Ritmo musical no futebol

251
Publicidade





Falava-se, por exemplo, que o ótimo time do Vasco do final dos anos 1940 jogava por musica. Era o “Expresso da Vitória”. Depois, foi a vez do fabuloso Santos, de Pelé, que os comentaristas e analistas poeticamente chamavam de time dos sonhos, tal a excelência do espetáculo que mostravam.

Outros mais foram pauta de comentários, e que lotavam estádios para ver o Cruzeiro, de Tostão. A academia palmeirense, de Ademir da Guia e companhia. Todas essas grandes formações, invariavelmente, na boca do torcedor citavam que jogavam por musica.

Seleções e clubes que marcaram a história do futebol. A foto mostra o Flamengo, campeão do torneio Rio-São Paulo de 1961. Ele tinha na zaga o eficiente zagueiro Bolero. O rubro-negro da época não jogava por musica, mas tinha no beque um ritmo musical. Menos mal, assim como o habilidoso Pé de Valsa mostrava seu bailado com as camisas, primeiramente, do Fluminense, e, depois, com a do São Paulo. Daí que ganhou o apelido.

Em pé, da esquerda para a direita: Ari, Nelinho, Bolero, Jadir, Joubert e Jordan. Agachados: Joel, Gerson, Henrique, Manuelzinho e Babá. Bons tempos de um futebol mais bonito e clássico.

Publicidade

NOTA: As fotos são do arquivo pessoal do autor, que data de 50 anos. Ele, como colecionador e historiador do futebol, mantém um acervo não somente de fotos, mas de figurinhas, álbuns, revistas, recortes e dados importantes e registros inéditos e curiosos do futebol, sem nenhuma relação como os sites que proliferam sobre o assunto na rede de computadores da atualidade


Publicidade