Projeto inovador ‘humaniza’ trabalhadores

    “Mangueirão Humanizado” promove série de ações para cativar servidores públicos

    674
    Adriana coordena o projeto Mangueirão Humanizado (foto: Eduardo Domingues)
    Publicidade
    Siltec
    Alessandra Bonilha, dra
    Anglo
    EleService institucional

    Responsável por promover série de ações junto a garis municipais neste mês dedicado ao combate ao câncer de mama, o projeto “Mangueirão Humanizado” realiza outras várias atividades para influenciar e motivar o trabalho de servidores públicos.

    O projeto começou a ser idealizado há cerca de três anos, pela coordenadora e assistente social Adriana Rosa Estanislau, e, desde janeiro de 2017, está à disposição dos funcionários da Secretaria Municipal de Obras e Infraestrutura.

    Adriana trabalhou dez anos como voluntária no Fundo Social de Solidariedade de Tatuí (Fusstat) e afirma que, nesse período, já sentia preocupação com a vida dos servidores públicos. Ela apresentou a ideia para os administradores municipais, “que enxergaram como mais que necessário cuidar dos nossos”.

    Ela afirma que recebe apoio de toda a prefeitura, em especial, do secretário municipal das Obras e Infraestrutura, Marco Luís Rezende.

    A assistente social revela que escolheu o setor de obras para iniciar o projeto por entender que é uma categoria em que os trabalhadores ficam mais expostos e vítimas de limitações causadas por inúmeros problemas sociais.

    Publicidade
    Alessandra Bonilha, dra
    Anglo
    EleService institucional
    Siltec

    O desafio inicial, de acordo com Adriana, foi fazer os servidores entenderem o motivo de ela estar lá. Depois, conta, precisou desempenhar um “trabalho de formiguinha”, para conquistar a confiança de cada um deles.

    “Fui a campo conhecer um a um, para me apresentar. Depois, realizei reuniões com cada equipe e pude falar que estava ali para cuidar deles”, conta Adriana.

    Nessas reuniões, a coordenadora afirma que escutou dos trabalhadores quais eram as necessidades particulares deles e sugestões do que poderia ser melhorado dentro da Secretaria de Obras e Infraestrutura.

    Adriana assegura que, atualmente, a sala em que trabalha possui fila de espera para o atendimento individual e que recebe retorno positivo dos funcionários e até dos familiares de cada um deles.

    “Por trabalharmos com a qualidade de vida, começam a surgir situações particulares, como, por exemplo, um filho dependente de drogas, uma esposa acamada ou um marido com problemas com álcool”, revela.

    Entre as intenções do projeto, também estão o fortalecimento de equipes e a resolução de conflitos internos, dos quais a coordenadora, por muitas vezes, sobe em ônibus e os acompanha até o local da obra.

    “Sempre que possível, estou com eles, pois é justamente por eles que estou aqui”, declara.

    No setor de obras, eventualmente, ocorrem acidentes com os trabalhadores e, segundo Adriana, eles eram encaminhados ao pronto-socorro, para o atendimento médico.

    Este procedimento recebeu mudanças e, atualmente, a própria assistente social os acompanha no atendimento, “os chefes dão um apoio maior e, ainda, os familiares são chamados para estarem presentes”, ressalta Adriana.

    Conforme ela, quando se trabalha com pessoas, a humanização é pré-requisito básico para qualquer instituição que almeje o sucesso. Para a profissional, “é necessário ouvir, olhar, conversar, entender os hábitos e o histórico de cada funcionário”.
    A coordenadora afirma que, “como nenhum ser humano vem com um manual de instruções para facilitar o ambiente de trabalho”, é preciso buscar outras formas de linguagens para se alcançar os melhores resultados possíveis.

    O Mangueirão Humanizado conta com projetos internos, muitos deles através de parceria com a Secretaria Municipal de Saúde, disponibilizando palestras e campanhas de vacinação, de promoção ao bem-estar e prevenção de doenças.

