Secretário prevê atender a 70% da demanda em creche até fim do ano

    Conforme Cardoso, Educação iniciará entrega de pacotão no 2º semestre

    950
    Unidade do Inocoop é primeira creche a ser inaugurada por Miguel Lopes Cardoso Júnior como secretário (foto: Cristiano Mota)
    Publicidade
    Siltec
    Alessandra Bonilha, dra

    Um total de 70% da demanda reprimida de vagas em creches deve ser atendido até o fim do ano. A previsão é do secretário municipal da Educação, professor Miguel Lopes Cardoso Junior.

    A O Progresso, na noite de quarta-feira, 17, ele enfatizou que a marca deve ser atingida com a inauguração de três novas creches, a partir do segundo semestre de 2019.

    Cardoso acentuou que a administração está trabalhando para atender 100% da demanda. O titular da Educação falou sobre o tema momentos antes da abertura do 1º Fórum Municipal da Educação de Tatuí.

    O evento aconteceu na Fatec (Faculdade de Tecnologia) “Professor Wilson Roberto Ribeiro de Camargo”, com duração de dois dias e participação de mais de 400 pessoas.

    “Temos hoje, na cidade de Tatuí, cinco creches em construção. E nós estamos partindo para uma sexta neste mês”, iniciou. Conforme reiterou o secretário, o prédio atenderá à região do Residencial Nova Vida Tatuí, mais conhecido como bairro Pacaembu, e terá capacidade para receber até 350 crianças.

    Publicidade
    Siltec
    Alessandra Bonilha, dra

    Anunciada em fevereiro deste ano, a nova unidade é considerada “a maior creche do município”. A administração concluiu a primeira etapa da construção dela no dia 17, com o encerramento do serviço de terraplanagem.

    “Aquela (o Pacaembu) é uma região muito ampla e, por conta de o bairro ser muito grande (são 1.250 residências), ela carece de muitas vagas”, argumentou.

    Uma vez realizada a preparação da área, Cardoso explicou que o próximo passo é a administração fazer a licitação. A estimativa é de que o processo ocorra em maio.

    “São ações significativas que estamos fazendo, com investimento praticamente do zero. E a demanda é tanto por estrutura quanto de recursos humanos”, apontou.

    Até dezembro, o secretário estima que a administração possa entregar três ou quatro creches. “Pelo que tenho acompanhado, acredito que isso seja possível”, declarou.

    Delas, a mais adiantada é a do Conjunto Habitacional “Amaro Padilha”, o Inocoop. Além de consistir na primeira unidade a ser concluída dentro do “pacotão”, a creche será a primeira entregue por Cardoso como secretário da Educação. “Estive lá, esses dias, e pude ver que a obra está bastante adiantada”, disse.

    O segundo prédio, conforme cronograma apresentado por Cardoso, é o do Jardim Santa Emília. Na sequência, a previsão é de conclusão da creche do Residencial Astória. “Lá, verificamos que as obras estão 45% concluídas”, afirmou.

    Já a creche do Santa Cruz depende de nova licitação. Cardoso explicou que a prefeitura enfrentara problemas com a empresa responsável pela obra. “Tivemos que quebrar o contrato, mas já está programado para fazermos um novo processo”, explicou.

    Somando as vagas no Inocoop, Santa Emília e Astória, o secretário reiterou que serão atendidas 70% da demanda reprimida. Cardoso, no entanto, não falou em números, mas salientou que, com as cinco creches programadas, deve zerar a fila de espera.

    “Zeramos, assim, com os números que temos hoje, mas sempre existe a rotatividade e o registro de novas inscrições, que podem interferir”, ponderou.

    De acordo com o titular, se as cinco creches fossem inauguradas ainda neste mês, o município registraria “superávit”. “Nós teríamos sobra de vagas”, garantiu.

    Esse cálculo leva em consideração que, para cada unidade, há um número diferente de vagas. Há creches com capacidade para 80 crianças e outras para atender 200. Parte delas funcionando pela manhã e outra, no período integral.

    Além da estimativa, Cardoso antecipou que a secretaria trabalha em “duas grandes ações”. No entanto, o titular disse não poder detalhá-las, porque dependem de alguns acertos. De antemão, acentuou que as iniciativas estão ligadas a creches.

     

    (foto: Cristiano Mota)

    Publicidade
    Siltec
    Alessandra Bonilha, dra