Roubos e furtos têm queda no 1º semestre

Queda atinge 12 tipos de ocorrências policiais, em relação ao mesmo período de 2019

429
Forças de segurança atuam em conjunto para inibir criminalidade (Foto: Divulgação)
Publicidade
Siltec
Da reportagem

O município terminou o primeiro semestre do ano com redução em 12 classificações de ocorrências policiais, em comparação ao mesmo período de 2019. Os dados foram divulgados pela SSP (Secretaria Estadual de Segurança Pública) nesta sexta-feira, 24.

Segundo o levantamento do órgão, a maior redução em percentual aconteceu nos crimes contra o patrimônio, que envolvem furtos em geral, furtos de veículo, roubos em geral e roubos de veículos.

Os furtos de veículos recuaram 48,71%, com diferença de 38 casos, passando de 78 para 40 boletins, se comparado os primeiros seis meses de 2019 e 2020.  O mesmo ocorreu com os furtos em geral, que caíram 37,28%, com 254 registros neste ano, ante 405 no ano passado.

Nos roubos em geral e de veículo, o recuo foi de 43,85% e 23,07%, respectivamente. O primeiro passou de 57 para 32 e o segundo, de 13 para 10. A cidade não contabilizou roubos a banco de janeiro a junho deste ano, assim como ocorreu no primeiro semestre de 2019.

A tendência se estendeu para os indicadores de latrocínio, que caíram de um caso em 2019 para zero neste primeiro semestre. Já os casos de roubo a carga foram equivalentes, com uma ocorrência no primeiro semestre deste ano e uma no mesmo período do ano passado.

Publicidade
Siltec

Nos crimes contra a vida, houve redução de 28,57% nos números de estupro e aumento de 4,54% nos casos de estupro de vulnerável. No total de crimes por violência sexual (soma de estupros e estupros de vulnerável), a diferença é de menos 3,44%, passando de 29 casos em 2019 para 28 neste ano.

Os registros de violência sexual contra adultos caíram de sete para cinco, enquanto as notificações envolvendo crianças e adolescentes tiveram crescimento de 22 para 23 ocorrências.

Na contramão, o indicador de homicídios dolosos (com intenção de matar) apontou aumento, com dois casos e duas vítimas a mais no período, em comparação ao semestre de 2019.

O índice de homicídio culposo (quando não há intenção) teve uma ocorrência nos primeiros seis meses de 2019 e nenhuma em 2020. Já os casos de tentativa de homicídio tiveram queda de 62,5%, com três ocorrências nos primeiros seis meses deste ano, contra oito no ano passado.

Os casos de lesão corporal seguida de morte e lesão corporal culposa permaneceram equivalentes, sem casos em 2019 e 2020. Já o índice de lesão corporal dolosa teve queda de 35,46%, passando de 203 para 131 ocorrências no período.

Segundo o levantamento do órgão, os índices em relação ao trânsito também tiveram resultados positivos no período. O número de lesões corporais culposas envolvendo veículos, com feridos em acidentes e atropelamentos, caiu de 38 para 14 casos (menos 63,15%).

Nos casos de homicídio culposo por acidente de trânsito (quando não há intenção), a aferição indicou queda de 40%, com cinco ocorrências em 2019 e três neste ano. Entre os homicídios dolosos envolvendo pilotos de veículos e vítimas de homicídio doloso por acidente, não houve casos nos dois anos.

As lesões corporais culposas por acidente de trânsito tiveram queda de 63,15%, passando de 38 para 14 nos primeiros seis meses. Já os outros casos de lesões corporais culposas não tiveram registros nos dois anos.

O levantamento sobre a produtividade policial também aponta queda. Segundo a SSP, nos seis primeiros meses deste ano, foram instaurados 588 inquéritos policiais, 2,64% a menos que em 2019, quando foram realizados 604 procedimentos policiais dessa categoria. No mesmo período, o número de flagrantes caiu 18,73%, passando de 315 para 256.

