Sindicato contabiliza a participação de cerca de 70 bancários em greve

247
Publicidade





Bancários de Tatuí aderiram à greve nacional da categoria, deflagrada na manhã de ontem, terça-feira, 6. Na data, quatro agências bancárias da cidade exibiam cartazes nas fachadas anunciando a paralisação.

Conforme constatado pela reportagem, duas agências do Banco do Brasil e outras duas da CEF (Caixa Econômica Federal) fecharam as portas para atendimento ao público. As operações ficaram restritas aos caixas eletrônicos.

O Sindicato dos Bancários de Sorocaba e Região calcula que cerca de 70 bancários locais estão de braços cruzados. Trabalhadores de bancos privados não tinham aderido ao movimento até o fechamento desta edição (17h de ontem). Na região, a entidade classista informou que 62 agências mantiveram as portas fechadas.

De acordo com o sindicato, a categoria decidiu entrar em greve após assembleia realizada na noite de sexta-feira da semana passada, 2. A aprovação da medida foi unânime. A paralisação é por tempo indeterminado e atinge, além de Tatuí, cidades de 21 Estados e o Distrito Federal.

Publicidade

A greve foi decidida após quatro rodadas de negociações entre os representantes dos bancários e as entidades patronais, representadas pela Fenaban (Federação Nacional dos Bancos).

Os bancários rejeitaram a proposta apresentada pelo órgão, que oferecia reajuste de 6,5% nos salários, vale-refeição, alimentação, creche e abono de R$ 3.000.

A categoria reivindica aumento de 14,75%. Segundo o sindicato, o percentual garante aos trabalhadores “ganho real” (descontada a inflação do período) de 5%.

Os bancários pedem, também, a valorização do piso salarial ao mínimo calculado pelo Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos) em junho, que é de R$ 3.940,24, PLR (participação dos lucros e resultados) equivalentes a três salários mais R$ 8.317,90.

De acordo com o presidente do sindicato, Júlio César Machado, os representantes dos bancos retiraram-se da negociação após apresentarem a proposta de reajuste de 6,5% dos salários.

“Eles querem aumentar as margens de lucro em cima da folha de pagamento. Os banqueiros alegam que estão em crise, mas não existe crise para eles”, afirmou.

O sindicalista afirmou que a proposta de abono aos bancários tem uma “pegadinha”, pois esconde o desconto de R$ 700 do Imposto de Renda. Na prática, caso aceite, o funcionário receberia R$ 2.300 de prêmio.

Segundo Machado, estão na pauta de reivindicações melhorias nas condições de trabalho dos bancários e a garantia de manutenção dos empregos. Por dia, de três a quatro homologações de demissões são feitas pelo sindicato.

“Tem dia que chegam quatro homologações para fazer no sindicato. Enquanto saem funcionários com anos de casa e salário mais alto, entram jovens que recebem o piso salarial. Eles estão aumentando os lucros com isso”, declarou.

O sindicalista afirmou que os bancários estão à disposição dos bancos para retomarem as negociações.

Os clientes dos bancos que aderiram à greve em Tatuí podem buscar atendimento por meio dos terminais de autoatendimento, via internet (pelo chamado “internet banking”) e pelos correspondentes bancários.


Publicidade