    São assuntos relacionados a relacionamentos com familiares e colegas de trabalho e conscientização sobre problemas comuns, como alcoolismo, tabagismo e uso de outras substâncias tóxicas.

    Neste mês dedicado ao combate ao câncer de mama, o “Outubro Rosa”, o projeto está realizando atividades para 115 garis da prefeitura. Todas as quartas-feiras, 20 profissionais participam de curso de panificação do Fusstat.

    Nesta quinta-feira e sexta-feira, 18 e 19, as servidoras ganharam a “Tarde de Princesa”, por meio do Espaço da Beleza do órgão. As mulheres recebem cuidados especiais, como maquiagem, manicure, corte de cabelo, escova, hidratação e design de sobrancelha.

    De acordo com Adriana, a parceria com o Fusstat possibilita que as mulheres, que normalmente não comparecem aos centros de capacitação, possam ter a oportunidade de despertar interesse por realizar outros cursos oferecidos pelo órgão.

    Para o “Novembro Azul”, campanha de conscientização contra o câncer de próstata, o Mangueirão Humanizado deve realizar atividades voltadas aos cuidados da saúde do homem.

    Conforme a coordenadora, a intenção é alertar todos os funcionários sobre a importância de se fazer acompanhamento regular das próprias condições de saúde.

    Adriana afirma que o Novembro Azul do ano passado possibilitou certo crescimento na procura pelo exame de toque, geralmente considerado um “tabu” entre os homens.

    O secretário municipal da saúde, Jerônimo Fernando Dias Simão, possibilitará, ainda neste mês, um mutirão para exame de Papanicolau e, em novembro, a coleta de exames de PSA (prostate specific antigen, antígeno prostático específico, em português).

    O projeto colocou em prática um café da manhã especial, que acontece periodicamente. Segundo Adriana, a refeição recebe uma decoração temática e foi motivada para criar um momento de diversão aos funcionários.

    “Eles sempre aguardam pelo café da manhã especial, pois enfeitamos o refeitório com o tema de festa junina em julho; em novembro, a decoração será azul. Isso melhora o clima organizacional, criando um ambiente mais leve e descontraído”, apontou.

    Adriana ainda conta que possui ideias a serem implementadas futuramente no Mangueirão Humanizado. Uma delas deve acontecer em dias chuvosos, que impossibilitam os trabalhadores de realizarem serviços externos.

    Como não podem ir às ruas por conta da condição climática, os funcionários passam o dia na própria secretaria municipal. É justamente nesse momento que Adriana quer promover o “Um Dedo de Prosa”.

    Ela pretende reunir pequenos grupos de servidores em círculos para eles conversarem e conscientizarem-se sobre os malefícios que as drogas e o alcoolismo podem causar na vida profissional, familiar e social.

    De acordo com Adriana, o “Um Dedo de Prosa” tem como meta a “recuperação da pessoa humana, usando palestras onde a base da transformação é a família”.

    A assistente social conta que havia um funcionário com poucos dentes na boca e que se envergonhava disso. Junto ao coordenador dos dentistas, Luiz Marcos Peroni Júnior, Adriana conseguiu um tratamento para o servidor.

    Após o término da recuperação bucal, o trabalhador agradeceu e disse que o esforço possibilitou que ele “sorrisse melhor”, fato que deu início ao projeto “Sorrir Melhor”.

    A nova parceria com a Secretaria da Saúde quer garantir as ações de promoção, prevenção e recuperação da saúde bucal dos funcionários, entendendo que ela é fundamental para a saúde geral e qualidade de vida dos servidores.

    Adriana revela que tem o grande sonho de que um dia a premissa do Mangueirão Humanizado esteja presente em todas as secretarias municipais. Ela ainda diz que a humanização permite que as pessoas confiem mais em si mesmas. “Uma vida feliz e saudável depende de uma pessoa muito especial: você”, finalizou.

    Publicidade
    Anglo
    Siltec
    Alessandra Bonilha, dra
    EleService institucional