‘Sinfônica’ executa sinfonia de Beethoven

Concerto neste sábado também apresenta vencedores do concurso interno de solistas

630
Grupo do CDMCC tem à frente o maestro tatuiano Edson Beltrami (foto: AI Conservatório)
Publicidade

A Orquestra Sinfônica do Conservatório de Tatuí volta ao palco do teatro “Procópio Ferreira”, neste sábado, 20, às 18h. A primeira parte do concerto terá obras de Charles Griffes e Tomaso Vitalli, com participação dos vencedores do concurso interno de solistas da instituição.

Na segunda parte, o grupo interpretará a “6ª Sinfonia” do compositor alemão Ludwig van Beethoven, conhecida como “Pastoral”. A entrada é gratuita.

De acordo com o maestro Edson Beltrami, o programa começa com “Poem”, para flauta e orquestra, do compositor norte-americano Charles Tomlinsom Griffes, que terá participação solo de Abner Américo, aluno do curso de flauta transversal do Conservatório e que se destacou no concurso interno de solistas promovido pelo grupo.

Em seguida, a orquestra interpreta “Chacona”, do italiano Tomaso Vitali, com solo do jovem Rafael Sanches, de 14 anos, aluno do curso de violino do, também vencedor do concurso interno de solistas.

A Orquestra Sinfônica encerra o concerto com “Pastoral”, sexta obra da consagrada sequência de sinfonias escritas pelo compositor alemão Ludwig van Beethoven.

Publicidade

“Beethoven era um amante da natureza e sabe-se que ele passou grande parte de seu tempo em longos passeios pelo campo. A sinfonia começa com um movimento tranquilo e alegre, que retrata os sentimentos do compositor quando ele chega ao campo”, descreve o maestro.

O primeiro movimento, em forma de sonata, traz temas curtos que se repetem várias vezes, representando o padrão na natureza. O segundo movimento, também em forma de sonata, começa com os instrumentos de corda e uma melodia que imita água corrente.

Perto do final, há uma cadência para instrumentos de sopro de madeira que lembra o canto dos pássaros. “Beethoven identificou as espécies das aves na partitura: rouxinol (flauta), codorna (oboé) e cuco (dois clarinetes)”, destaca Beltrami.

O terceiro movimento retrata a dança folclórica do campo e a diversão, que passa sem pausa para o quarto movimento, remetendo o público a uma forte tempestade, com trovões, raios e ventos fortes.

A tempestade, finalmente, passa, com um ocasional trovão ainda ouvido à distância e o movimento termina “com um tema de oito compassos, representando a canção de ação de graças dos pastores”, conclui o maestro.

A Orquestra Sinfônica do Conservatório de Tatuí foi criada em 1985, é formada por professores e alunos bolsistas da instituição, que têm a oportunidade de aperfeiçoar o repertório sinfônico e adquirir a experiência para atuar em grandes grupos.

É coordenada pelo maestro tatuiano Edson Beltrami, formado em flauta transversal no Conservatório de Tatuí e vencedor de mais de uma dezena de concursos. Já atuou em inúmeras orquestras do Brasil e do exterior, além de desenvolver intensa carreira como compositor.

Publicidade