O total de prisões efetuadas caiu de 446 para 332 (menos 25,56%). Neste ano, foram apreendidos 108 menores de idade em flagrante, contra 75 em 2019. Nos dois anos, nenhum menor foi apreendido por mandado.

A SSP aponta que o número de pessoas presas em flagrante foi 23,25% menor, com 307 ocorrências, contra 400 no ano passado. No mesmo período, 76 pessoas acabaram detidas por mandados de prisão, número 41,98% menor que no ano passado, quando foram presas 131.

As ocorrências de tráfico de drogas também caíram no primeiro semestre, com 193 registros, contra 202 no ano passado (queda de 4,45%). No caso das ocorrências por porte de drogas, os índices apontam queda de 29 para 17 (menos 41,37%).

O registro geral de apreensões de drogas (quando são computadas somente as ocorrências em que houve apenas apreensão de entorpecentes, sem pessoas envolvidas) foi equivalente, com uma ocorrência no período em cada ano.

Nas ocorrências deste ano, foram apreendidas 15 armas de fogo, uma a menos que no ano passado. Já o número de ocorrências por porte ilegal de arma de fogo caiu de 15 para 6 (60%).

As forças de segurança ainda registraram a recuperação de 20 veículos, um aumento de 5,26% em relação ao ano passado, quando o índice atingiu 19 recuperações.

Ações em conjunto

A O Progresso, o secretário municipal de Segurança Pública e Cidadania, coronel Miguel Ângelo de Campos, reforçou que as ações conjuntas realizadas pela Guarda Civil Municipal, Polícia Militar e Polícia Civil refletiram na redução dos índices de criminalidade.

“Acho que todos os órgãos pregam a mesma coisa que a Secretaria Municipal, que é a união entre as forças policiais da nossa cidade, e isso, com certeza, tem refletido nos índices de segurança. Representantes dos três órgãos (PC, GCM e PM) têm se reunido para estreitar cada vez mais as operações, e sempre trabalhamos juntos”, acrescentou o secretário.

Campos destacou a realização de diversas operações planejadas e, ainda, a atuação conjunta em flagrantes. “Em poucos minutos, formamos equipes e somamos esforços. Esta presença ostensiva na cidade tem feito diferença”, disse o secretário.

As fiscalizações nos bairros também são apontadas pelo secretário como formas de inibir os crimes. “Quando você aumenta a prevenção, automaticamente, acontece a redução da repressão. A presença constante das forças policiais nas ruas inibe a ação dos criminosos”, assegurou Campos.

O secretário afirmou ser difícil fazer previsão sobre como podem ficar os índices nos próximos meses, contudo, apontou que a tendência é que continuem em queda. Segundo ele, a pasta tem feito mudanças na estrutura “para garantir e melhorar a sensação de segurança”.

Ampliação do patrulhamento na área rural e mudanças e horário de atendimento estendido, aos finais de semana, nas bases destacadas dos bairros Mirandas, Enxovia e Jardim Santa Rita de Cássia são algumas das alterações.

Conforme Campos, atualmente, a Guarda tem a Romu (Ronda Ostensiva Municipal) em patrulhamento na área urbana e uma equipe semelhante ao padrão da Romu fazendo a ronda exclusiva na zona rural, principalmente, nas propriedades que já foram identificadas com o GPS Rural – ferramenta de localização mantida pela GCM.

“Além disso, aumentamos o horário de funcionamento das bases rurais aos finais de semana. Antes, era até às 20h; agora, elas ficam até 1h, com uma presença constante da GCM rodando nesses bairros destacados”, declarou Campos.

“Com a Patrulha da Paz, a ronda ostensiva na cidade, a patrulha rural reforçada, a alteração do horário de funcionamento das bases e as operações que são feitas com a PC e PM, a tendência é inibir cada vez mais a criminalidade”, concluiu o secretário.

Publicidade
Siltec

DEIXE UMA RESPOSTA

entre com sua mensagem
entre com seu nome