça da Matriz, abrimos um ponto de encontro. Mas, o espaço tem outro foco e, por isso, não leva o nome do movimento, para não misturar as coisas e não desconstruir a ideia central do Sky”, contou Silva.

Segundo ele, o Sky Movement foi fundado com o objetivo de estar “no meio dos jovens”, nos locais onde eles se reúnem; já o novo espaço é uma casa de pregação, embora também vise atingir a todos sem distinção de religião.

A falta dos encontros presenciais motivou a inauguração do espaço. Silva apontou ter realizado o último encontro presencial do movimento no dia 13 de março. A partir da semana seguinte (20 de março), as reuniões passaram a ser virtuais.

“Foi por amor que abrimos este espaço, muitos estavam desesperados pedindo para que voltássemos com o atendimento. Então, vimos que não tinha como continuar só com os encontros virtuais”, justificou o pastor.

Ele enfatizou que o espaço segue todos os parâmetros exigidos pelo decreto municipal de isolamento social, dentro das regras específicas para templos religiosos, respeitando o uso obrigatório de máscaras, álcool em gel, ocupação de 30% do espaço e outros cuidados necessários.

“Sempre reforçamos: enquanto há vida, há esperança. A vida tem um valor muito maior do que um momento vivido, de sofrimento, de doença, enfim. Mas, muitas vezes, a pessoa não consegue compreender isso sozinha, ela precisa de apoio para se fortalecer, e nós estamos lá para isso”, concluiu Silva.

Publicidade