Qual é o Papel do Eleitor?

398
Publicidade
Raul Vallerine

Um voto cidadão não é o voto consciente: é o voto responsável, o voto pensado de forma coletiva e não pessoal.

Ataíde Lemos

É hoje! É o dia de exercer a democracia e garantir o direito de votar em um dos candidatos a prefeito. A eleição de hoje também terá a escolha para vereador.

No jogo democrático, todas as partes possuem seus direitos e seus deveres. Ouvimos muito falar sobre como os nossos representantes devem agir com a responsabilidade que o cargo exige.

Mas qual, afinal, é a responsabilidade de quem está na outra ponta do processo eleitoral, o eleitor? Muitas vezes não paramos para refletir sobre esse assunto, afinal minimizamos a importância da participação do eleitor. Qual é a diferença de um voto a mais ou voto a menos, não é mesmo?

Pois saiba que cada voto conta e os eleitores não podem fugir de sua grande responsabilidade. Acreditamos que os deveres dos eleitores vão muito além do simples ato de votar a cada dois anos.

Publicidade

Informar-se constantemente. Hoje em dia, com a internet à disposição, é praticamente impossível ficar alheio às notícias da política.

Existe também uma grande quantidade de veículos de comunicação, com orientações editoriais diversas.

Você tem a liberdade de escolher se informar pelos veículos que preferir. É fundamental destacar a participação do eleitor e a importância de fazer sua voz ser ouvida para perto das pessoas.

É preciso responder às questões: “O que você quer melhorar na sua cidade?” e “Você sabe quem pode resolver isso?”. Neste dia da eleição, a democracia convida os eleitores a responder a essas perguntas em uma ação de conscientização.

É importante reforçar a ideia de que uma população sempre deve ser bem informada sobre seus direitos e deveres. O esclarecimento sobre a importância do voto é o primeiro passo para formar um eleitor consciente e atuante na sociedade.

É importante também neste dia estimular a participação do cidadão não apenas nas eleições, mas nos destinos de sua cidade. Para isso, é fundamental conhecer o candidato, a vida pregressa e não se submeter à compra de votos.

Portanto, nesse dia da democracia, o voto é a voz do cidadão que quer melhorias, quer saúde, educação, trabalho, obras de qualidade.

Este cidadão sabe valorizar seu voto, pois dele não abre mão, e sua escolha é embasada por uma análise própria onde o que pesa são as propostas, as realizações e o passado de cada candidato.

Não se deixa levar por discursos baseados em crenças, palavras e gestos repletos de componentes emocionais, jogos de imagem para agradar eleitorado, pois sabe que não é isso que garante um bom governo.

Este eleitor sabe escolher o candidato que está em sintonia constante com as reais necessidades da população e cujas realizações do passado avalizam suas promessas futuras, pois sabe que o candidato que acompanha a história do desenvolvimento de sua localidade e que tem o que mostrar de realizações e melhorias para a sociedade com certeza é o que tem maior probabilidade de fazer um melhor governo.

É importante ressaltar que o voto é um ato democrático de alta relevância para o futuro de sua cidade. Não deve ser vendido, nem comprado, nem tampouco exigido ou obrigado.

Simplesmente, deve ser executado com consciência e que cada eleitor, esteja comprometido com o destino da sua cidade. Portanto hoje é o dia de exercer a cidadania com o voto do cidadão, que tem valor “incrível” para garantir o processo o sistema democrático.

O trabalho do eleitor não acaba depois das eleições. Afinal de contas, as eleições são apenas uma primeira etapa de um longo ciclo, que vai se repetir a cada quatro anos.

Após as eleições, você, eleitor, deve assumir o papel de cidadão e acompanhar e fiscalizar o trabalho de seus representantes, especialmente aquele que ajudou a eleger.

Publicidade

1 COMENTÁRIO

Comments are closed.