Salão Internacional de Humor tem maior mostra da história do evento

230
Publicidade
Antuerpia
Fabio Villa Nova

Salão de Humor / Dirso Barelli

Charge de Cesar Augusto Nogueira, do Brasil, está entre selecionadas para mostra que abre neste mês

 

O 40o Salão Internacional de Humor de Piracicaba contará com 442 cartuns, caricaturas, charges e tiras e histórias em quadrinhos. Os trabalhos foram escolhidos pela comissão de seleção, que se reuniu no final de semana passado.

 

Conforme a assessoria do evento, esta será a maior mostra da história do salão. A abertura e premiação acontecem no próximo dia 24. A relação completa dos contemplados será divulgada esta semana, no site www.salaodehumor.piracicaba.sp.gov.br.

 

Publicidade
Antuerpia
Fabio Villa Nova

Em 2013, o Salão de Humor recebeu recorde de inscritos: 4.180 obras, enviadas por 966 artistas de 64 países.

 

Em maior quantidade, estarão expostos os cartuns, em 142, seguidos de 97 caricaturas, 74 charges e 73 tiras/histórias em quadrinhos. Para a categoria temática (futebol), estarão expostos 56 trabalhos.

 

Integraram a comissão de seleção profissionais experientes em salões de humor: os cartunistas Pryscila Vieira, Natália Forcat, Gilmar Machado Barbosa, Paulo Branco e Lucas Leibholz, o ilustrador Rafael de Latorre e o professor universitário Celso Figueiredo Neto.

 

Na avaliação do cartunista Eduardo Grosso, a comissão foi coerente no processo de seleção. “O júri privilegiou obras com piadas genuínas, engraçadas, inéditas e com excelente nível técnico. Será uma mostra acessível, com um humor mais próximo do público”, avaliou, em material enviado à imprensa.

 

Grosso é diretor do Centro Nacional de Humor Gráfico de Piracicaba, órgão da Secretaria Municipal da Ação Cultural, responsável pela realização do evento.

 

Os trabalhos na categoria charge confirmam o caráter político do salão, criado em plena ditadura, em 1974, e que até os dias atuais conserva o humor como forma de reflexão.

 

Entre os temas abordados, estão os recentes protestos ocorridos no país com o lema “Vem pra Rua”, a denúncia do programa de espionagem dos Estados Unidos, por Edward Snowden, e as redes sociais.

 

Também aparecem como recorrentes as piadas com conotações sexuais. Entre elas, as que abordam os relacionamentos homoafetivos e a “cura gay”.

 

Celebridades brasileiras e “gringas” do cenário político tiveram seus traços distorcidos nas caricaturas, como os presidentes Barack Obama e Dilma Rousseff, o ministro Joaquim Barbosa e a ex-ministra Marina Silva.

 

Do universo musical, o júri contemplou obras que retratam Dominguinhos, Roberto Carlos, Michael Jackson, Lobão e Caetano Veloso.

 

Os trabalhos selecionados também trazem figuras como o papa Francisco, a atriz Fernanda Montenegro, o escritor José Saramago e os atletas Ronaldinho Gaúcho, Messi, Neymar e Pelé.

 

Nos cartuns, categoria que tradicionalmente recebe boa parte de trabalhos internacionais, os artistas criticam problemas ligados à “supremacia” norte-americana, além de abordarem temas como religião, meio ambiente e consumismo.

 

 

 

Premiação

 

Presidida pelo jornalista e publicitário Carlos Colonese, a edição de 40 anos do salão concederá R$ 47 mil em prêmios aos classificados em primeiro lugar. A escolha fica por conta da comissão de premiação, que se reúne no próximo dia 17.

 

A comissão é formada pela argentina Marlene Pohle, pelos portugueses Carlos Brito e Antônio Moreira Antunes, e pelos brasileiros Luciano Magno, Roberto Negreiros Faria Junior, Ciça Alves Pinto e Zélio Alves Pinto.

Publicidade
Fabio Villa Nova
Antuerpia