Saúde cria esquema para primeira etapa da imunização contra gripe

Vacina em idosos é feita a domicilio; quase 24 mil têm mais de 60 anos

313
Equipes de saúde imunizam idosos (foto: AI Prefeitura)
Publicidade
Da redação

A Campanha Nacional de Vacinação contra a gripe começou nesta segunda-feira, 23, tendo como público-alvo os idosos (com 60 anos ou mais) e profissionais da Saúde. Por conta da pandemia do Covid-19, as imunizações sofreram adaptações.

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, todos os idosos serão vacinados gradativamente nas residências para evitar aglomerações nos postos de saúde. Cada unidade de saúde conta com um motorista, uma vacinadora e uma anotadora, que percorrem os bairros.

A prefeitura informou, em nota, que os agentes comunitários de saúde estão entrando em contato com os idosos para que a vacinação seja realizada. A orientação é para que os idosos fiquem em casa, sendo que também podem ocorrer visitas dos agentes sem aviso prévio.

Os agentes não entram nas casas, ficando na parte externa, onde realizam a imunização. A Secretaria de Saúde ressalta que todos os profissionais estão devidamente paramentados e com o carro oficial da prefeitura.

Publicidade

Em uma segunda fase, a partir de 16 de abril, a vacina contra a gripe também estará disponível para doentes crônicos, professores e profissionais das forças de segurança e salvamento.

Já a partir de 9 de maio, a campanha se estende para crianças de seis meses a menores de seis anos, pessoas com 55 anos ou mais, grávidas, mães no pós-parto, indígenas e pessoas com deficiência.

De acordo com a coordenadora da VE, enfermeira Rosana Oliveira, a vacina contra a influenza garante proteção para três tipos de vírus (H1N1, H3N2 e Influenza B). Ela lembra que a imunização não protege contra o coronavírus, mas pode auxiliar no descarte da gripe na triagem de casos do Covid-19.

Ela aponta que, mesmo que a vacina não apresente eficácia contra o coronavírus, é uma forma de prevenção para outros vírus, ajudando a reduzir a demanda de pacientes com sintomas respiratórios e acelerando o diagnóstico para o coronavírus.

“Os vírus são diferentes, mas os sintomas são muito parecidos. Se a pessoa está imunizada contra o vírus da influenza, fica mais fácil detectar os sintomas do coronavírus, mas não quer dizer que a vacina vai proteger do coronavírus. Esta doença é nova e ainda não tem vacina”, explicou a enfermeira.

Entidades assistenciais que atendem pessoas com mais de 60 anos já receberam a visita das equipes das unidades básicas de saúde, no sábado, 21, mesmo antes do início da campanha, para imunizar os internos.

Na sexta-feira, 20, um evento – restrito e com cuidados de segurança – reuniu líderes de igrejas, órgãos municipais, Associação Comercial e Empresarial, entre outras autoridades, para a apresentação das estatísticas e de dois novos decretos municipais que impuseram o fechamento do comércio e dos órgãos públicos a partir desta segunda-feira, 23.

Na ocasião, a secretária da Saúde, Tirza Luiza de Melo Meira Martins, apresentou um levantamento do órgão e apontou que quase 24 mil idosos, com 60 anos ou mais, estão cadastrados no sistema de saúde.

Ela salientou que a medida foi adotada para evitar a aglomeração desta população nos postos e unidades da saúde.

“Não tem como fazer uma campanha e mandar todos virem na unidade, este não é o momento para isso. É hora de ficar em casa, principalmente os idosos, que pertencem à faixa de risco”, declarou.

Tirza ainda explicou que o Ministério da Saúde faz a distribuição das doses por etapas para os postos e acentua que os idosos serão vacinados conforme as unidades de saúde receberem as imunizações.

“Já sabemos que, semanalmente, vai chegar uma quantidade de vacina. Então, a população idosa não será vacinada em uma única semana. Conforme as doses chegarem, nós vamos vacinando os idosos. Já temos tudo planejado”, concluiu a secretária.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

entre com sua mensagem
entre com seu nome