Semana começa em Tatuí com seis novas suspeitas de coronavírus

Cidade totaliza 47 notificações; um caso é confirmado e um, descartado

715
Publicidade
Da redação

Mais seis casos suspeitos de Covid-19 foram notificados na manhã desta segunda-feira, 23, em Tatuí. Os dados foram divulgados, às 10h, no primeiro boletim diário da Vigilância Epidemiológica. O órgão está emitindo notas oficiais duas vezes ao dia. A próxima sai às 16h.

De acordo com a VE, entre as novas notificações, um paciente de 50 anos está internado na Santa Casa de Misericórdia, com quadro estável. Dois outros pacientes (um homem de 74 anos e uma mulher de 70 anos) estão internados em hospital particular, também com quadro estável.

No hospital particular, ainda foram notificados três outros casos, envolvendo uma mulher de 40 anos e dois homens, de 34 e 36 anos. Os três estão em tratamento domiciliar.

Até o momento, são 47 notificações no município, sendo 45 suspeitas aguardando resultados dos testes, um caso descartado e um caso positivo (aguardando contraprova).

Segundo a VE, a maioria está em tratamento domiciliar, com quadro estável, exceto os três casos notificados nesta manhã e o referente a um homem de 48 anos, que permanecia internado na Santa Casa, mas também com quadro estável.

Publicidade

Todos os exames foram encaminhados para análise no Instituto “Adolfo Lutz”, em São Paulo, e aguardam resultado – inclusive, a contraprova do teste que deu positivado.

Na tarde de sexta-feira, um evento – restrito e com cuidados de segurança – reuniu líderes de igrejas, órgãos municipais, Associação Comercial e Empresarial, entre outras autoridades, para a apresentação das estatísticas e de dois novos decretos municipais que impuseram o fechamento do comércio e dos órgãos públicos a partir desta segunda-feira.

Durante o evento, foi anunciado que o número de pessoas infectadas pelo coronavírus em Tatuí pode chegar a 1.800 durante o surto, na melhor das perspectivas, conforme levantamento da Secretaria Municipal de Saúde.

Já na pior das hipóteses, ainda segundo o levantamento, o número pode atingir 18 mil infectados pelo vírus. O estudo do Comitê Municipal de Prevenção e Enfrentamento ao Covid-19 foi apresentado pela médica ginecologista e obstetra Maria Laura Lavorato Matias, diretora clínica da Santa Casa, no paço municipal.

Maria Laura explicou que a estatística fora baseada em dados do governo estadual, que apontam que a doença pode acometer de 1% a 10% da população. Desses acometidos, é previsto que 20% vão precisar de internação hospitalar e cerca de 6%, de atendimento em UTIs.

Segundo a médica, no melhor cenário – considerando uma população de 180 mil pacientes atendidos pelo município –, haveria 1.800 infectados, 360 internações e 15 quadros de internação em UTI.

Em um segundo cenário, com média de 5%, os casos poderiam chegar a 9.000 pessoas infectadas, com 1.800 internações e 72 leitos de UTI ocupados. Já no pior cenário, de 10%, o número subiria para 18 mil infectados, 3.600 internações e 144 leitos de UTI ocupados.

Para não chegar nesse cenário, o município alerta ser necessário haver conscientização da população e seguir à risca as orientações do Ministério da Saúde – ou seja, permanecer em casa e evitar o contato social.

A médica explicou que a progressão do vírus é muito rápida e dobra a cada três dias. Segundo ela, o melhor cenário de todos no mundo até hoje é o da Ásia, que adotou o isolamento social chamado “lockdown”.

“Eles adotaram a medida no 20º dia da epidemia, com 260 casos. Mesmo assim, chegaram a 80 mil casos. Por isso, é importante que nós tomemos medidas para conter o vírus ainda no começo”, acentuou a médica.

Ela alertou que muitos casos de pacientes infectados pelo Covid-19 podem não ser nem contabilizados pelo sistema, por serem assintomáticos, e reforçou serem necessários cuidados para evitar a disseminação da doença.

“Nós não temos como testar toda a população e o vírus leva nove dias para começar a mostrar os sintomas. Além disso, muitos são assintomáticos e podem estar passando o vírus para os outros sem saber que já estão contaminados”, acrescentou a médica.

De acordo Maria Laura, a meta do município é manter o melhor cenário ou abaixo dele. Contudo, ela destacou ser necessário que a população colabore com as medidas de prevenção tomadas pela prefeitura.

“A comissão (Comitê Municipal de Prevenção e Enfrentamento ao Covid-19) acha que, tomando essa atitude, consegue segurar o pico de casos no município. A nossa maior prioridade é ter condições de atender bem a todos que chegarem até nós”, completou.

A médica reiterou que a melhor ação para evitar a disseminação do vírus é o isolamento social e orientou: “Fiquem em casa, lavem as mãos, o rosto, as narinas, se preocupem consigo e com o próximo. Essas medidas não são exagero, são necessárias. É preciso ficar em casa, pelo nosso bem e pelo próximo”, asseverou a médica.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

entre com sua mensagem
entre com seu nome