Santa Casa começa a atender conveniados da ‘Coopus Planos’

296
Publicidade
Siltec





Uma semana depois do fim da “requisição”, a Santa Casa de Misericórdia de Tatuí divulgou assinatura de seu primeiro convênio. A assessoria de comunicação da Prefeitura informou que as negociações com a Coopus Planos de Saúde “evoluíram rapidamente”.

A assinatura do credenciamento para atendimento a conveniados do novo plano de saúde aconteceram na quinta-feira, 19, em evento realizado na sala de reuniões da Santa Casa. O ato reuniu autoridades, médicos e funcionários.

Participaram do encontro o prefeito José Manoel Correa Coelho, Manu, a provedora da entidade, Vera Lúcia das Dores, os vereadores Ronaldo José da Mota, Carlos Rubens Avallone Junior e Oséias Rosa, além do diretor da Coopus, Arlei Antônio.

A empresa tem sede em Campinas e atua no mercado desde 1993. Conforme divulgado pela Prefeitura, ela conta com uma rede de cobertura formada por 70 hospitais, 200 clínicas e mais de 1.500 médicos.

Publicidade
Siltec

Pelo convênio, a Coopus se comprometeu a doar 40% dos primeiros mil contratos para a entidade. “Foi uma batalha que travamos há muito tempo, para oferecer mais saúde à população e, ao mesmo tempo, garantir receita extra para a nossa Santa Casa”, disse o vereador Mota, por meio de assessoria.

Avallone, que também é obstetra, parabenizou o prefeito por ter assumido a gestão da Santa Casa. O vereador disse que a desrequisição aconteceu no “momento certo” para que o hospital pudesse se abrir para receber novos convênios, doações, pacientes particulares e, por consequência, investimentos.

Com a requisição, o credenciamento de convênios não era permitido. Durante o período, a Prefeitura teve de arcar exclusivamente com todas as despesas, tendo como respaldo apenas os repasses do SUS (Sistema Único de Saúde).

O Executivo informou, ainda, que parcerias como a firmada com a Coopus devem ser estendidas a outras bandeiras e ao Iamspe (Instituto de Assistência Médica ao Servidor Público Estadual). A projeção é de que o hospital possa ter receita extra, no prazo de um ano, de aproximadamente R$ 5 milhões.


Publicidade
Siltec