Sessão ordinária tem mais de 30 moções acatadas por edis

    Vereador Ronaldo José da Mota assinou 19 das 31 matérias

    519
    Integrantes da Mancha Verde Tatuí homenageados no plenário (foto: Eduardo Domingues)
    Publicidade
    Alessandra Bonilha, dra
    Siltec

    A sessão ordinária realizada na noite de segunda-feira, 29 de abril, na Câmara Municipal, teve 31 moções de aplausos e congratulações apresentadas e aprovadas por todos os vereadores. O parlamentar Ronaldo José da Mota (PPS) foi o autor da maioria dos documentos.

    Das 19 moções protocoladas por Mota, 17 foram endereçadas individualmente a funcionários da Pastelaria Tambelli. As outras duas matérias do edil parabenizam a Clínica Atividade Tatuí e a Academia My Box Tatuí.

    Os parlamentares João Éder Alves Miguel (PV) e Rodolfo Hessel Fanganiello (PSB) foram autores de moções dirigidas à torcida organizada da Sociedade Esportiva Palmeiras local.

    A Mancha Verde Tatuí promoveu uma ação social de Páscoa, na tarde de sábado, 20 de abril, ao distribuir cem ovos de chocolates a internos e funcionários do Lar São Vicente de Paulo.

    Além da distribuição dos ovos, os integrantes da torcida organizada tiveram oportunidade de interagir com os idosos e entregaram uma placa de agradecimento ao presidente da entidade, Miguel Nunes Júnior.

    Publicidade
    Alessandra Bonilha, dra
    Siltec

    Alves Miguel também apresentou moções de aplausos ao secretário municipal da Educação, Miguel Lopes Cardoso Júnior, à direção da Fatec Tatuí “Prof. Wilson Roberto Ribeiro de Camargo” e à Educrescere, responsáveis pela realização do 1º Fórum Municipal da Educação de Tatuí, dias 17 e 18 de abril.

    O evento realizado no auditório principal da Fatec Tatuí contou com debates e palestras, envolvendo especialistas, com a finalidade de abordar os principais temas e desafios atuais da educação.

    Eduardo Dade Sallum (PT) protocolou, pouco antes do início da sessão, o requerimento 731/19, assinado por todos os vereadores. O documento pede que a prefeitura informe sobre a possibilidade de implantação de um “bolsão de caminhões” – segundo o vereador, prometido pela atual gestão aos caminhoneiros da cidade.

    O ex-prefeito José Manoel Correa Coelho, Manu, havia enviado o projeto de lei 19/16, solicitando que a Câmara Municipal concedesse um espaço público para que o sindicato da categoria organizasse o bolsão de caminhões.

    Conforme Sallum, no ano seguinte, a atual gestão da prefeitura retirou o PL da Casa de Leis, afirmando que apresentaria melhorias no projeto.

    Ainda conforme o vereador, na última semana do mês de abril, os caminhoneiros começaram a ser notificados por estarem estacionando os veículos próximos às próprias residências.

    “Peço, por favor, à prefeita Maria José Vieira de Camargo que, antes de aplicar multas aos caminhoneiros, volte a negociar sobre esse bolsão de caminhões”, declarou.

    “É uma demanda de uma classe de trabalhadores que está na base da sociedade e que garantem a economia do nosso município, além de garantirem que os alimentos, combustíveis e as vestimentas, cheguem até as nossas casas”, completou o parlamentar.

    Sallum adiantou que protocolara, no mesmo dia, o projeto de lei 24/19, que dispensaria a apresentação do “cartão do idoso” para obtenção da gratuidade no uso do transporte coletivo no município.

    “Peço apoio dos demais vereadores para que, somente com a apresentação RG (registro geral), o idoso possa utilizar o transporte coletivo gratuitamente”, frisou Sallum, lembrando que, no momento, os cartões devem ser renovados a cada seis meses.

    O presidente da Câmara Municipal, Antônio Marcos de Abreu (PR), subiu à tribuna para falar sobre o requerimento 764/19, de autoria própria, pedindo que a prefeitura informe se há uma equipe para fazer regulação de dados e prontuários eletrônicos e, caso não exista, qual seria o impedimento.

    Conforme o edil, existe o prontuário eletrônico do paciente na rede do SUS (Sistema Único de Saúde). Segundo ele, o sistema permite que todos os exames prescritos pelos médicos sejam colocados no prontuário eletrônico dos pacientes.

    De acordo com Abreu, após ser atendido por um médico clínico-geral e encaminhado a uma especialidade, o profissional de saúde poderá acessar o prontuário eletrônico, verificando os exames já realizados e, assim, extinguindo a necessidade de o paciente refazer os mesmos exames.

    “A pessoa chega e já vai haver o exame dela no prontuário eletrônico, onde o médico poderá ver os exames já feitos e pedirá apenas as avaliações da especialidade dele”, observou.

    “Isso gera mais economia ao nosso município e dá melhor atendimento aos pacientes. Caso não existe uma equipe para esse serviço, que seja implementada o mais rápido possível na rede do SUS”, concluiu o presidente.

    Publicidade
    Siltec
    Alessandra Bonilha, dra