Sessão ordinária tem mais de 30 moções acatadas por edis

Vereador Ronaldo José da Mota assinou 19 das 31 matérias

631
Integrantes da Mancha Verde Tatuí homenageados no plenário (foto: Eduardo Domingues)
Publicidade

A sessão ordinária realizada na noite de segunda-feira, 29 de abril, na Câmara Municipal, teve 31 moções de aplausos e congratulações apresentadas e aprovadas por todos os vereadores. O parlamentar Ronaldo José da Mota (PPS) foi o autor da maioria dos documentos.

Das 19 moções protocoladas por Mota, 17 foram endereçadas individualmente a funcionários da Pastelaria Tambelli. As outras duas matérias do edil parabenizam a Clínica Atividade Tatuí e a Academia My Box Tatuí.

Os parlamentares João Éder Alves Miguel (PV) e Rodolfo Hessel Fanganiello (PSB) foram autores de moções dirigidas à torcida organizada da Sociedade Esportiva Palmeiras local.

A Mancha Verde Tatuí promoveu uma ação social de Páscoa, na tarde de sábado, 20 de abril, ao distribuir cem ovos de chocolates a internos e funcionários do Lar São Vicente de Paulo.

Além da distribuição dos ovos, os integrantes da torcida organizada tiveram oportunidade de interagir com os idosos e entregaram uma placa de agradecimento ao presidente da entidade, Miguel Nunes Júnior.

Publicidade

Alves Miguel também apresentou moções de aplausos ao secretário municipal da Educação, Miguel Lopes Cardoso Júnior, à direção da Fatec Tatuí “Prof. Wilson Roberto Ribeiro de Camargo” e à Educrescere, responsáveis pela realização do 1º Fórum Municipal da Educação de Tatuí, dias 17 e 18 de abril.

O evento realizado no auditório principal da Fatec Tatuí contou com debates e palestras, envolvendo especialistas, com a finalidade de abordar os principais temas e desafios atuais da educação.

Eduardo Dade Sallum (PT) protocolou, pouco antes do início da sessão, o requerimento 731/19, assinado por todos os vereadores. O documento pede que a prefeitura informe sobre a possibilidade de implantação de um “bolsão de caminhões” – segundo o vereador, prometido pela atual gestão aos caminhoneiros da cidade.

O ex-prefeito José Manoel Correa Coelho, Manu, havia enviado o projeto de lei 19/16, solicitando que a Câmara Municipal concedesse um espaço público para que o sindicato da categoria organizasse o bolsão de caminhões.

Conforme Sallum, no ano seguinte, a atual gestão da prefeitura retirou o PL da Casa de Leis, afirmando que apresentaria melhorias no projeto.

Ainda conforme o vereador, na última semana do mês de abril, os caminhoneiros começaram a ser notificados por estarem estacionando os veículos próximos às próprias residências.

“Peço, por favor, à prefeita Maria José Vieira de Camargo que, antes de aplicar multas aos caminhoneiros, volte a negociar sobre esse bolsão de caminhões”, declarou.

“É uma demanda de uma classe de trabalhadores que está na base da sociedade e que garantem a economia do nosso município, além de garantirem que os alimentos, combustíveis e as vestimentas, cheguem até as nossas casas”, completou o parlamentar.

Sallum adiantou que protocolara, no mesmo dia, o projeto de lei 24/19, que dispensaria a apresentação do “cartão do idoso” para obtenção da gratuidade no uso do transporte coletivo no município.

“Peço apoio dos demais vereadores para que, somente com a apresentação RG (registro geral), o idoso possa utilizar o transporte coletivo gratuitamente”, frisou Sallum, lembrando que, no momento, os cartões devem ser renovados a cada seis meses.

O presidente da Câmara Municipal, Antônio Marcos de Abreu (PR), subiu à tribuna para falar sobre o requerimento 764/19, de autoria própria, pedindo que a prefeitura informe se há uma equipe para fazer regulação de dados e prontuários eletrônicos e, caso não exista, qual seria o impedimento.

Conforme o edil, existe o prontuário eletrônico do paciente na rede do SUS (Sistema Único de Saúde). Segundo ele, o sistema permite que todos os exames prescritos pelos médicos sejam colocados no prontuário eletrônico dos pacientes.

De acordo com Abreu, após ser atendido por um médico clínico-geral e encaminhado a uma especialidade, o profissional de saúde poderá acessar o prontuário eletrônico, verificando os exames já realizados e, assim, extinguindo a necessidade de o paciente refazer os mesmos exames.

“A pessoa chega e já vai haver o exame dela no prontuário eletrônico, onde o médico poderá ver os exames já feitos e pedirá apenas as avaliações da especialidade dele”, observou.

“Isso gera mais economia ao nosso município e dá melhor atendimento aos pacientes. Caso não existe uma equipe para esse serviço, que seja implementada o mais rápido possível na rede do SUS”, concluiu o presidente.

Publicidade