Saúde faz Dia D contra sarampo em adulto

    Jovens de 20 a 29 anos com esquema incompleto de vacinação devem procurar postos

    356
    Publicidade
    Siltec
    Da reportagem

    A partir das 8h deste sábado, 30, a prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, realiza o “Dia D” de vacinação contra o sarampo em adultos. Voltada a jovens de 20 a 29 anos com esquema incompleto de imunização da tríplice viral (que protege contra o vírus do sarampo, caxumba e rubéola), a ação faz parte da segundo etapa da Campanha Nacional de Vacinação.

    Durante o Dia D, cinco locais serão pontos de imunização na cidade.  Das 8h às 13h, equipes de saúde estarão realizando plantão na Praça da Matriz.

    Já das 8h às 14h, a vacinação ocorrerá na ESF (Estratégia Saúde da Família) do Jardim Santa Rita de Cássia, ESF da vila Angélica, UBS (unidade básica de saúde) do bairro Valinho e ESF do CDHU.

    Segundo a coordenadora da Vigilância Epidemiológica, enfermeira Rosana Oliveira, a campanha vem para rastrear o cartão de vacina dessas pessoas. Esse público-alvo é o de maior incidência nos casos de sarampo registrados no país e já atinge 25% dos casos confirmados da doença no município.

    “As pessoas pensam que somente as crianças estão suscetíveis à doença, mas não é assim. Os jovens que não foram vacinados também devem procurar os postos para poderem se imunizar contra a doença”, explica a enfermeira.

    Publicidade
    Siltec

    A estimativa da Secretaria de Saúde é de que haja 19.314 jovens nesta faixa etária na cidade. “Quem não recebeu a dose da vacinação ou está em dúvida deve comparecer para que possa atualizar a carteira. Temos que reforçar cada vez mais que a vacina é a única forma de evitar a doença”, enfatiza Rosana.

    Ela lembra que a ação vem sendo realizada no município e em todo o país desde o dia 18 de novembro com foco na imunização dos adultos.

    Na primeira semana da campanha, de 18 a 22 de novembro, 143 pessoas entre 20 e 29 anos compareceram para verificação da carteira de vacinação e, desses, 31 precisaram ser vacinados.

    De acordo com o último boletim divulgado pela VE, na quinta-feira, 21 de novembro, 20 casos de sarampo já foram confirmados em Tatuí. No total, foram notificados 72 casos da doença nos últimos cinco meses, sendo 20 confirmados, 38 descartados e 14 aguardando resultado de exames pelo IAL (Instituto “Adolfo Lutz”).

    Entre os novos casos confirmados, estão dois jovens de 21 anos, residentes no centro, uma jovem de 19 anos, moradora da vila Minghini, e um menino de cinco meses, residente no Jardim Thomaz Guedes.

    O informativo da VE é o segundo que aponta casos confirmados em adultos. O relatório anterior, divulgado no dia 25 de outubro, mostrava que dois jovens de 24 anos haviam sido infectados – um residente no bairro Donato Flores e um no Inocoop.

    Os outros 14 casos confirmados na cidade afetaram nove meninos de cinco meses a dez anos de idade e seis meninas entre dois meses e três anos.

    Entre os bairros que mais registraram infecções por sarampo, estão o Jardim Santa Rita de Cássia, com cinco diagnósticos da doença, Jardim Donato Flores, centro e Jardim Thomaz Guedes, com dois casos confirmados em cada.

    Ainda foram diagnosticados moradores do Residencial Astória, Mirandas, Jardim San Raphael, vila Angélica, vila Brasil, Inocoop, Jardins de Tatuí, vila Santa Adélia e vila Minghini, com uma confirmação em cada.

    Conforme a coordenadora, todos os pacientes receberam acompanhamento médico e já não apresentam mais nenhum sintoma da doença. Ela afirma que, em todos os casos, foram adotadas as medidas preconizadas pelo Ministério da Saúde.

    “As ações no combate à doença incluem afastamento social dos casos suspeitos durante o período de transmissibilidade e, ainda, a identificação e bloqueio vacinal das pessoas que tiveram contato com outras tidas como casos suspeitos”, informa Rosana.

    Ela lembra que, apesar do público-alvo da Campanha Nacional ser os jovens, a vacinação ainda está disponível nos postos de saúde para todas as faixas etárias, por se tratar de imunização incluída no calendário vacinal.

    “Os pais e responsáveis que ainda não levaram os filhos para receber a dose de rotina, ou que tenham dúvidas sobre a aplicação dela, ainda podem procurar a sala de vacinas da unidade de saúde mais próxima à residência. É necessário levar a caderneta de vacinação”, orienta a enfermeira.

    Além do Dia D, que acontece neste fim de semana, para possibilitar que mais pessoas possam se vacinar, as doses da vacina estão disponíveis em todas as unidades de saúde (urbanas) e também na Casa do Adolescente, de segunda-feira a sexta-feira, das 8h às 16h. Já na área rural da cidade, o atendimento é de segunda-feira a sexta-feira, das 8h às 13h.

    Devem ser vacinados bebês que tenham entre seis e 11 meses de vida (dose extra). As doses válidas devem seguir o Calendário Nacional de Vacinação, determinado pelo Ministério da Saúde, que envolve crianças entre 12 e 15 meses de vida.

    Adolescentes e jovens até 29 anos devem ter duas doses da vacina de sarampo e os adultos de 30 até 59 anos, pelo menos uma dose, comprovada na carteira de vacinação.

    A coordenadora reforça que este tipo de imunização só não é recomendado para mulheres grávidas, devido ao risco de danos ao feto. Já mulheres que desejam ter filhos devem evitar a gravidez por 30 dias após a vacina.

    As pessoas com imunodeficiências congênitas ou adquiridas também não devem se vacinar. Já pessoas em uso de corticosteroides em doses imunossupressoras devem ser vacinadas com intervalo de pelo menos um mês após a suspensão da droga.

    Pessoas em uso de quimioterapia antineoplásica só devem ser vacinadas três meses após a suspensão do tratamento. E transplantados de medula óssea devem se vacinar com intervalo de 12 a 24 meses após o transplante.

    Conforme o Ministério da Saúde, vacinar contra o sarampo é importante para evitar complicações como cegueira e infecções generalizadas, que podem levar a óbito. As crianças são mais suscetíveis às complicações da doença.

    O surto de sarampo ainda se encontra em atividade no país. Atualmente, 5.660 casos foram confirmados e 19 estados se encontram em transmissão ativa. A maioria dos casos (90,5%) está concentrada em 176 municípios (27%) do estado de São Paulo, principalmente na região metropolitana.

    De janeiro deste ano a 26 de outubro, 10.429 casos foram confirmados no Brasil. Segundo o MS, os dados acumulados são de surtos na região Norte do país, iniciado em fevereiro de 2018, e em São Paulo, por um navio, em maio deste ano.

    Publicidade
    Siltec

    DEIXE UMA RESPOSTA

    entre com sua mensagem
    entre com seu nome